Porto Alegre, terça-feira, 18 de junho de 2019.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
19°C
24°C
12°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,8990 3,9010 0,02%
Turismo/SP 3,8600 4,0600 0,49%
Paralelo/SP 3,8700 4,0700 0,49%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
185044
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
185044
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
185044
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

Vitivinicultura Notícia da edição impressa de 02/06/2014

Preço e variedade atraem na Feira do Vinho

Evento na Usina do Gasômetro trouxe 25 vinícolas, expositores de embutidos, artesanato e opções gastronômicas
GILMAR LUÍS/JC
Edição 2014 espera comercializar 18 mil garrafas da bebida e de sucos
Edição 2014 espera comercializar 18 mil garrafas da bebida e de sucos

Preços cerca de 20% mais baixos que os dos pontos de venda tradicionais e maior diversidade de vinícolas atraíram consumidores e apreciadores de vinhos no fim de semana em Porto Alegre. A 11ª feira do Vinho, na Usina do Gasômetro, deve superar a comercialização de 18 mil garrafas, entre variedades da bebida e sucos de uva. Estandes de comidinhas para harmonizar com as opções compradas pelo público também foram considerados diferenciais para quem foi ao centro cultural desde o dia 28 de maio, quando a feira começou. A promoção das vinícolas gaúchas deve se prolongar com eventos dos próprios organizadores da feira durante a Copa do Mundo de 2014, no Parque da Harmonia.

Vinte e cinco vinícolas (três estreantes), cinco tendas de frios (queijos e salames), barraquinhas de artesanato e cinco opções de quitutes gastronômicos do movimento Comida de Rua abasteceram o público nos cinco dias. O comerciante de veículos Marcos Caldart foi pela primeira vez à feira no sábado e voltou ontem para reforçar o estoque de vinhos, espumantes, sucos e frios. Para se certificar da vantagem de comprar na mostra, Caldart pesquisou antes no supermercado os valores. “Estou comprando uma espumante por R$ 35,00, e no supermercado, não sai por menos de R$ 45,00”, citou, ressaltando que encontrou na feira mais opções de bebidas das safras gaúchas e de casas que nem sempre estão disponíveis. “Prefiro sempre as nossas marcas, por qualidade e preço”, destacou Caldart.

Entre os estreantes, os donos da Granja da Telha, de Canela, viram na feira a chance de mostrar ao público produtos que começaram a ser produzidos há oito anos. O enólogo e um dos donos, San Martini Ferreira, encara a degustação e frequentadores de perfil muito variado como marcas da programação. Com média da garrafa de vinho de varietais a R$ 14,00, Ferreira apontou comprovou intensa pelo suco de uva. “Quem prova o nosso percebe a diferença”, propagandeou. Vendedora dos vinhos produzidos pela Fazenda Guatambu em Dom Pedrito, Maria Helena Lima surpreendeu-se com o interesse na marca. “As pessoas não conhecem e acham que vinho existe na Serra Gaúcha”, observou Maria Helena. É o primeiro ano da empresa, com a coleção Rastro do Pampa, que vendeu quase 300 garrafas até a tarde de ontem.

A Casa Valduga, entre as maiores conhecidas no País e presente no mercado externo, registrou venda 30% maior neste ano em relação a 2013. Leo Dreher, consultor comercial, destacou que o ambiente atraiu mais o público e somou mil garrafas somente de vinhos e espumantes. Ontem, as últimas unidades estavam no balcão, entre elas o Merlot História, o principal ícone da vinícola e com preço de R$ 300,00. Apenas uma garrafa ainda estava disponível. “É uma safra especial, feita a cada quatro anos, com número restrito de garrafas, em que 90% da produção foi vendida antes de ficar pronta”, valorizou Dreher. O consultor citou que a proximidade com o Mundial, que terá eventos de promoção e degustação no Parque da Harmonia, favoreceu a feira. 

Na gastronomia, a chef Juliana Ferreira apresentou sanduíches com queijos finos e ajudou muitos visitantes a combinar adequadamente vinho e comida. Pietro Rocha, do Guia Colaborativo de Gastronomia Consciente, elaborou carreteiro de charque e pinhão, inspirado nos vinhos produzidos pelas diversas regiões do Estado. “Há um grande potencial a ser explorado com as duas áreas.”

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Dunamis aposta na filosofia de negócios desde 2001 e, atualmente, possui videiras próprias no Estado
Vinícolas optam por terceirizar a produção
Scottá defende benefícios tributários para a cadeira do vinho
Indústrias esperam por maior apoio em 2015
Patrícia vê oportunidade para outros rótulos, como o Dádivas
Depois da Copa, Lidio Carraro aproveita vitrine
Enoturismo e gastronomia integram alendário dos eventos que celebram a tradição vitivinícola gaúcha
Semana do Vinho intensifica programações para o Estado