Porto Alegre, sábado, 04 de dezembro de 2021.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
19°C
15°C
7°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 5,5230 5,5250 1,61%
Turismo/SP 4,7300 5,8120 0,44%
Paralelo/SP 4,7400 5,6700 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
474661
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
474661
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
474661
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

comércio exterior 15/08/2013 - 12h47min

Participação de bens importados no consumo da indústria registra recorde

Marcelo G. Ribeiro/JC
A valorização do câmbio nos últimos meses amenizou o ímpeto importador
A valorização do câmbio nos últimos meses amenizou o ímpeto importador

A participação de bens importados na indústria brasileira registrou recorde, acumulando 21,1% no período de 12 meses até junho. Os números foram divulgados nesta quinta-feira (15) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Na comparação entre os primeiros e segundo trimestres, houve aumento de 0,1 ponto percentual, mantendo sua trajetória de alta há 13 trimestres, informou a entidade.

O levantamento, chamado Coeficientes de Abertura Comercial, foi elaborado em parceria com a Fundação Centro de Estudos de Comércio Exterior (Funcex) e aponta um crescimento do coeficiente de penetração das importações em 12 setores da indústria de transformação, com destaque para os segmentos farmacêutico, químico, de informática, eletrônico e óptico.

A CNI informou ainda que a “valorização do câmbio nos últimos meses amenizou o ímpeto importador, mas o contínuo aumento do coeficiente de importação reflete a perda da competitividade da indústria nacional frente a seu concorrente estrangeiro”. Para a CNI, a alta do câmbio poderá reduzir as importações nos próximos meses, o que favoreceria a recuperação da produção industrial interna, podendo reverter essa tendência.

Outra informação divulgada pela CNI é que, além do aumento das importações no consumo doméstico de bens industriais, a participação das exportações no faturamento das empresas caiu. “O coeficiente de exportação registrou 19,2% no segundo trimestre de 2013, uma queda de 0,3 ponto percentual em relação ao primeiro trimestre deste ano. Essa é a segunda queda consecutiva. A fraca demanda externa pelas manufaturas brasileiras e a queda dos preços internacionais explicam a perda no coeficiente de exportação no segundo trimestre”, registrou a confederação.

Nove setores produtivos da indústria de transformação registraram queda no coeficiente de exportação, sendo os mais afetados os de metalurgia, de máquinas e equipamentos, de derivados de petróleo e biocombustível, de máquinas e materiais elétricos e o de têxteis.

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Mercosul ajusta ofertas de acordo comercial que serão apresentadas à UE
Os dois blocos estão negociando um acordo de livre comércio e deverão fazer a troca de ofertas comerciais até o fim do ano
EUA e Índia querem reduzir barreiras para fortalecer comércio bilateral
Os Estados Unidos e a Índia trocaram pedidos de que cada lado remova barreiras para os negócios
Banco Central reduz projeção para déficit em contas externas para US$ 65 bilhões
De janeiro a agosto, o saldo negativo ficou em US$ 46,148 bilhões, contra US$ 65,248 bilhões nos oito meses de 2014. O déficit chegou ao final do ano passado em US$ 103,597 bilhões, o que representou 4,42% do PIB
O próximo encontro realizado no Brasil será em 2017
Rio Grande do Sul quer sediar próximo Encontro Econômico Brasil-Alemanha