Porto Alegre, sábado, 18 de setembro de 2021.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
19°C
15°C
7°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 5,5230 5,5250 1,61%
Turismo/SP 4,7300 5,8120 0,44%
Paralelo/SP 4,7400 5,6700 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
694938
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
694938
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
694938
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

COPA 2014 Notícia da edição impressa de 02/07/2014

Colaboração foi decisiva na execução do Mundial

PGQP atuou com planejamento e monitoramento de 232 projetos

Patrícia Comunello

MARCELO G. RIBEIRO/JC
Felizzola e Pierry apresentaram a atuação das equipes envolvidas
Felizzola e Pierry apresentaram a atuação das equipes envolvidas

Planejamento e monitoramento de 232 projetos que atingiam a Copa do Mundo em Porto Alegre garantiram parte do êxito do evento. E um dos ingredientes que uniu diversas frentes dessa mobilização foi a colaboração. As dezenas de áreas da prefeitura da Capital envolvidas – de trânsito à saúde e a relação com setores da economia e da comunidade – contaram com apoio de equipes do Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade (PGQP) para reduzir riscos com, por exemplo, falta de previsão orçamentária. O balanço preliminar feito pelo comando do programa, ontem, serviu para ressaltar os trunfos de compartilhamento de soluções para gerir um evento da dimensão da Copa.

O presidente do conselho do PGQP, o empresário Ricardo Felizzola, ressaltou que, mesmo a frustração com projetos ainda por finalizar – como em mobilidade –, houve um feito no volume executado para o padrão do setor público. “Foi muita obra no País em um período tão curto. A Copa virou exemplo, portanto não dá para dizer que não dá para fazer”, provoca. Para Felizzola, a experiência de firmar contrato com um organismo internacional como a Fifa, que envolveu compromissos e cobranças que chegaram a gerar polêmica internamente, deveria ser mais corriqueira para permitir melhorias.

“Estima-se em R$ 600 bilhões a necessidades de investimentos em infraestrutura para elevar a competitividade”, dimensionou Felizzola. O secretário executivo do programa, Luiz Pierry, explicou que a condução sem sobressaltos da infraestrutura e serviços para a Copa em Porto Alegre foi planejada e organizada no período de definição da subsede, em 2009. A sistemática foi efeito da implantação de um planejamento estratégico, baseado no modelo do PGQP, desde 2005. “Eram 232 projetos que envolviam alguma ação do evento, detalhamos todos e vinculamos com o orçamento, o que assegurou recursos”, citou Pierry. “Comparamos com outras capitais, e aqui houve muito mais organização.” O secretário executivo do programa avalia que o resultado poderia ter sido melhor se os projetos maiores de mobilidade tivessem sido concluídos. 

Se a Copa testou o trabalho de várias frentes, o dia a dia das empresas depende cada vez mais da colaboração das pessoas nas várias áreas do negócio. O tema é foco do 15º Congresso Internacional da Gestão, que será realizado pelo PGQP nos dias 7 e 8 de agosto. Felizzola aponta que o uso de tecnologias, como redes sociais e outros canais, aceleram a troca de ideias e decisões, o que influência mudanças e novos processos internos. ”Mas depende da cabeça da liderança para entender que isso promove melhorias”, previne o empresário. Felizzola observou que as empresas mais novas mostram maior facilidade em lidar com essa cultura. “As tradicionais dependem do líder.”

No congresso no Centro de Eventos da Fiergs, não vão faltar exemplos de organizações que estão colhendo resultados operando conexões internas e aumento de qualidade e dos resultados. Também serão destacadas plataformas, engajamento e empreendedorismo que envolvem empresas, organizações sociais e governos. “Cada vez mais seremos capazes de gerar resultados a partir das conexões e relacionamentos”, reforça Felizzola. São esperadas mais de 7 mil participantes. Conferencistas nacionais e internacionais do ramo de gestão, inovação, tecnologia e treinamento de recursos humanos estarão entre as atrações. Paralelo ao congresso, ocorre a Feira de Conhecimento e Resultados da Gestão, o 19º Prêmio Qualidade RS e o 4º Prêmio Inovação PGQP.

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Institutos europeus dizem que Brasil ‘perdeu’ com Copa
Para membros da Fifa, o impacto real da Copa no Brasil apenas será conhecido em um prazo de cinco anos
Copa elevou percepção de demanda fraca em serviços
Para a Fundação Getulio Vargas (FGV), que apura o índice, este padrão "confirma o efeito negativo da paralisação parcial das atividades durante a Copa"
Visa divulga gastos com cartões em estádios e Fan Fest
No total, foram feitas 582,3 mil transações financeiras de 12 de junho a 13 de julho nas 12 cidades-sede do mundial
Segundo ANTT, 19 mil turistas chegaram ao País de ônibus na Copa
Os fretamentos internos somaram 6.869 viagens com destino às cidades-sede, o que representa 32% do total de deslocamentos interestaduais realizados no período do Mundial