Porto Alegre, quinta-feira, 12 de dezembro de 2019.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
31°C
33°C
17°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,0920 4,0940 0,67%
Turismo/SP 4,0800 4,3220 0,13%
Paralelo/SP 4,0900 4,3100 0,23%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
891989
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
891989
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
891989
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

Sociedade Notícia da edição impressa de 18/10/2013

Dois terços das pessoas assassinadas no Brasil são negras

Conforme dados divulgados pelo Ipea, mortes são ligadas à cor e à condição social

Isabella Sander

VANESSA SILVA/PMPA/JC
Secretária anuncia projeto que deve baixar as taxas em Porto Alegre
Secretária anuncia projeto que deve baixar as taxas em Porto Alegre

Um balanço divulgado nesta quinta-feira pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) revelou que a probabilidade do negro ser vítima de homicídio é 8% maior, em todos os níveis de escolaridade e características socioeconômicas, apesar de a maior parte das vítimas ter baixa escolaridade. Trata-se de um grupo de risco, já que, a cada três assassinatos, dois são de negros. Dados apontam também que a possibilidade de um adolescente negro ser morto é 3,7 vezes maior do que um branco.

A discriminação ainda ocorre dentro das polícias. Pessoas negras são vítimas mais frequentemente de agressões por parte de policiais brancos. Segundo dados do IBGE de 2010, 6,5% de negros agredidos sofreram violência de policiais ou seguranças privados, contra 3,7% de brancos.

Segundo o diretor do Ipea, Daniel Cerqueira, mais de 60 mil pessoas são assassinadas por ano no País, e há um forte viés de cor e condição social nessas mortes. Ele apresentou levantamento que indica que as maiores vítimas de homicídios são homens jovens e negros: “Numa proporção 135% maior do que os não-negros. Enquanto a taxa de homicídios de negros é de 36,5 por 100 mil habitantes, no caso de brancos, a relação é de 15,5 por 100 mil habitantes”, ressalta. Há uma perda na expectativa de vida devido à violência letal 114% maior para pessoas negras. “Enquanto o homem negro perde 20 meses e meio de expectativa de vida ao nascer, a perda do branco é de oito meses e meio”, explica Cerqueira.

Em nível municipal, Porto Alegre possui uma alta taxa de homicídios de negros, de acordo com dados de 2010 da Secretaria Municipal da Saúde. Entre os assassinatos ocorridos, 55,03 para cada 100 mil pessoas negras e 25,89 para cada 100 mil não-negros (brancos, índios e amarelos). Os números são piores quando se trata de jovens de 15 a 29 anos. Há 133,33 mortes violentas para cada 100 mil negros e 52,62 para não-negros. A taxa de homicídio juvenil masculino é ainda mais grave, chegando a 240,76 para cada 100 mil negros contra 94,93 não-negros.

A secretária adjunta do Povo Negro, Elisete Moretto, afirma que a mortalidade tem tirado o sono da prefeitura. “No início do ano, começamos a pensar em um projeto para baixar o número de homicídios junto com a Fundação de Assistência Social e Cidadania (Fasc) e as secretarias de Direitos Humanos, da Juventude, da Educação e do Esporte, que deve estar concluído até 2014”, revela. Segundo ela, a população negra sofre com tudo o que se pensa em termos de exclusão social – gravidez na adolescência, falta de acesso a um pré-natal adequado, analfabetismo, baixa escolaridade, situação de rua, entre outros. Dados de 2010 indicam 225 mil negros em Porto Alegre.

COMENTÁRIOS
Paulo Tavares - 18/10/2013 - 07h55
A simples observação nos noticiários de TV já nos mostra que a grande maioria dos criminosos, como assaltantes, ladrões e assassinos, são, ou negros, ou pardos, e ainda, com grande concentração em São Paulo e Rio de Janeiro.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Fortunati disse que a iniciativa terá estrutura para atender 1403 adultos
Lançado em Porto Alegre o Programa Atenção Pop Rua
Carmen Flores, além de ter mordido a pimenta, está arrecadando doações em suas lojas
Personalidades gaúchas mordem pimenta para arrecadar agasalhos
Negros são 2,5 vezes mais vítimas de armas de fogo do que brancos no Brasil
Para cada grupo de 100 mil habitantes, a taxa de vítimas da cor branca ficou em 11,8 óbitos, enquanto a de negros registrou 28,5 mortes para cada 100 mil habitantes
IBGE aponta queda em porcentual de pessoas que passavam fome em 2013 ante 2004
A Insegurança Alimentar Moderada (IM) ocorre em residências com restrição na quantidade de comida