Porto Alegre, terça-feira, 10 de dezembro de 2019.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
23°C
35°C
20°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,1300 4,1320 0,33%
Turismo/SP 4,0900 4,3400 1,13%
Paralelo/SP 4,1000 4,3300 1,14%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
125311
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
125311
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
125311
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

Cultura Notícia da edição impressa de 11/08/2014

Ufrgs debate a economia criativa

Leonel Mittmann

MARCO QUINTANA/JC
Joana Burd, do Acervo Independente, participa do Observatório de Economia Criativa
Joana Burd, do Acervo Independente, participa do Observatório de Economia Criativa

Financiamento coletivo, tradução da palavra crowdfunding; coworking, que significa compartilhar um espaço de trabalho por diferentes profissionais; e crowdsourcing, que é um modelo de criação coletiva e voluntária em massa. Esses novos conceitos têm ganhado cada vez mais reconhecimento e vêm servindo de suporte para iniciar projetos de uma também nova estrutura financeira, chamada de Economia Criativa. Para discutir esse sistema contemporâneo, a Ufrgs  realiza hoje o Observatório de Economia Criativa (Obec). O primeiro evento sobre o tema na universidade promove, conjuntamente, o encontro Conexões Criativas e o curso de Economia da Cultura, Gestão e Desenvolvimento.

A conferência de abertura começa às 19h, na Sala Fahrion (Paulo Gama, 110, 2º andar). O seminário Conexões Criativas acontece até dia 14 e o curso de Economia da Cultura, Gestão e Desenvolvimento segue até dia 15 de agosto, em horários alternados. O Obec é um projeto em rede, e a ideia é identificar as atividades em pesquisa, extensão e ensino que já existem na universidade e como isso pode ser catalisado para a sociedade. Coordenado pela Faculdade de Ciências Econômicas e o Departamento de Difusão Cultural, o projeto tem intenção de formar e capacitar recursos humanos no campo da Economia Criativa, Cultura e Desenvolvimento.

A iniciativa é uma parceria com a Secretaria Nacional de Economia Criativa e tem como coparticipantes as universidades federais da Bahia, Fluminense, do Amazonas, de Goiás e de Brasília. “O principal ponto é entender os modelos de negócio que estão surgindo e criar mecanismos não para englobá-los como políticas públicas, mas para incentivá-los”, esclarece o coordenador-geral do Obec, Leandro Valiati.

Economia criativa é um grupo de atividades econômicas conectadas por alguns pontos de associação, mas que não são necessariamente exclusivas de determinadas áreas. Valiati cita alguns aspectos fundamentais: as funções estão associadas a novas tecnologias de informação e comunicação e estão ligadas a alguns elementos culturais que unem o produto cultural a novas formas de difusão de comércio. Esses setores têm uma presença muito importante na geração de empregos e rendas qualificadas, e isso representa uma estratégia de difusão de produtos no mundo. Crowdfunding, coworking e crowdsourcing representam uma dimensão contemporânea em relação aos direitos de propriedade intelectual e a estruturação de mercado, esse é o quarto aspecto.

Começou-se a falar em economia criativa quando a Unctad (Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento) promoveu um relatório que qualificou e agregou os fluxos internacionais desse setor pelo mundo. Para enfrentar um processo de desindustrialização houve uma reconversão das estratégias produtivas para essas atividades. A partir de então, Economia Criativa passou a ser entendida como um campo de ação de políticas públicas.

“Pensar nessas atividades conjuntamente significa reconhecer que são portadoras de padrões mais elevados de desenvolvimento num contexto econômico contemporâneo”, ratifica Valiati. Um case de sucesso, que participa do Conexões Criativas, é o do coworking artístico Acervo Independente. O casarão antigo de três andares, localizado na rua General Auto, 219, é ocupado por 12 profissionais de diferentes áreas, como artistas visuais, arquitetos, escritores, designers e publicitários. A ideia foi financiada pelo sistema crowdfunding da plataforma Catarse, que teve 332 apoiadores e arrecadou R$ 21 mil. “A ideia é não ser uma arte elitizada. O coletivo acaba virando um espaço para o profissional desenvolver um trabalho que no mercado é complicado. Nem todo mundo consegue se sustentar com sua arte”, revela a artista e gestora do Acervo Independente Joana Burd.

Uma das problemáticas do sistema artístico, recorrente na economia criativa, é a democratização da arte. Alguns artistas (geralmente quem tem obras em museus) ganham fortunas, enquanto outros não recebem o suficiente para sobreviver. O curador e coordenador do Museu de Arte de São Paulo (Masp), Teixeira Coelho, um dos palestrantes, adiantou que abordará a terminologia, saber o que isso engloba e relativizar o papel da economia na política cultural. Ele diz que o conceito não interfere em nada dentro de museus e também que não resolve a disparidade de valor no mercado. Coelho lança também a seguinte interrogação: “Existe democracia em arte? Deve existir? Quem garante isso?” Questões a serem respondidas durante o evento.

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Suspensão de edital da TVE acendeu debate sobre financiamento
Produtores gaúchos lutam por recursos
Filósofo Kwame Appiah é atração hoje do curso de altos estudos
Kwame Appiah discute globalização no Fronteiras do Pensamento
Concerto celebra os 90 anos de Eva Sopher, que há quatro décadas luta pelo Theatro São Pedro
Eva Sopher, pequena gigante
Escritora e ex-freira Karen Armstrong abre hoje ciclo de conferências
Karen Armstrong abre o Fronteiras do Pensamento