Porto Alegre, quarta-feira, 21 de outubro de 2020.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
19°C
15°C
7°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 5,5230 5,5250 1,61%
Turismo/SP 4,7300 5,8120 0,44%
Paralelo/SP 4,7400 5,6700 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
209654
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
209654
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
209654
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

SAÚDE Notícia da edição impressa de 20/01/2015

Prefeituras se organizam para novo Mais Médicos

Rio Grande do Sul tem 106 cidades aptas a receber profissionais

Jessica Gustafson

ELZA FIUZA/ABR/JC
Desde 2013, 14.462 médicos do programa atendem em 3.785 municípios
Desde 2013, 14.462 médicos do programa atendem em 3.785 municípios

A seleção aberta na sexta-feira para a contratação de novos profissionais pelo programa Mais Médicos, do governo federal, trouxe a possibilidade para 1,5 mil prefeituras do País de preencherem vagas na área da atenção básica. No Estado, 106 municípios foram considerados aptos a participar da expansão do programa. As cidades e os médicos interessados precisam realizar a inscrição nos dias 28 e 29 de janeiro, respectivamente, no site http://maismedicos.saude.gov.br/. De acordo com o Ministério da Saúde, foram selecionadas as prefeituras que participaram do Programa de Valorização do Profissional da Atenção Básica (Provab) de 2014, que se encerra em fevereiro, e aquelas de maior vulnerabilidade econômica e social.

No Rio Grande Sul, foram escolhidas cidades de pequeno, médio e grande porte. Algumas receberão novos profissionais e outras apenas renovarão a permanência dos que já atuam na localidade. Esse é o caso de Alecrim, na região Noroeste. Com apenas 7 mil habitantes, sendo 75% deles moradores da zona rural, a cidade oferece apenas atendimento de baixa complexidade. O modelo de cobertura torna ainda mais necessário o suporte da atenção básica. Os casos mais graves são todos encaminhados para Santa Rosa.

“Atualmente, temos sete médicos na cidade, sendo dois deles estrangeiros e um brasileiro pelo Provab. São eles que atuam nas três Equipes de Saúde da Família. Hoje (ontem) realizamos o cadastro para que o profissional do Provab seja mantido. Isso é muito importante, pois sempre tivemos muita dificuldade de contratação”, afirma Jorge Leandro Krechowiecki, secretário municipal da Saúde.

Localizada no Litoral Sul, Rio Grande foi também uma das cidades selecionadas para receber profissionais. No município, já trabalham, por meio do Mais Médicos, sete cubanos, um uruguaio e um brasileiro. “Solicitamos no ano passado 15 profissionais, mas recebemos apenas nove. Neste momento, nossa equipe está fazendo o levantamento para avaliar o número de profissionais necessários”, afirma a secretária municipal da Saúde, Vera Elizabeth da Silva. Com mais de 200 mil habitantes, o município conta hoje com 34 Equipes de Saúde da Família. A secretária espera, com a chegada de mais profissionais, transformar sete postos de saúde tradicionais em Unidades de Saúde da Família, que oferecem atendimento multidisciplinar.

“Tínhamos deficiência de atendimento em alguns bairros e conseguimos ampliar a estrutura da atenção básica. Contamos, além do Hospital Universitário da Furg, que atende 100% pelo SUS, e da Santa Casa, que é filantrópica, com duas unidades mistas, que durante o dia realizam atendimento de estratégia da família e, a partir das 19h, viram locais de urgência e emergência”, explica Vera Elizabeth.

Alta rotatividade dos profissionais é o maior problema enfrentado pelo município de Canoas

Diversas cidades consideradas aptas pelo governo federal são da Região Metropolitana. Canoas é uma delas. Dos 17 médicos solicitados no ano passado, a localidade recebeu 11. Para o secretário municipal da Saúde, Marcelo Bósio, o programa qualificou a rede do município, pois uma das principais dificuldades no que tange à área é a alta rotatividade de profissionais. “Contratamos muitos médicos recém-formados, e eles acabam saindo rapidamente. Assim, nosso quadro fica frequentemente incompleto. Com o programa, temos a garantia de profissionais bem qualificados e que trabalham de segunda a sexta-feira”, relata.

Segundo Bósio, no momento do cadastro no site, o próprio Ministério de Saúde já define as vagas disponíveis para cada cidade. “Nós iremos solicitar o máximo de profissionais permitido para Canoas. Hoje (ontem), tentamos realizar a inscrição, mas não conseguimos. Acredito que muitas prefeituras estavam fazendo o processo no mesmo momento”, afirma. A cidade conta, atualmente, com 49 Equipes de Saúde da Família.

Alvorada também foi selecionada neste novo processo, contudo a assessoria da prefeitura afirmou que o município já encontra-se contemplado pelo número necessário de profissionais conforme as regras estabelecidas pelo programa, com 15 médicos e 29 equipes. “Para uma cobertura ideal de equipes, seria necessário ampliar não só os profissionais médicos, mas também de enfermagem, odontologia, entre outros, sendo necessárias mais estruturas físicas”, completou a nota enviada.

De acordo com o Ministério da Saúde, os médicos brasileiros continuam tendo prioridade na seleção. Na inscrição, cada profissional definirá até quatro cidades de diferentes perfis, conforme a sua prioridade. Os candidatos concorrem somente com aqueles que optarem pelos mesmos municípios e, quem não conseguir alocação, terá acesso às vagas remanescentes.

Criado em 2013, o programa ampliou à assistência na atenção básica fixando médicos nas regiões com carência de profissionais. Por meio da iniciativa, 14.462 mil médicos passaram a atender à população de 3.785 mil cidades, o equivalente a 68% dos municípios brasileiros e os 34 Distritos Sanitários Indígenas (DSEIs). Ontem, a remuneração dos médicos foi reajustada, passando de R$ 10 mil para R$ 10.513,01. A lista completa dos municípios aptos está no link http://portalsaude.saude.gov.br/images/pdf/2015/janeiro/15/Lista-1500-municipios-15.01.pdf.

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
CFM suspende idade limite para mulheres usarem técnicas de reprodução assistida
A decisão faz parte de resolução divulgada hoje (22) pelo Conselho Federal de Medicinal (CFM) que atualiza as regras para reprodução assistida no Brasi
Córneas podem ser doadas de seis a 12 horas depois da morte
Fila de espera para córnea dura menos de 30 dias
Porto Alegre terá edição do Farmacêutico na Praça neste domingo
Ação ocorre no Parque da Redenção, a partir das 8h, e é gratuita
Pesquisa: 89% dos clientes de planos de saúdes estão em operadoras bem avaliadas
Na faixa intermediária, com notas de 0,4 a 0,59, houve queda de 34,5% no número de operadoras