Porto Alegre, sábado, 27 de novembro de 2021.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
19°C
15°C
7°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 5,5230 5,5250 1,61%
Turismo/SP 4,7300 5,8120 0,44%
Paralelo/SP 4,7400 5,6700 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
150257
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
150257
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
150257
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

Agronegócios Notícia da edição impressa de 10/04/2013

Estado garante dois novos investimentos em lácteos

Nutrifont aplicará R$ 130 milhões na criação de uma planta em Três de Maio, enquanto Lativale aportará R$ 20 milhões em ampliação

Fernando Soares

O Rio Grande do Sul receberá dois novos investimentos no setor de laticínios, que totalizam quase R$ 150 milhões. Nesta quarta-feira, o governador Tarso Genro assina protocolo de intenções com a Nutrifont e a Lativale. Enquanto a primeira aportará R$ 130 milhões na criação de uma planta em Três de Maio, no Noroeste gaúcho, a segunda destinará 19,8 milhões na ampliação de suas instalações em Estrela, no Vale do Taquari. As empresas receberão benefícios fiscais através dos programas Fundopem e do Integrar.

A Nutrifont, uma joint venture entre BRF e a irlandesa Carbery, vai trabalhar com a produção de derivados do soro do leite. “É a primeira fábrica do Brasil desse gênero. Esse produto é utilizado, principalmente, pelos fabricantes de alimentos infantis e de suplementos alimentares para atletas”, menciona Guilherme Portela, gerente de relações institucionais da BRF. Apesar de ter planos de exportar parte da produção, principalmente para países do Mercosul, os clientes mais assíduos tendem a ser do mercado interno. Isso porque as empresas brasileiras, atualmente, precisam importar a proteína para confeccionar seus artigos.

De acordo com Portela, a companhia deve começar a operar em até um ano. Pelo fato de o processo produtivo da matéria envolver alta tecnologia e ser bastante mecanizado, a empresa empregará pouco mais de 50 pessoas. O Rio Grande do Sul disputou a fábrica com Goiás e Minas Gerais. “Optamos por Três de Maio com o objetivo de estreitar mais as relações com o Estado e também porque o município tem uma importante cadeia de fornecimento de matéria-prima”, aponta o executivo.

A construção da planta da Nutrifont complementa uma série de investimentos que a BRF vem fazendo no município do Noroeste gaúcho. A companhia está montando uma espécie de complexo do leite na cidade, construindo também uma fábrica de leite em pó (com previsão de inauguração em abril) e outra de derivados de queijos (para setembro). “O município está vibrando. Esse complexo representa um investimento total que ultrapassa R$ 260 milhões”, comemora o prefeito de Três de Maio, Olívio Casali.

O chefe do Executivo do município projeta um incremento de 15% nas receitas locais, quando o complexo todo estiver em atividade. Hoje, o orçamento anual da localidade de 24 mil habitantes é de R$ 54 milhões. Além disso, serão criados cerca de 300 empregos diretos e outros 1,5 mil indiretos. Como consequência, a produção diária de leite da região deve dobrar.

Já a Lativale, empresa do grupo mineiro Tangará Foods, aumentará seu foco de atuação, passando a produzir compostos lácteos. A fábrica sediada em Estrela deve contratar 47 novos funcionários. O assessor técnico da Secretaria Estadual de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (SDPI) Taylor Guedes afirma que a expansão deve ocorrer por etapas, levando até cinco anos para ser concluída.

Guedes ressalta que a atração dos dois investimentos também pode ser creditada às alterações realizadas em dezembro na legislação do ICMS. “Com a alteração, se passa a conceder crédito presumido para a produção de novos produtos, que é o caso dos compostos lácteos e da proteína fruto do soro do leite”, aponta Guedes, que coordena o programa setorial de lácteos da SDPI. O dirigente aponta que, nas próximas semanas, devem ser divulgadas novas medidas de estímulo ao segmento.

Novo levantamento da Conab eleva projeção da safra de grãos gaúcha

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) revisou para cima sua estimativa da produção de grãos para a safra 2012/13 no Estado. No sétimo levantamento, divulgado ontem, a projeção é de produção de 27,88 milhões de toneladas no Rio Grande do Sul, um crescimento de 33,5% em relação ao total colhido em 2012 (20,88 milhões de toneladas) e de 0,76% em relação à estimativa divulgada em março (27,67 milhões de toneladas).

A maior variação em relação ao último relatório foi no milho, onde a colheita estimada pela companhia passou de 5,12 milhões de toneladas em março para 5,33 milhões de toneladas em abril. “Com a safra praticamente toda colhida, verificamos que a produtividade no campo era 4% maior do que a esperada no mês anterior, e aplicamos esse aumento também na produção”, explica Glauto Lisboa Melo Júnior, superintendente da Conab no Estado.

Em relação à soja, a expectativa continua a mesma de março, com crescimento de 86,8% na produção em relação a 2011/2012, atingindo 12,19 milhões de toneladas. No entanto, com o avanço da colheita (que já atinge 70% da área da cultura), a expectativa é de que esses números aumentem em maio. “Estamos trabalhando com uma produtividade ainda conservadora, de 2,64 mil quilos por hectare, mas temos verificado junto a produtores que esses índices podem ser ainda maiores.”

No arroz, também é mantida a estimativa do levantamento do último mês, que aponta para crescimento de 3,7% na produção em comparação com a última safra, alcançando 8,02 milhões de toneladas. Conforme Melo Júnior, 65% das lavouras arrozeiras no Estado já estão colhidas, com uma produtividade média de 7,52 quilos por hectare.

Para o Brasil, a Conab estima uma colheita de 184,05 milhões de toneladas, volume 10,8% superior ao colhido no período anterior (167,77 milhões de toneladas) e 0,25% superior às 183,58 milhões de toneladas estimadas em março. No levantamento de janeiro, a previsão era de produção de 184,99 milhões de toneladas na safra 2012/13.

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Anele diz que projeto Brazilian Rice ajuda a exportar arroz beneficiado
Projeto para exportar arroz beneficiado será estendido
Valor projetado para setembro é de R$ 0,814 o litro, aponta Conseleite
Preço do leite registra leve queda no Rio Grande do Sul
Aumento da umidade nos próximos dias vai retardar semeaduras
Clima ameaça a produtividade e o plantio
Agricultores participantes têm orientações para melhorar a produção
Programa incentiva boas práticas no meio rural