Porto Alegre, segunda-feira, 21 de janeiro de 2019.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
24°C
32°C
21°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,7700 3,7720 0,37%
Turismo/SP 3,7300 3,9300 0,51%
Paralelo/SP 3,7400 3,9400 0,51%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
127945
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
127945
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
127945
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

INVESTIMENTOS Notícia da edição impressa de 24/07/2014

Campo Bom ganhará indústria de poliureia

Produto químico, muito aplicado em obras de infraestrutura, deve começar a ser produzido em janeiro de 2015

Jefferson Klein

MKT FCC/DIVULGAÇÃO/JC
Unidade receberá um aporte de R$ 7 milhões e as obras estão previstas para iniciar no próximo mês
Unidade receberá um aporte de R$ 7 milhões e as obras estão previstas para iniciar no próximo mês

A aliança entre o grupo gaúcho FCC e a norte-americana Nukote possibilitará a instalação de uma fábrica de poliureia no município de Campo Bom. O produto químico é muito aplicado em obras de infraestrutura. O investimento na unidade será de R$ 7 milhões e as obras começarão no próximo mês. A perspectiva é de que o início da produção ocorra em janeiro de 2015.

O diretor-executivo do Grupo FCC, Carlos Bremer, detalha que a negociação entre as partes levou cerca de um ano para ser consolidada. A joint venture formada tem a participação de 50% e 50% de cada companhia. O empresário ressalta que a poliureia representa um negócio promissor, uma vez que o produto tem características múltiplas, funcionando, genericamente, como um sistema de proteção, com propriedades de impermeabilização. Na área de tubulações, por exemplo, ajuda a evitar vazamentos e também atua como anticorrosivo. Uma famosa iniciativa que teve o emprego desse material recentemente foi a reforma do Maracanã.

As matérias-primas da poliureia são constituídas de produtos químicos conhecidos como alifáticos e aromáticos, que serão procedentes do Polo Petroquímico de Triunfo e importados. O grupo FCC, até agora, não tinha esse item dentro do seu portfólio. O gerente de novos negócios da empresa, Marcelo Reichert, afirma que o intuito da união com a Nukote é desenvolver um nicho de mercado. Entre os segmentos-alvo estão os de saneamento, mineração, geração de energia e óleo e gás.

O dirigente explica que o maior uso da poliureia no Brasil, hoje, é em pisos e coberturas. “Esse não é um mercado muito grande, algo em torno de 1 milhão de litros anuais.” Praticamente toda essa demanda é atendida por insumos importados. O complexo gaúcho será mais do que suficiente para atender a essa necessidade, pois a capacidade da unidade será de aproximadamente 2 milhões de litros ao ano, o que corresponde ao atual consumo de toda a América Latina. Reichert acrescenta que, enquanto a FCC contribuirá com a produção e gestão da operação do empreendimento, a Nukote será responsável pela área comercial e de marketing, sendo que esse departamento ficará sediado em Belo Horizonte.

Fundada há 45 anos, a FCC tornou-se uma das indústrias líderes globais em elastômeros termoplásticos e adesivos à base de água. A empresa se destaca na fabricação de matérias-primas para diversos segmentos industriais, como automotivo, moveleiro, coureiro-calçadista, construção civil, saúde e higiene e operações de montagem. Além da matriz em Campo Bom, são outras três plantas de produção, na Bahia, no Ceará e no Uruguai, dois centros de distribuição, um em São Paulo e outro na China, e uma parceria industrial em Rosário, na Argentina.

Em 2013, o grupo registrou faturamento líquido consolidado de R$ 300 milhões, incluindo exportações para mais de 10 destinos. Já a Nukote é líder mundial na fabricação e comercialização de poliureia e possui operações nos países Estados Unidos, China, Índia, Oriente Médio, Austrália, África e Tailândia.

COMENTÁRIOS
Jorge Costa - 17/08/2014 - 20h21
Gostaria muito de saber mais sobre o produtor de Isocianatos no polo petroquimico do Sul, pois segundo a revista PU 46 afirmava que so a Bayer e a Dow produz essas materias primas no Brasil. No aguardo

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Decreto autoriza transferência obrigatória para três obras do PAC
As transferências obrigatórias para obras do PAC são autorizadas com frequência pelo governo
Bndes capta R$ 1 bilhão no mercado alemão para projetos de transporte público
Os projetos, porém, terão de ser inovadores e sustentáveis, respeitando o meio ambiente, conforme estabelece o contrato firmado
Governador encontra-se com empresários de organizações japonesas
Rio Grande do Sul tenta atrair investimentos japoneses
Bndes pretende captar cerca de R$ 8 bilhões com emissões de títulos
Neste ano, o banco já captou em torno de R$ 3 bilhões com Letras de Crédito do Agronegócio