Porto Alegre, terça-feira, 22 de outubro de 2019.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
17°C
24°C
13°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,1300 4,1320 0,29%
Turismo/SP 4,0900 4,3420 0,50%
Paralelo/SP 4,1000 4,3400 0,69%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
334839
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
334839
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
334839
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

Egito Notícia da edição impressa de 28/12/2012

Mais um ministro renuncia ao cargo

Mahsoub afirmou discordar de políticas do governo do presidente Mohamed Morsi
DIETER NAGL/AFP PHOTO/JC
Promotoria vai investigar opositores, entre eles, ElBaradei (c)
Promotoria vai investigar opositores, entre eles, ElBaradei (c)

O ministro para Assuntos Legais e Parlamentares do Egito, Mohammed Mahsoub, anunciou sua renúncia nesta quinta-feira, um dia depois de o presidente Mohamed Morsi ter prometido uma reforma na tumultuada economia do país.

Mahsoub disse que estava deixando o cargo porque “muitas políticas e esforços (do governo) contradizem minhas convicções pessoais”, de acordo com carta publicada na página do Facebook que pertence ao líder de seu partido, o moderado Wasat.

Ele também criticou o fracasso do governo em recuperar os recursos supostamente desviados por membros do regime de Hosni Mubarak. Sua renúncia ocorre dois dias depois de o ministro de Comunicação de Morsi, Hany Mahmud, ter deixado o governo em razão da “atual situação do país”.

Mahsoub, vice-líder do Wasat, havia apoiado Morsi contra a oposição laica durante a profunda crise política a respeito da nova Constituição, que se tornou lei na semana passada. Dias de protestos e confrontos violentos precederam o referendo constitucional. A nova lei foi redigida por um painel dominado por islamitas e boicotada por cristãos e liberais.

Em discurso feito na quarta-feira, Morsi elogiou a Constituição e disse que estudava mudanças ministeriais. “Vou implementar todas as minhas ideias para estimular a economia egípcia (...) e farei todas as mudanças necessárias para cumprir esta tarefa”, declarou o presidente.

O promotor-chefe do Egito ordenou nesta quinta-feira a realização de uma investigação sobre os líderes da oposição, depois que um advogado os acusou de incitar a queda do regime do presidente Morsi, informou um funcionário do Judiciário, em condição de anonimato. A ordem, emitida por um funcionário indicado por Morsi, deve agravar as tensões políticas, que resultaram em episódios de violência nas ruas.

A acusação, aberta no mês passado, diz que Mohammed ElBaradei - ganhador do prêmio Nobel da Paz e ex-diretor da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), ligada à ONU -, juntamente com Amr Moussa, ex-ministro de Relações Exteriores, e Hamdeen Sabahi, que foi candidato à presidência, fizeram campanha para derrubar Morsi.

O processo não significa necessariamente que um inquérito será levado adiante, mas é incomum que promotores investiguem acusações tão amplas contra pessoas tão conhecidas. Yara Khallaf, porta-voz de Moussa, disse que não há acusações formais ou qualquer convocação para depoimento, negando-se a falar sobre o caso.

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Tsipras quer maioria absoluta no Parlamento, apesar de eleição dura na Grécia
O ex-primeiro-ministro da Grécia Alexis Tsipras disse nesta segunda-feira que ainda busca obter maioria absoluta no Parlamento
Ministro da Agricultura egípcio é detido após renunciar ao cargo
O ministro da Agricultura do Egito, Salah el-Din Helal, foi detido nesta segunda-feira
Presidente egípcio exalta luta contra terrorismo ao inaugurar novo Suez
Ao inaugurar o novo canal de Suez sob um forte esquema de segurança, o presidente egípcio, Abdel Fattah al-Sisi, disse nesta quinta (6) que o país "será lembrado" no futuro por enfrentar e superar a ameaça terrorista
ONU mostra preocupação com pena de morte para ex-presidente do Egito
Um porta-voz da ONU, Farhan Haq, disse nesta segunda-feira que Ban reafirmou a posição da entidade contra a pena de morte