Porto Alegre, sábado, 21 de setembro de 2019.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
17°C
22°C
11°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,1510 4,1530 0,26%
Turismo/SP 4,1200 4,3600 0,69%
Paralelo/SP 4,1300 4,3700 0,69%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
281834
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
281834
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
281834
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

Estados Unidos Notícia da edição impressa de 27/06/2013

Suprema Corte derruba lei que não reconhecia casamento gay

Lei de Defesa do Matrimônio negava benefícios para homossexuais legalmente casados
ROBYN BECK/AFP/JC
Em todo o país, casais e militantes comemoraram a decisão judicial
Em todo o país, casais e militantes comemoraram a decisão judicial

A Suprema Corte dos Estados Unidos derrubou a Lei de Defesa do Matrimônio, de 1996, que negava benefícios federais para pessoas do mesmo sexo legalmente casadas. O juiz Anthony Kennedy anunciou a decisão do tribunal por 5 votos a 4. A Corte, no entanto, resolveu não julgar sobre um segundo caso, a Proposição 8 da Califórnia, que proíbe o casamento gay. Mas a decisão abriu o caminho para a retomada do casamento de pessoas do mesmo sexo no estado, que é o mais populoso dos EUA.

O presidente Barack Obama saudou a decisão da Suprema Corte. Ele declarou que o tribunal “corrigiu um erro e nosso país está melhor por causa disso”. Em 2011, Obama decidiu parar de defender a lei de 1996, concluindo que ela era legalmente indefensável. “Isso era discriminação consagrada em lei”, disse ele. “Nós somos um povo que declara que todos são criados iguais e o amor que confiamos um ao outro deve ser igual também.”

A declaração foi divulgada momentos depois de o presidente ter telefonado para parabenizar o ativista dos direitos dos gays Chad Griffin e os eleitores da Califórnia sobre a decisão. “Com sua coragem, vocês ajudam um monte de gente”, disse Obama a eles.

A mudança não significa que o casamento gay será permitido em todo o país, já que ainda é proibido na maioria dos estados, mas é um impulso para o movimento LGBT. Nos últimos tempos, vem ocorrendo uma grande mudança na atitude do público em relação ao assunto, e o presidente tem defendido mais os direitos dos homossexuais.

Uma pesquisa neste ano realizada pela instituição Pew Forum on Religion and Public Life verificou que 50% dos norte-americanos apoiam o casamento gay, acima de 39% em 2008. Quando a Proposição 8 foi aprovada, em 2008, com 52% dos votos, apenas dois outros estados norte-americanos permitiam o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Atualmente, 12 estados, além do distrito de Columbia, permitem isso e oito autorizam algum tipo de união legal entre casais homossexuais, reconhecendo alguns direitos similares aos do casamento. Outros 29 não permitem nenhum tipo de união gay e um caso à parte é o estado do Novo México, que não tem uma legislação que proíba ou reconheça de forma explícita o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Tanto na Proposição 8 quanto na Lei de Defesa do Matrimônio, a questão principal é o casamento gay, mas existem questões legais específicas. Os dois casos foram levados à Suprema Corte de forma não usual: os governos federal e estaduais, que normalmente defendem suas leis quando são contestadas, concordaram com os reclamantes e com os tribunais inferiores na avaliação de que as medidas violam a Constituição dos EUA.

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Francisco também participou de encontro com bispos na catedral de São Mateus, em Washington
Papa defende combate a mudanças climáticas
É esperado que Walker faça o anúncio nas próximas horas
Governador republicano, ex-favorito, desiste de corrida à Casa Branca
Barack Obama e Michelle Obama saíram da Casa Branca para a homenagem
Minutos de silêncio lembram 14º aniversário do 11 de Setembro nos EUA
Hillary Clinton pede desculpas por uso indevido de conta de e-mail pessoal
Sua campanha afirma que nenhum dos e-mails tinham segredos de Estado no momento em que foram enviados