Porto Alegre, sexta-feira, 07 de agosto de 2020.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
22°C
25°C
13°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 5,5230 5,5250 1,61%
Turismo/SP 4,7300 5,8120 0,44%
Paralelo/SP 4,7400 5,6700 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
107447
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
107447
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
107447
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

TRÂNSITO Notícia da edição impressa de 25/02/2014

Simuladores podem deixar de ser obrigatórios no País

Projeto de lei que suspende resolução do Contran sobre necessidade de horas/aula no aparelho será votado hoje pela Câmara Federal

Isabella Sander

GUSTAVO GARGIONI/ESPECIAL PALACIO PIRATINI/DIVULGAÇÃO/JC
Kauer defende a utilização de simuladores por autoescolas
Kauer defende a utilização de simuladores por autoescolas

A Câmara dos Deputados votará hoje, em sessão extraordinária, um projeto de lei que suspende os efeitos de resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), o qual exige o uso de simuladores de direção pelas autoescolas. O Projeto de Decreto Legislativo 1.263/13 é de autoria do deputado Marcelo Almeida (PMDB-PR), que alega que, além de estimular a formação de um cartel de empresas e deixar a carteira de motorista mais cara, o uso do simulador não vai reduzir a violência no trânsito. O aparelho necessário custa cerca de R$ 35 mil.

O diretor-geral do Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Sul (Detran/RS), Leonardo Kauer, faz parte de um grupo de entidades que mobiliza-se contra a revogação da obrigatoriedade de 5 horas/aula usando simuladores de direção na formação de novos condutores. O órgão estadual tem apoio da Associação Nacional dos Detrans, da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), da Federação Nacional das Autoescolas (Feneauto) e dos deputados federais Vicentinho (PT-SP) e Henrique Fontana (PT-RS), este último, presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Trânsito Seguro.

“Estamos mobilizados e já conseguimos que o projeto não entrasse em votação na semana passada, para que pudéssemos fazer uma campanha maior em cima do assunto”, afirma Kauer. Entretanto, o diretor-geral não se mostra muito otimista em relação à decisão dos parlamentares, que ocorrerá às 16h. “Sinto que há uma tendência à aprovação do projeto. Mas nunca se sabe, é difícil de prever”, pondera.

A resolução do Contran é de abrangência nacional. Segundo Kauer, o Rio Grande do Sul foi pioneiro em adotar o modo experimental pré-prático (simulador). “Testamos o sistema. Alguns estados ficaram refratários e, outros, retardatários nesse processo, mas houve locais que ficaram insatisfeitos com a obrigatoriedade, em função do custo”, diz.

A ideia de que o acréscimo do valor do aparelho no preço da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) torne a formação mais cara é rechaçada pelo diretor-geral. “Em média, os candidatos costumam fazer 28 horas/aula para se sentirem seguros para realizar a prova, ou seja, oito horas a mais do que o obrigatório. No Brasil, a média é maior, de 34 a 35 horas. Há estudos que fizemos que comprovam que, com os simuladores, o número de horas/aula é menor, porque não há interferência de fatores como clima e outros veículos na rua, que dão insegurança ao aluno. Por isso, o gasto dele acaba sendo menor com o simulador”, justifica. E solta uma provocação: “Alguns gestores podem pensar que não é bom aumentar o valor da CNH em ano de eleição, mas nós acreditamos que uma vida não tem preço”.

COMENTÁRIOS
NAYARA - 25/02/2014 - 12h24
Falam que vai ser bom, sendo que não existe nenhuma pesquisa que comprove sua eficaz, e outra quero ver na hora que o consumidor sentir no bolso, ai quero ver se vão achar bom mesmo, porque quem acaba pagando como sempre é o consumidor. Alguma coisa ta errada, porque um simulador de um avião é em torno de quinze mil reais, sendo que um avião custa mais de dois milhões de reais, e esse simulador de veículo que estão querendo OBRIGAR os 12 mil CFCs do Brasil a comprar, custa 40.000 mil reais (FORA


loivor joao pastore -
25/02/2014 - 20h31
Estou na atividade a 23 anos possuo 02 CFCs em minha cidade, se for para melhorar o transito, ja que estao afirmando que 20horas de prática de direçao veicular é pouco,é muito simples entao, basta aumentar este numero para 25 aulas práticas, resolvemos o problema e nao precisamos investir em uma mega estrutura,que sabemos que nao terá vida longa, afinal os veículos ja possuimos. para quem nao lembra em 1980 se nao me falha a memória o setor ja passou por isto e em seguida foi suspenso.


Jorge -
26/02/2014 - 11h27
tenho cfc em alvorada RS, ate agora não conseguimos dar aula o simulador só tem problema a empresa contratada não da suporte presencial só via tel. e já temos que fazer as macacões de aulas.


fernando -
26/02/2014 - 16h41
E O KIT PRONTO SOCORRO ?

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Para Fortunati, regras só são obedecidas quando pesam no bolso
Acidentes são maior causa de internações de urgência
O ato foi conduzido pelo prefeito José Fortunati
Prefeitura apresenta documento sobre trânsito de Porto Alegre
Motos já são a principal causa de acidentes no trânsito, diz especialista
Os acidentes envolvendo motos já são a principal causa de ocorrências de trânsito no país, ultrapassando os atropelamentos de pedestres
Movimento próximo a Arena do Grêmio está normal, segundo a Concepa
Fluxo tranquilo na Free Way em direção ao litoral gaúcho