Porto Alegre, segunda-feira, 18 de outubro de 2021.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
19°C
15°C
7°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 5,5230 5,5250 1,61%
Turismo/SP 4,7300 5,8120 0,44%
Paralelo/SP 4,7400 5,6700 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
188900
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
188900
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
188900
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

Petróleo 23/12/2013 - 07h27min

Shell pode vender até US$ 30 bilhões de ativos em 2014

A Shell pode iniciar a venda de até US$ 30 bilhões (18 bilhões de libras) de ativos em 2014 depois que as fracas margens de refino e o roubo de petróleo na Nigéria causaram uma forte queda nos lucros, informou o The Daily Telegraph nesta segunda-feira (23).

Os ativos que poderiam ser vendidos incluem uma participação de US$ 7 bilhões na Woodside Petroleum, segunda maior produtora de petróleo e gás da Austrália, US$ 2 bilhões em ativos de petróleo no Delta do Níger, de acordo com analistas de petróleo e gás da JP Morgan Cazenove.
De acordo com a publicação, no mês passado, Peter Voser, executivo-chefe da Shell, disse que a companhia entraria em uma fase de desinvestimentos.

Segundo Fred Lucas, do JP Morgan Cazenove, a orientação da Shell para as despesas de capital implica a venda de pelo menos US$ 15 bilhões de ativos durante os próximos dois anos.

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Petroleiros iniciam greve contra propostas da Petrobras com atraso nas operações
A Petrobras informou que "as negociações do Acordo Coletivo de Trabalho 2015 estão em andamento"
Total reduz meta de produção de petróleo para 2017 e anuncia corte de gastos
A empresa reduziu sua meta de produção em 2017 em 200 mil barris por dia, para uma média de 2,6 milhões de barris diários
Dívida da Petrobras sobe mais R$ 100 bilhões
A disparada do dólar, que atingiu nesta terça-feira (22), a maior cotação do Plano Real, agravou ainda mais a situação financeira da Petrobras
Setor de petróleo precisa se ajustar ao preço baixo, diz gerente da Petrobras
Cristina Pinho apresentou dados que mostram que a inflação dos custos de investimento em projetos de produção de petróleo quase dobrou nos últimos 10 anos