Porto Alegre, domingo, 28 de fevereiro de 2021.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
19°C
15°C
7°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 5,5230 5,5250 1,61%
Turismo/SP 4,7300 5,8120 0,44%
Paralelo/SP 4,7400 5,6700 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
212717
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
212717
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
212717
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

mineração Notícia da edição impressa de 18/03/2015

Governo do Estado vai autorizar volta da extração de areia no lago Guaíba

Exploração será realizada em caráter experimental e com um monitoramento de impacto

Patrícia Comunello

JOÃO MATTOS/JC
Extração no Jacuí é permitida desde 2013, após período de suspensão
Extração no Jacuí é permitida desde 2013, após período de suspensão

Suspensa desde 2003, a extração de areia do lago Guaíba deve ser retomada até o segundo semestre desde ano. A Secretaria Estadual do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável emitirá portaria, até o fim deste mês, para a primeira licença prévia de uma empresa que busca a exploração. A informação foi dada ontem pela titular da pasta, Ana Pellini, em evento do Instituto Latino-Americano de Desenvolvimento Econômico Sustentável (Ilades), no Hotel Sheraton. Ana não revelou o nome do empreendedor, mas assegurou que a extração será de caráter experimental e terá monitoramento do impacto à água e ao ecossistema do lago a cada 15 dias. Os dados serão apresentados pela mineradora autorizada.

A portaria não alterará a norma em vigor que condiciona a extração ao zoneamento ecológico e econômico do lago. "Temos uma licença que será expedida ainda em março, está quase pronta e só faltava um documento do empreendedor", explicou Ana. A secretária afirmou que a decisão baseou-se em dados de estudos e pesquisas de instituições universitárias e especializadas, além da sugestão de técnicos da Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam). A secretária garantiu que as medidas estão sendo comunicadas ao Ministério Público Estadual e à Justiça. Desde 2013, um acordo permitiu a retomada da retirada do mineral do rio Jacuí, que chegou a ser suspensa devido a irregularidades na operação de dragas.

Ana observou que a abertura de pontos no Guaíba aliviará o Jacuí, que já estaria com capacidade esgotada e grande assoreamento. "Precisamos de uma alternativa." A retirada do principal insumo usado na construção civil deve ocorrer em pontos onde foram descartados danos ao ambiente e à água. O diretor do Departamento de Recursos Hídricos (DRH), Fernando Meirelles, disse que a outorga deve atingir a região de Barra do Ribeiro. Meirelles adiantou que serão feitas muitas especificações e procedimentos antes de liberar a extração e que todos serão levados ao conhecimento e aprovação do comitê da Bacia do Guaíba.

A portaria, que por enquanto só tem redação entre a áreas da Fepam e demais organismos, definirá o local, a quantidade de areia a ser retirada e como deverá ser feito o monitoramento. Ana descartou reação negativa de ambientalistas e citou que nada está sendo feito que possa gerar insegurança jurídica ao empreendedor. O presidente da Associação Gaúcha de Produtores de Brita, Areia e Saibro (Agabritas), Pedro Antônio Reginato, comentou que a medida atende à antiga reivindicação do setor. O dirigente lembrou que a limitação de jazidas do Jacuí onera a logística. O mercado da Capital consome 400 mil metros cúbicos por mês. Reginato aposta que a retomada da extração pode abrir caminho para a dragagem do lago, que ampliaria a capacidade de transporte hidroviário com maior carga.

Decreto definirá regras para o CAR no bioma Pampa

"O CAR é um problema", desabafa Ana Pellini. "Temos uma dificuldade que não é do resto do País, que envolve o bioma Pampa", justificou a secretária. A solução, já que a emissão do Cadastro Ambiental Rural (CAR) está parada, será um decreto que definirá as regras para as atividades localizadas na área. As propriedades situadas na Mata Atlântica, na Metade Norte, podem fazer o CAR.

Segundo Ana, não haveria dificuldade, pois as regras são muito claras. "É rígida, mas ninguém questiona. Porém para o bioma, uma peculiaridade do Estado, não há regras", justificou. Ela lembrou que foi acertado com as federações do setor primário que os produtores encaminharão normalmente o cadastro na área da Mata Atlântica.

Para a Metade Sul, a secretaria admite que não será fácil atender a todos os anseios. O decreto definirá regras para plantio de soja na região. Também serão definidas as medidas compensatórias onde já houve avanços. Sobre o prazo, a secretária observou que não será fácil resolver, mas que o trabalho envolve conversações com ambientalistas e setor produtivo. Ana citou que o CAR foi feito por menos de 1% das propriedades.

COMENTÁRIOS
Hermes Vargas dos Santos - 18/03/2015 - 08h08
A fera voltou, e já mostrou as garras. Vão detonar o rio Guaíba, nem a cota de corte máximo está definida ... O rio Guaíba possui, na linha de navegação, cerca de 6 metros de profundidade, mas essa área não é do interesses das empresas mineradoras. Fora dessa linha, as profundidades são bem menores, com média abaixo de 3 metros. Nessa área é que ocorrerá a grande destruição ...


verdadedoi -
18/03/2015 - 09h04
Pontos comentados: 1º será mesmo a opinião dos técnicos da FEPAM? 2º se a capacidade do jacuí está esgotada como está assoreado? 3º me apresentem mineração sustentável.


Aleteia Santos -
18/03/2015 - 13h42
Parabens, sou moradora de Charqueadas, e essa desafogação da extração da areia veio um pouco tarde, retiram areia do Jacui a nais de 50 anos, nao deram nenhum descanso ao jacui deixando-o sem praias, isso tudo pela falta do manejo, tem que direcionar para outros lugares tambem, mas com controle ambienta.


Aleteia Santos -
18/03/2015 - 21h01
Parabens, sou moradora de Charqueadas, e essa desafogação da extração da areia veio um pouco tarde, retiram areia do Jacui a nais de 50 anos, nao deram nenhum descanso ao jacui deixando-o sem praias, isso tudo pela falta do manejo, tem que direcionar para outros lugares tambem, mas com controle ambienta.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Crise do setor de mineração é global, diz secretário do MME
Nogueira avaliou que a crise do setor de mineração é global e que faz parte do ciclo "de altos e baixos" do segmento
Glencore suspende operações em duas minas da África
A mineradora Glencore decidiu suspender suas operações em duas minas de cobre na África, na República Democrática do Congo e na Zâmbia
Número representa uma alta de 9,3 milhões de toneladas na produção
Vale registra produção recorde no segundo trimestre
Vale prevê sobreoferta de minério de ferro em 2015 e 2016
O executivo disse que os preços estão deprimidos, com os preços do insumo recém-inaugurando o patamar de cerca de US$ 45 a tonelada