Porto Alegre, segunda-feira, 21 de janeiro de 2019.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
24°C
32°C
21°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,7700 3,7720 0,37%
Turismo/SP 3,7300 3,9300 0,51%
Paralelo/SP 3,7400 3,9400 0,51%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
133541
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
133541
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
133541
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

Governo do Estado Notícia da edição impressa de 16/12/2014

Sartori anuncia titulares de 10 secretarias

Com outros seis nomes a definir, número provável de pastas do primeiro escalão do peemedebista pode chegar a 21

Lívia Araújo

ANTONIO PAZ/JC
Sartori não evitou uma crítica à imprensa, que, segundo ele, teria apressado a divulgação
Sartori não evitou uma crítica à imprensa, que, segundo ele, teria apressado a divulgação

O governador eleito José Ivo Sartori (PMDB) anunciou, na tarde de ontem, dez novos nomes para compor o secretariado que assume a partir de 1 de janeiro. Além do pedetista Vieira da Cunha, que já havia sido confirmado para a secretaria de Educação, foram divulgadas por Sartori as definições para a secretaria de Segurança, que fica com o delegado da Polícia Federal Wantuir Brasil Jacini, atual secretário de Segurança de Mato Grosso do Sul; para a Secretaria de Obras, Saneamento e Habitação, será nomeado o deputado Gerson Burmann (PDT); Lucas Redecker (PSDB) ficará com a pasta de Minas e Energia; na de Transportes e Mobilidade, o deputado Pedro Westphalen (PP) será o titular; a secretaria de Agricultura ficará nas mãos do deputado estadual Ernani Polo (PP); para Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, foi confirmada Ana Pellini, ex-presidente da Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) no governo de Yeda Crusius (PSDB); Miki Breier (PSB) ficará com a secretaria do Trabalho; o médico João Gabbardo, que atualmente atua no Instituto de Cardiologia do Distrito Federal como superintendente, estará à frente da pasta da Saúde; e o promotor de Justiça Cesar Facciolli será o secretário de Justiça e Direitos Humanos.

Eles se somam aos peemedebistas já anunciados Giovani Feltes, para a Fazenda, Márcio Biolchi, para a chefia da Casa Civil e Carlos Búrigo, para a Secretaria-Geral de Governo. De acordo com Sartori, que concedeu entrevista coletiva no Centro de Treinamento da Companhia de Processamento de Dados do Rio Grande do Sul (Procergs), na zona Sul de Porto Alegre, ainda falta o anúncio para outras seis secretarias: Planejamento, Cultura, Desenvolvimento Econômico, Administração, Turismo, Esporte e Lazer, e Desenvolvimento Rural. Esta última está em negociação para que fique com o PSB.

Presente na coletiva, o deputado Beto Albuquerque (PSB), disse que também está em aberto a possibilidade de que a sigla tenha a titularidade da secretaria de Administração. “Vamos ter duas secretarias. Esse número foi um pedido do governador, que compreendemos. A redução de pastas é uma estratégia importante para reorganizar o Estado, e a proporção para os outros partidos também deve ser aquém do esperado”, disse.

De acordo com Beto, entre quarta e quinta-feira deve ser divulgada a decisão do partido sobre qual das áreas será escolhida. “Tínhamos a expectativa de ter três secretarias, mas vamos negociar com o governador a ampliação de nossa presença em outros setores”, adiantou. Sartori chegou a fazer um agradecimento público a Beto pela “compreensão”. “Mesmo que haja opiniões diferentes, Beto ajuda a fazer uma integração positiva com o governo”, ponderou. Sartori estava acompanhado do vice-governador José Paulo Cairoli (PSD), cujo partido ainda não foi confirmado em nenhuma secretaria.

Com os 13 nomes já anunciados, e as secretarias citadas pelo governador, chega-se a um total de 19 pastas, mas Sartori disse que o total de secretarias pode chegar a 21, sem especificar quais outras duas pastas podem ainda ser confirmadas. Hoje é o prazo final para que o governador eleito envie a proposta de secretariado para ser submetida à aprovação da Assembleia Legislativa.

Sartori também insinuou que houve pressão da imprensa para que o anúncio de parte do secretariado ocorresse ontem. Ele disse que teve de “se adaptar ao que a imprensa anunciou”, já que o governador teria prometido o anúncio somente para depois de 15 de dezembro.
Durante os anúncios, Sartori ressaltou características de alguns dos novos secretários, bem como o foco prioritário em suas respectivas áreas, como no caso de Wantuir Jacini, cujo “conhecimento de fronteira” pode ajudar na questão da segurança no Estado, bem como sua experiência como delegado da PF em diferentes estados e como secretário de Segurança do Mato Grosso do Sul. Na saúde, Sartori disse que o desafio do novo secretário João Gabbardo será “aumentar a regionalização e melhorar a saúde básica, com operacionalidade para desenvolver o serviço dentro de metas definidas”.

Cesar Facciolli, indicado por Sartori para a pasta de Justiça e Direitos Humanos, disse que aguarda, por parte do Conselho Superior do Ministério Público, onde atua como promotor de justiça, a liberação para que possa assumir a secretaria. Segundo Facciolli, a ideia é que ele tome conhecimento da estrutura atual da área e dos programas atualmente em andamento, para colocar em prática a visão do governo sobre temas como a homofobia e o racismo, adiantando sua compreensão sobre a área de direitos humanos. “Precisamos entender a ideia de tolerância como algo parcial e insuficiente. É preciso superar este conceito, para poder trabalhar a questão da convivência com as diferenças”, considerou.

Ana Pellini, confirmada na secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, revelou que a principal preocupação na pasta serão os recursos hídricos. “Nossas águas são a questão mais premente no país, porque é nosso futuro e é onde teremos de nos concentrar”, salientou.

Anunciado para ser o titular da secretaria da Agricultura, Ernani Polo ressaltou a priorização da questão da sanidade da cadeia produtiva do Estado, principalmente no que se refere à produção leiteira. Além disso, contará com o ex-ministro da Agricultura Francisco Turra (PP), como “conselheiro” para o desenvolvimento da área da agroindustrialização.

Estavam também presentes na coletiva o presidente da Assembleia Legislativa, Gilmar Sossella (PDT), além do presidente do PMDB, o deputado estadual Edson Brum, e Celso Bernardi, atual presidente do PP.

Composição do Executivo abre vagas para suplentes na Assembleia Legislativa

Dos dez secretários anunciados ontem pelo governador eleito José Ivo Sartori (PMDB), cinco são deputados estaduais que se reelegeram neste ano: Ernani Polo (PP) vai comandar a Secretaria da Agricultura; Pedro Westphalen (PP), a dos Transportes; Lucas Redecker (PSDB), a de Minas e Energias; Gerson Burmann (PDT), a de Obras, Saneamento e Viação; e Miki Breier (PSB), a do Trabalho. Com isso, assumem os suplentes dos quatro partidos, alterando a composição das bancadas na Assembleia Legislativa. Na bancada do PP, entram Marcel Van Hattem (que somou 35.345 votos durante o pleito) e Gerson Luis de Borba (29.420 votos). Na vaga de Burmann, assume a deputada Juliana Brizola (PDT), que fez 33.530 votos. No lugar de Redecker, entra Zilá Breitenbach (PSDB), que fez uma votação de 29.216. E a cadeira de Miki será ocupada pelo atual colega Catarina Paladini (PSB), que contabilizou 18.033 votos.

COMENTÁRIOS
TIAGO SILVA - 16/12/2014 - 09h23
O Governo Sartori nos dá esperança com os profissionais que irão lhe acompanhar no governo; dá para sonhar com um Rio Grande Grandioso novamente. A Equipe Sartori tem tudo para fazer o RS dar a volta por cima.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Sartori sustenta que rever o passivo do Estado é 'condição vital' para as finanças
Executivo pede ao STF revisão da dívida
Feltes calcula que depósitos judiciais só cobrem a folha de setembro
Depósitos judiciais cobrem apenas folha de setembro
Em coletiva à imprensa, Sartori anunciou ação no STF
Governo do Estado entra com ação no STF
Governo do Estado fecha acordo com PDT para aprovação de aumento de ICMS
Se for aprovada pelo Legislativo gaúcho, a proposta pode dar espaço a um efeito cascata e motivar iniciativas similares de outros governos estaduais