Porto Alegre, quinta-feira, 17 de outubro de 2019.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
21°C
22°C
16°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,1700 4,1720 0,36%
Turismo/SP 4,1100 4,3680 0,04%
Paralelo/SP 4,1200 4,3600 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
160632
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
160632
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
160632
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

Destaques do Ano 2013 Notícia da edição impressa de 16/05/2014

Fundação Liberato é aliada do desenvolvimento do Estado

ANTONIO PAZ/JC
Formação plural diferencia entidade, afirma o diretor-executivo, Leo Weber
Formação plural diferencia entidade, afirma o diretor-executivo, Leo Weber

Quarenta e sete anos de atuação em formação profissional. Esse é apenas um dos legados da Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha, que disponibiliza cursos voltados para a área industrial e que contabiliza cerca de 3.500 alunos matriculados.

Voltada para o ensino profissional de nível técnico, atualmente a Liberato possui cursos diurnos e noturnos. Os diurnos são integrados com o Ensino Médio, duram quatro anos e exigem 720 horas de estágio supervisionado em empresas. As possibilidades de atuação são nas áreas de Química, Mecânica, Eletrotécnica e Eletrônica. Já os cursos noturnos são subsequentes ao Ensino Médio, têm duração de cinco semestres e também pedem 720 horas de estágio. As especializações oferecidas são as mesmas que os cursos diurnos, mais Segurança do Trabalho, Automotivo e Design.

A Liberato é pública, mantida pelo governo do Estado. Originou-se de um governo tripartite, unindo esforços do Ministério da Educação, do Estado e da prefeitura de Novo Hamburgo. “É uma instituição de educação profissional, que já começou muito relacionada com o setor produtivo”, comenta o diretor executivo Leo Weber.

O primeiro curso criado foi o de Química, motivado pela implantação do Polo Petroquímico em Triunfo. “Ao longo desses anos, os cursos técnicos sempre foram criados tendo relação com o desenvolvimento da economia do Estado. O segundo e o terceiro cursos, por exemplo, foram de Eletrotécnica e Mecânica, com a intenção de fortalecer a indústria básica da região. Na década de 1980, houve a crise na indústria calçadista e criamos as aulas de Eletrônica”, explica Weber. Outros cursos iniciados na década de 1980 foram os de Segurança do Trabalho e Automotivo, ligados ao começo da indústria automotiva nos arredores. Mais recentemente, em virtude das demandas, foram abertos os cursos de Design e Informática. “Hoje, há uma demanda muito grande de aprendizagem nessa área”, destaca o diretor executivo.

Produção de trabalhos científicos é destaque

O que orienta o “fazer educacional” da Liberato, segundo Leo Weber, é seu projeto político-pedagógico. “Esse é o nosso grande diferencial. Buscamos a formação integral dos alunos, que passam por uma formação também de cidadania e humanidade. Procuramos articular atividades que façam o estudante aprender a pensar”, afirma. Eventos como festival de teatro, música, concurso de crônicas e poesia são promovidos com essa finalidade pela instituição.

A ideia é oferecer uma formação científica e tecnológica forte, mas aliada a uma formação plural. Assim, desde o início dos estudos, os alunos participam de projetos de pesquisa, utilizando a metodologia científica como ferramenta. “Esses trabalhos são realizados com os professores, em grupo, buscando resolver problemas do cotidiano. Soluções criativas, inovadoras, sustentáveis e éticas”, define o diretor executivo.

A formação plural proposta pela Liberato causaria mudança no comportamento das pessoas. “Ela faz com que o aluno tenha proatividade, busque soluções para os problemas e não seja apenas mais um que reclama, mas aceita. O nosso estudante quer mudar sua vida para melhor, e isso é fundamental. Essa busca por uma solução é 99% transpiração. É um caminho longo, mas dá uma perspectiva para a solução e ensina a importância de trabalhar em grupo e ser proativo”, pondera Weber.

Conforme o diretor executivo, a Liberato foi uma das primeiras instituições de Ensino Médio do Brasil a se voltarem para a educação profissional como ferramenta pedagógica. “Não se pode dissociar o ensino da ciência a nenhum nível de ensino. Com ela, o aluno se motiva, cria um brilho nos olhos para solucionar os problemas. Isso faz toda a diferença, muda a relação do professor com o aluno. O professor deixa de ser somente aquele que está ensinando, mas também aquele que interage”, ressalta. Anualmente, cerca de 500 trabalhos de conclusão de curso são feitos no Liberato. O objetivo é aprofundar algum tema, que vai desde o estudo de um princípio já desenvolvido até a busca de soluções inovadoras. “Nesse percurso de procura de soluções através de um método científico, surgem talentos que nem imaginávamos que existissem, porque o aluno escolhe um tema de que goste, não é só uma repetição do que ouve em sala de aula”, diz Weber.

De acordo com levantamento da instituição, mais de 80% dos egressos da Liberato são empregados na área em que se formam. Além disso, em torno de 60% continuam os estudos naquela área em um curso superior. “Muitos trabalhos que começam aqui têm prosseguimento, seja como microempresas, produtos ou pesquisas em universidades”, enfatiza o diretor executivo.

Os textos já publicados dos premiados estão linkados abaixo:
Comércio: FCDL-RS
Desenvolvimento: Badesul
Destaque Especial: Expointer
Dirigente Financeiro: Túlio Zamin
Educação: Fundação Liberato
Empreendedorismo Jovem: Junior Achievement
Empresário do Ano: André Gerdau Johannpeter
Entidade: Agas
Hotelaria: Hotel Dall'onder
Laboratório: Endocrimeta
Máquinas Agrícolas: Stara
Pesquisa Científica: Fapergs - 50 anos
Revenda de Carro: Panambra
Seguros: Icatu Seguros
Shopping Center: M.Grupo
Sindicato: Secovi
COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Lideranças de entidades, empresários e gestores públicos receberam o reconhecimento na solenidade
Jornal do Comércio reconhece contribuição ao desenvolvimento
Para Mércio Tumelero, 2014 é um ano de oportunidades
Destaques do Ano do JC aponta os avanços e os desafios do País
Destaques do Ano serão reconhecidos hoje pelo JC
Tradicional premiação celebra o aniversário de 81 anos do Jornal do Comércio e o Dia da Indústria
Trabalho do secretário da Agricultura tem foco no aumento da renda e da qualidade
Fioreze dá continuidade ao legado da gestão no Parque Assis Brasil