Porto Alegre, domingo, 23 de janeiro de 2022.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
19°C
15°C
7°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 5,5230 5,5250 1,61%
Turismo/SP 4,7300 5,8120 0,44%
Paralelo/SP 4,7400 5,6700 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
134363
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
134363
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
134363
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

Ciência 20/11/2014 - 15h59min

Fóssil de 240 milhões de anos é encontrado no Interior do Rio Grande do Sul

CAPPA UFSM/DIVULGAÇÃO/JC
Fóssil estava localizado na margem de um açude em uma propriedade particular
Fóssil estava localizado na margem de um açude em uma propriedade particular

Uma equipe composta por pesquisadores da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra) e da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) realizou a descoberta de um fóssil de 240 milhões de anos (Período Tríassico Médio). O achado ocorreu no município de Dona Francisca, região Central do Estado. O fóssil estava localizado na margem de um açude em uma propriedade particular.

O espécime encontrado pertence ao grupo dos cinodontes, representados atualmente pelos mamíferos. Os cinodontes são conhecidos pelas semelhanças anatômicas com os cães e apresentavam tamanho médio, de aproximadamente 50 centímetros. Contudo, também existiram espécimes do tamanho de camundongos ou de até 1,5 metro de comprimento.

O fóssil será coletado e encaminhado para o Centro de Apoio à Pesquisa Paleontológica da UFSM em São João do Polêsine, onde será submetido à fase de preparação, que consiste na remoção do sedimento para estudar o espécime em detalhes. A existência do crânio permitirá comparações com um espécime coletado em 2009. Além disso, a ocorrência de um gênero africano em rochas gaúchas corrobora a existência da união de todas as massas continentais em um único supercontinente, conhecido como Pangeia.

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Pesquisadores iniciam estudo de titanossauro encontrado em Marília
Pesquisadores da UnB começam a se debruçar sobre os ossos de um dinossauro que viveu há 70 milhões de anos
Cientistas brasileiros usam açafrão para eliminar mosquito da dengue
Cientistas da USP de São Carlos e da Ufscar viram que a curcumina, molécula presente no tempero, prejudica o desenvolvimento das larvas de Aedes aegypti
‘Peixe lagarto’ foi da terra para o mar, diz estudo
Um grupo de cientistas encontrou na China o primeiro fóssil de um ictiossauro anfíbio
Semana Nacional de Ciência e Tecnologia inicia nesta segunda
Em sua 11ª edição, evento busca popularizar a ciência e mostrar sua importância no desenvolvimento do país, além de incentivar a atitude científica e a inovação