Porto Alegre, sexta-feira, 18 de outubro de 2019.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
23°C
24°C
16°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,1440 4,1460 0,62%
Turismo/SP 4,1000 4,3520 0,36%
Paralelo/SP 4,1100 4,3400 0,45%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
887798
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
887798
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
887798
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR
Palavra do Leitor Roberto Brenol Andrade
opiniao@jornaldocomercio.com.br

Palavra do Leitor

Coluna publicada em 27/06/2013

Passeatas

As passeatas destrutivas têm muitas bandeiras de partidos e gente demais com o rosto coberto. Isso é protesto ou anarquia mesmo? Vamos reclamar, mas dentro da lei e sem bloquear ruas e avenidas. As pessoas estão apavoradas. (Artur Henrique Solemar, Porto Alegre)

Inflação

A presidente insiste em demonstrar otimismo. Não vai admitir a inflação. Acho que ela quis dizer mais inflação, posto que os dados oficiais já consideram o valor no teto da meta, prestes a ultrapassá-lo. Isso para não falar nos preços dos alimentos, mas me parece que faz muito tempo que ela não passa pela porta de um supermercado, quanto mais saber o preço de algum produto. Mas, de repente, a filha ou o genro precisa comprar alguma coisa para alimentar o neto e reclama, “não é verdade! Mãe, o feijão com arroz do Gabriel subiu muito de preço!”. Será que a reclamação da filha será considerada terrorismo? (Marco Balbi)

Novos municípios

Engavetada no Congresso há 17 anos, a aprovação de novas regras para a criação de municípios deve entrar na pauta da Câmara dos Deputados em breve. O projeto devolve aos estados o direito de legislar sobre o assunto, podendo, se aprovado, favorecer a criação de 20 municípios em Mato Grosso. O projeto deve ser apreciado pelo Congresso em breve e regulamenta o parágrafo 4º do artigo 18 da Constituição Federal. A proposta estabelece que a criação, a incorporação, a fusão e o desmembramento de municípios serão feitos por leis estaduais e dependerão de estudo de viabilidade municipal e de consulta prévia por meio de plebiscito nos distritos envolvidos. Entre os critérios que agora são estabelecidos por legislação federal, está a população mínima que os novos municípios precisam ter: 5 mil habitantes nas regiões Norte e Centro-Oeste; 7 mil na região Nordeste e 10 mil nas regiões Sul e Sudeste. A arrecadação deverá ser superior a 10% da média dos menores municípios do Estado. Para especialistas, as emancipações se justificam quando os benefícios às populações são maiores do que o custo da máquina administrativa. Concluem que os critérios para criação de novos municípios devem ser rígidos, para que sejam evitados casuísmos eleitorais nas Assembleias Legislativas. (Danilo Guedes Romeu, professor)

Trânsito

Na avenida Assis Brasil, esquina com a avenida do Forte, há uma faixa de pedestre na frente do posto de combustível, no sentido Centro-bairro. O que impressiona é o fato de a faixa ir apenas até o meio da avenida, obrigando o pedestre a caminhar pelo menos 20 metros no canteiro que fica no meio do corredor de ônibus. Um caminho perigoso, ainda mais em se tratando de uma região com grande movimento de crianças, dos colégios Dom Diogo de Souza, São Judas Tadeu, Mesquita, Dorotéia e Adventista. (Henrique Girardi, estudante da Pucrs)

Na coluna Palavra do Leitor, os textos devem ter, no máximo, 500 caracteres, podendo ser sintetizados. Os artigos, no máximo, 2 mil caracteres, com espaço. Os artigos e cartas publicados com assinatura neste jornal são de responsabilidade dos autores e não traduzem a opinião do jornal. A sua divulgação, dentro da possibilidade do espaço disponível, obedece ao propósito de estimular o debate de interesse da sociedade e o de refletir as diversas tendências.

Na coluna Palavra do leitor, os textos devem ter, no máximo, 500 caracteres, podendo ser sintetizados. As cartas publicadas com assinatura nesta página são de responsabilidade dos autores e não traduzem a opinião do jornal. A sua divulgação, dentro da possibilidade do espaço disponível, obedece ao propósito de estimular o debate de interesse da sociedade e o de refletir as diversas tendências.
COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
COLUNAS ANTERIORES
Crise
Atribuindo a causa de nossos problemas atuais para nossa "herança portuguesa"
Cais Mauá
Porto Alegre virou uma terra de ninguém
Lei Kandir
Excelente e oportuníssima a matéria de capa do Jornal do Comércio Perdas com a Lei Kandir somam 63% da dívida do Estado
Previdência
O funcionalismo público estadual reluta equivocadamente em aceitar a reforma previdenciária que deve ser feita para que aconteça o óbvio equilíbrio entre arrecadações e benefícios