Porto Alegre, segunda-feira, 16 de dezembro de 2019.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
27°C
28°C
20°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,1070 4,1090 0,36%
Turismo/SP 4,0400 4,2900 0,74%
Paralelo/SP 4,0500 4,2800 0,69%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
153442
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
153442
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
153442
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

PARTIDOS Notícia da edição impressa de 09/01/2013

Luiz Carlos Busato assume direção estadual do PTB

Secretário de Obras fica no cargo até junho, quando ocorre a convenção da sigla

Fernanda Bastos

JOÃO MATTOS/JC
Cassiá Carpes (ao centro na mesa) se afastou do comando estadual por divergências partidárias
Cassiá Carpes (ao centro na mesa) se afastou do comando estadual por divergências partidárias

O secretário estadual de Obras Públicas e deputado federal licenciado, Luiz Carlos Busato, assumiu, ontem à noite, a presidência estadual do PTB. Chamada de comissão provisória, a direção foi escolhida para um mandato tampão, que se encerra em junho, mês da convenção partidária que definirá a próxima executiva do PTB. Busato ocupará o cargo deixado pelo deputado estadual Cassiá Carpes, que pediu afastamento do cargo no final de dezembro, após manifestar descontentamento com os rumos da legenda aos companheiros.

Uma das principais reclamações do parlamentar seria a conduta da legenda nos governos estadual e da Capital. Com relação ao Executivo estadual, o principal incômodo seria por conta da falta de interlocução com o governo e constante desgaste na votação de projetos polêmicos. No mês passado, Cassiá deus sinais claros de insatisfação com a adesão ao governo Tarso Genro (PT), quando abandonou a votação do pacote de projetos do Palácio Piratini na Assembleia Legislativa, e, posteriormente, votou contra o projeto do governo estadual de aumento salarial escalonado para os professores, quando a categoria reivindicava parcela única.

Já sobre Porto Alegre, Cassiá teria manifestado contrariedade com as novas indicações para o governo José Fortunati e ainda teria ficado insatisfeito com a postura da legenda em relação a petebistas que respondem a denúncias, como o vereador Cássio Trogildo – acusado de uso da máquina nas últimas eleições. Busato, que atuava como tesoureiro da sigla, destaca que assume a legenda sem qualquer atrito com Cassiá, mas reforça que a posição dele “é pessoal”. “Ele estava estressado, foi mais um desabafo dele”, minimizou, acrescentando ainda que Cassiá “se desincompatibilizou com militantes”.

Dispensando a modéstia, Busato sustenta que é “um nome de conciliação na legenda”, ideal para acalmar os ânimos de descontentes. “Os deputados estaduais têm muitas dificuldades, porque, às vezes, eles agem em locais de eleitorado de outro deputado estadual. Com deputado federal não tem esse tipo de conflito”, explica Busato, deixando escapar que as principais divergências de Cassiá foram com correligionários de Porto Alegre, seu principal reduto eleitoral.

Ontem, a pedido de Busato e da executiva, Cassiá compareceu à posse do novo dirigente, dissipando os rumores sobre um possível desligamento do partido. Um dos seus companheiros de bancada na Assembleia Legislativa, o deputado estadual José Sperotto, acredita que o assunto já está superado. “Foi uma decisão pessoal dele, mas Cassiá é um importante trabalhista e um deputado muito atuante”, elogia.

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
PMDB pede no rádio e na TV união de todos para enfrentar a crise
Na abertura do programa, a âncora fez um relato da situação do Brasil no olhar dos peemedebistas
Líder do PT na Câmara diz que há insatisfação com ministros de Dilma
O líder do PT na Câmara dos Deputados, Sibá Machado (AC), negou nesta quinta-feira (24) que tenha pedido a cabeça de ministros do governo Dilma, mas afirmou que há insatisfação na bancada em relação a eles, além de receio de que a sigla perca espaço na reforma administrativa
FHC devolve críticas e diz que PT está 'mordendo a língua' com alta do dólar
Em post publicado no Facebook, ex-presidente diz que os petistas nunca reconheceram que o dólar disparou e inflação subiu em 2002
Somente um de 51 deputados tucanos votou por fator previdenciário, criado por FHC
Para ser derrubado, o veto precisava de pelo menos 257 votos na Câmara e 41 no Senado