Porto Alegre, sábado, 25 de maio de 2019.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
16°C
21°C
13°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,0150 4,0170 0,76%
Turismo/SP 3,9900 4,1900 0,47%
Paralelo/SP 4,0000 4,2000 0,47%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
945432
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
945432
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
945432
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

SAÚDE Notícia da edição impressa de 27/09/2013

HMV usa procedimento inédito para tratamento de esclerose amiotrófica

Jessica Gustafson

Nesta quinta-feira, Lucio Bello, 55 anos, teve alta médica após dois dias da implantação de um marca-passo no diafragma para amenizar os sintomas da esclerose lateral amiotrófica (ELA), diagnosticada há seis anos. Horas antes de retornar para casa, em Novo Hamburgo, o paciente e sua esposa, Elisa, 58 anos, receberam a imprensa, no Hospital Moinhos de Vento, para falar sobre o sucesso da cirurgia e sobre a renovação da esperança. O procedimento, feito pelo cirurgião Richard Gurski e pelo neurologista Francisco Tellechea Rotta, foi o primeiro desse tipo a ser realizado na América Latina. Foram necessários três anos para que os médicos conseguissem a habilitação para utilizar o método, desenvolvido nos Estados Unidos, e mais dois meses para a importação do equipamento, devido à burocracia.

A ELA é uma doença degenerativa, progressiva e incurável, que afeta aproximadamente seis em cada 100 mil pessoas, ou cerca de 12 mil brasileiros. No Estado, estima-se que cerca de 600 pessoas sofram com a enfermidade, que leva a uma sobrevida de três a cinco anos. Os sintomas resultam na perda da ativação de músculos voluntários, que envolvem os movimentos de braços e pernas, da respiração, da fala e da deglutição. Nesse procedimento, o paciente recebeu um estimulador diafragmático, que tem a capacidade de evitar a atrofia e perda de força do músculo, graças a eletrodos colocados por videolaparoscopia. Essa é a única técnica existente para evitar a perda de funcionamento do diafragma e proporcionar mais qualidade de vida para os pacientes.

O caminho percorrido por Bello até a realização da cirurgia foi marcado por momentos decisivos. “Quando entregamos os exames para o médico Rotta, há seis anos, ele nos disse que Deus escrevia certo por linhas tortas. Estávamos no local correto na hora correta”, explica Elisa.
Enquanto tramitava a ação judicial solicitando o custeio dos equipamentos ao governo, a equipe médica informou que a operação deveria ser feita. “Lucio queria esperar mais por causa da ação, mas nos disseram que era a hora. Então, o hospital deu o suporte financeiro e conseguimos trazer os eletrodos dos EUA”, diz a esposa do paciente.

Rotta diz que a realização do implante depende da resistência muscular do paciente na hora da intervenção. Sem essa condição, o equipamento teria de ser devolvido. Segundo a equipe médica, o quadro de Lucio se encaixou perfeitamente no procedimento e por isso houve sucesso. “A burocracia da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) é muito prejudicial nesses casos. Tive um paciente com ELA do Rio de Janeiro que, na época em que tentou importar a tecnologia, a agência entrou em greve. Assim, tive que aconselhá-lo a se operar nos EUA”, relata o neurologista.      

No mundo, cerca de 900 pessoas já passaram pela implantação, que foi desenvolvida pelo médico norte-americano Raymond Onders. A utilização do método foi ensinada pelo próprio inventor para os dois profissionais do Moinhos, que integram a única equipe da América Latina capacitada para realizar o implante.

A partir desse primeiro procedimento, o hospital quer expandir a técnica, com o registro do equipamento na Anvisa para ter rapidez na importação, e com a criação de um núcleo de tratamento. Gurski e Rotta irão, no próximo mês, treinar uma equipe na Colômbia para utilizar o método no país.

COMENTÁRIOS
marcelo anjos de oliveira - 27/09/2013 - 15h42
ISSO É MARAVILHOSO! QUE O DESENVOLVIMENTO DE EXPANSÃO DE UTILIZAÇÃO DESSA TECNOLOGIA ACONTEÇA O MAIS RAPIDO POSSIVEL.E QUE MAIS PESSOAS VENHAM TER ACESSO A ESSA NOVIDADE MÉDICA.


Marilene Vargas -
28/09/2013 - 14h59
Felizmente a medicina evolui a cada dia disponibilizando esperança ´para quem dela precisa. parabéns ao Lucio e à Elisa. Grande abraço.


Jacqueline Barreiro Pereira -
12/02/2014 - 11h26
Gostaria do contato do médico ou clínica por favor, meu pai foi diagnosticado ontem com ELA.


Maria Barbosa -
25/02/2014 - 13h32
Meu esposo é portador de Ela gostaria de saber o telefone dos médicos para contato


Elisa Bello -
02/10/2014 - 10h23
O Lucio completou 1 ano de implante e está muito bem. Mari os telefones dos médicos são: Dr. Rotta: 81599715 - rotta@terra.com.br ; dr.Richard 30281020 - rgurski@idars.com.br. boa sorte , se precisar me contatar me envie um email para elisabello@belltrade.com.br. boa sorte , grande abraço.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
CFM suspende idade limite para mulheres usarem técnicas de reprodução assistida
A decisão faz parte de resolução divulgada hoje (22) pelo Conselho Federal de Medicinal (CFM) que atualiza as regras para reprodução assistida no Brasi
Córneas podem ser doadas de seis a 12 horas depois da morte
Fila de espera para córnea dura menos de 30 dias
Porto Alegre terá edição do Farmacêutico na Praça neste domingo
Ação ocorre no Parque da Redenção, a partir das 8h, e é gratuita
Pesquisa: 89% dos clientes de planos de saúdes estão em operadoras bem avaliadas
Na faixa intermediária, com notas de 0,4 a 0,59, houve queda de 34,5% no número de operadoras