Porto Alegre, sexta-feira, 14 de dezembro de 2018.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
30°C
32°C
23°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,9070 3,9090 0,72%
Turismo/SP 3,8700 4,0700 0,24%
Paralelo/SP 3,8800 4,0800 0,24%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
165450
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
165450
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
165450
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

Conjuntura Notícia da edição impressa de 17/12/2012

Brasil perde posto de sexta maior economia

Desvalorização do real em relação ao dólar fez o País voltar para sétima posição no ranking, atrás do Reino Unido

A desvalorização do real em relação ao dólar fez o Brasil perder o sexto lugar no ranking das maiores economias do mundo. Considerando o desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) no 4º trimestre de 2011, e no 1º, 2º e 3º trimestres deste ano, o País voltou para a sétima posição, atrás do Reino Unido. A atividade econômica brasileira em marcha lenta foi decisiva para que a distância entre os dois países subisse para a casa dos US$ 200 bilhões, o equivalente ao PIB da Romênia.

A Economist Intelligence Unit (EIU), responsável pelo levantamento, calcula que a economia do Brasil só voltará a ultrapassar a britânica em 2016. “Segundo nossas estimativas, o País vai continuar crescendo mais do que o Reino Unido ao longo desses anos, mas, levando-se em conta a evolução da taxa de câmbio projetada para o período, o Brasil só voltará a ser sexto em 2016”, explicou o economista da EIU responsável pela América Latina, Robert Wood.

A EIU, braço de análise da revista britânica The Economist, considera no levantamento apenas o PIB nominal dos países (resultado da soma das riquezas produzidas) convertido em dólar. Por isso, na disputa Brasil/Reino Unido, pesou a expressiva desvalorização do real ante a moeda americana em 2012. Até sexta-feira, o dólar ganhava quase 12% na comparação com o real. No mesmo período, a libra esterlina acumulava valorização de quase 4% em relação à moeda americana.

Como é inimaginável que o Brasil cresça os cerca de 16% que compensariam o desempenho das taxas de câmbio no ano, o País perderia a sexta posição do ranking de qualquer forma. No entanto, se o desempenho da economia brasileira fosse melhor, a diferença entre os dois países seria inferior aos quase US$ 196 bilhões de hoje. O Brasil cresceu 0,7% de janeiro a setembro deste ano, enquanto o Reino Unido registrou estagnação no período. Caso o Brasil tivesse crescido no mesmo ritmo de outros pares latino-americanos, como Chile e Peru, que vêm se expandindo na casa dos 5%, teria encurtado a distância.

O PIB nominal em dólar é apenas uma das métricas usadas para medir o tamanho e o dinamismo de uma economia. “Vários estudos apontam que, quanto maior é uma economia, mais atraente é para investimentos estrangeiros”, disse o professor de economia do Insper Eduardo Correia. “Nesse quesito, portanto, o Brasil está bem. Mas em várias outras medidas deixamos a desejar.” Correia lembra que, no ranking do Banco Mundial que mede o PIB per capita, o Brasil ocupa apenas a 75ª posição. “No caso dos rankings que mensuram a qualidade da educação, a situação é ainda pior: o Brasil está no 88º posto.”

Independentemente da métrica escolhida, é consenso que o Brasil precisa crescer mais rapidamente para melhorar as condições de vida da população, o que se refletirá nos diferentes rankings comparativos. “Várias questões que contribuíram para a expansão mais forte do Brasil nos últimos anos não estão mais soprando a favor”, disse Wood, referindo-se ao boom dos preços das commodities, ao mercado de trabalho favorável e à mudança estrutural no crédito. “Daqui para a frente, o País precisa ter ganhos de produtividade, o que passa por um menor ativismo do Estado, entre outros fatores.”

O economista-chefe da Sul América Investimentos, Newton Rosa, vai na mesma linha. Para ele, o governo brasileiro precisa de uma agenda que resulte em mais investimentos na economia. “Não vamos mudar nossa situação no curto prazo, mas é preciso um esforço grande para aumentar a produtividade e a competitividade do País.” Rosa observa ainda que a média de crescimento do PIB nos dois primeiros anos do governo Dilma é inferior a 2% ao ano - 2,7% em 2011 e 1% estimado para 2012. Para o ano que vem, o economista da Sul América projeta alta de 3,3% do PIB, o que elevaria a média anual para 2,3%. “A queda do Brasil no ranking mundial das maiores economias decorre, principalmente, da taxa de câmbio. Mas, independentemente disso, o desempenho da economia tem sido fraco.”

Para Correia, do Insper, se o Brasil mantivesse uma média de crescimento anual ao redor de 3%, conseguiria, pouco a pouco, reduzir a distância para as economias mais bem colocadas no ranking. “Não importam muito as variações de curto prazo da economia, mas seu desempenho em um período mais longo de tempo”, comentou.

Economia dá sinais de recuperação

A economia iniciou o quarto trimestre com crescimento de 0,36% em outubro sobre o mês anterior, de acordo com o Índice de Atividade Econômica (IBC-Br), divulgado pelo Banco Central (BC). Em setembro, o indicador, que funciona como prévia do comportamento do Produto Interno Bruto (PIB), ficou negativo em 0,52%. No acumulado dos últimos 12 meses, o indicador variou 1,5%. Para Felipe Queiroz, da Austin Rating, o indicador revela uma melhora significativa da atividade econômica, sobretudo quando se analisa a tendência. Em relação a outubro do ano passado, o índice avançou 4,9%, passando de 139,48 pontos para 146,4, maior alta desde março de 2011. Segundo Queiroz, os dados do BC sinalizam que as medidas de estímulo tomadas pelo governo começaram a ter um reflexo maior sobre a economia. No terceiro trimestre, o PIB teve um crescimento de apenas 0,6%, segundo o IBGE. “O mercado foi surpreendido positivamente. A economia agora volta a apresentar uma recuperação mais consistente.”

COMENTÁRIOS
Werner Schumacher - 17/12/2012 - 09h27
A politica economica governamental está saturada, esgotada, é preciso mudança, o time está perdendo.


Telmo -
17/12/2012 - 20h37
IH ...I AGORA A PROPAGANDA DO JONNY WALKER?...O GIGANTE DE PEDRA VAI TE QUE SE DEITÁ DE NOVO


CHELSEA END. -
17/12/2012 - 20h39
FRANCAMENTE QUEM ACREDITOU NAQUELE MOMENTO DE UFANISMO DESCONHECE A REALIDADE DA ECONOMIA BRASILERIA NÃO TEMOS CONDIÇÕES PARA SER NEM A DÉCIMA ECONOMIA : O MANTRA É PRÉ HISTÓRICO , NÃO TEMOS NIVEL EDUCACIONAL , INFRAESTRUTURA , A CARGA TRIBUTÁRIA É ELEVADA E INSUPORTÁVEL , AS DESPESAS E O PESO DO ESTADO NA ECONOMIA TUDO SOMADO REDUZ A COMPETITIVIDADE DA ECONOMIA NACIONAL . CEGO É AQUELE QUE SÓ VÊ O QUE O GOVERNO DIZ.


João Carlos Leite -
17/12/2012 - 20h41
Agora, talvez, o governo comece a considerar a sugestão do "The Economist".


Machado -
17/12/2012 - 20h44
Com estes políticos no Governo deste País a tendência é decer cada vez mais.


luis pancich -
17/12/2012 - 20h49
Que bela noticia, assim a máfia do pt, não se vangloria e cai no real !!


MAC -
17/12/2012 - 20h52
irão dizer que isso é mentira, e que a materia é para desqualificar a PRESIDENTA POSTE ,


William -
17/12/2012 - 20h57
para agradar uma minoria de empresários chorões e incompetentes, desvalorizou-se o Real e o que os outros 200 milhões de brasileiros ganharam? veja a reportagem.


FabioRB -
17/12/2012 - 21h04
Eles sofrem com a crise??? Nós padecemos com a corrupção, má admnistração e uma carga tributária que nos impede crescer!


Amadeu Guerra -
17/12/2012 - 21h08
O Manteiga está derretendo: o método está esgotado. Que venha o Gerdau.


DIROFF -
17/12/2012 - 21h09
Aquilo foi um grande fogo de palha. Como um pais deste, governado desta forma pode ser a sexta economia do mundo??? É o mesmo caso de dizer que o Brasil pagou toda a sua dívida, só que agora deve mais e a juros mais altos. Onde está o mérito???


FRANCISCO ESCOLANO -
17/12/2012 - 21h13
Só com o Nióbio -(minério que tem mais valor que ouro para fabricação de turbinas, por exemplo)- extraído das reservas brasileiras clandestinamente e comercializados pela Inglaterra, já dá um bom sinal de como a economia deles se apresenta mais vigorosa do que a nossa. Ou melhor, mais onerosa.


Ricardo de Figueiredo Vieira -
17/12/2012 - 21h14
É lógico! Em pleno sec. XXI a Inglaterra rouba todo o nióbio do Brasil e ninguém fala nada.


Rodrigo -
17/12/2012 - 21h14
Parabens ao Guido Mantega. Ele trabalhou muito pra "esfriar" o Brasil e conseguiu.


chacal -
17/12/2012 - 21h15
Havia ganho a sexta posição por conta de variação cambial, agora, volta pelo mesmo meio e, com esse crescimento de menos de 1% neste ano, vai ficar mais temo na "segundona"do que esperava. Seria bom que a Presidenteaeaea viesse falar disso com fez quando subiu!


divino -
17/12/2012 - 21h39
lamentavel, para um país que canta de galo:corrupçao,altos juros e nao industrializa nada de sua materia prima


Fabricio -
17/12/2012 - 21h39
LÓGICO..QUEDA DE JUROS E DESVALORIZAÇÃO DO REAL...SÓ PODERIA DAR NISSO!!!


leo -
17/12/2012 - 21h41
até qdo o brasilzão lindo tropical vai ficar brincando de país sério europeizado e civilizado?!?!?!brasil abençoado por deus nao tem absolutamente nada a ver com europa nem amercia do norte! mas os brasileiro teimam em achar o contrario!


Hagamenon Hermes -
17/12/2012 - 21h42
Com o voo de galinha na economia, nos poderíamos esperar o que? Em dois anos a dona Dilma não fez nada, nos dois que lhe resta não teremos nada para comemorar.


Wellington S -
17/12/2012 - 21h46
Belas palavras do Ministro Guido Mantega antes de 2016 o Brasil ultrapassara a economia da França e será a quinta maior economia do mundo


Humberto Afonso Freitas -
17/12/2012 - 21h55
O culpado e o Sr. Mantega com seus Blefes.


Welington -
17/12/2012 - 21h56
Engraçado os comentários aqui, quando o Brasil passou a ser sexta economia, todo mundo falava e daí, a saúde, educação, continua uma droga. Agora cai para o 7 o pessoa fala sobre má administração. Na boa tem gente que fala muito aqui!!!!!


Marcilio -
17/12/2012 - 22h01
Sem educação, infra-estrutura e tributação inteligente, não adianta. Após a crise, os países da Europa retomarão seus lugares. Sem educação pra esse povo ignorante, não adianta.


andrade -
17/12/2012 - 22h02
Com essa clt burra da idade da pedra e com essa industria do acordo no ambito trabalhista pode até baixar juros a zero que o mercado formal nao alavanca mais..querem apostar??


Vaulber B. Pellegrini -
17/12/2012 - 22h03
Voce espera O QUE??????


Fabrício -
17/12/2012 - 22h07
Primeiro vamos ler a Miriam Leitão(Metonimia) , depois comentem , sério...


Claudio -
17/12/2012 - 22h14
COM ESSAS CLAUSULAS PETREAS QUE TEMOS NA NOSSA CONSTITUIÇÃO, O PAÍS VAI DEMORAR A CRESCER MESMO, É COMO SE UMA PESSOA FOSSE QUERER CORRER COM UMA BOLA DE FERRO AMARRADA NO TORNONELO.


celio -
17/12/2012 - 22h15
o Brasil não possui conteúdo para ocupar a sexta posição, só está entre os dez devido ao vasto volume de recursos naturais; é só isto.


Luiz -
17/12/2012 - 22h19
Não é a desvalorização do Real, mas as taxas de juros astronômicas é que impediram um crescimento do PIB, uma vez juros altos capital incentiva a vinda do especulativo para o país e, como consequência a paridade próxima de 1,8. O que deveria-se ter feito era baixar a celic a ponto de segurar capital estrangeiro aqui e, assim, provocar uma alta no dólar para tornar os produtos nacionais mais baratos e vendáveis no exterior, aumentando as exportações e, consequentemente, o PIB.


William -
17/12/2012 - 22h22
Claro que a Dilma fez algo. Continuou o bolsa-miséria, criou salário para os bandidos presos, aumentou o tamanho do estado e deu continuidade ao projeto de nos transformar numa grande Cuba. É pouco ?


Mauricio -
17/12/2012 - 22h22
O Brasil inchou demais nesses ultimos anos , é hora de drenar , e entermos que para sermos competitivos precisamos não só de um câmbio mais fraco , mas sim de marcas genuinas Brasileiras , tem mta coisa gringa querendo lucrar demais e o governo tbm , que resulta em estagnação.


AC -
17/12/2012 - 22h22
E a presidenta agora dirá que neste pais tupiniquim nenhuma revistinha a faz mecher no seu ministrinho. Mas ta dando para o gasto


Jin Watanabe -
17/12/2012 - 22h22
Fizeram de tudo para o dóllar voltar a subir, então por que reclamar da taxa de câmbio.


Adevaldo -
17/12/2012 - 22h23
brasil 6 em economia 39 em educacao numa lista de 40 sem contar saude, seguranca, etc......


rubens -
17/12/2012 - 22h23
A GALINHA POUSOU.


VALDEMIR DO VALE -
17/12/2012 - 22h26
COMO AGORA TEMOS UM NOVO PRI MEXICANO NO PODER TEREMOS DE ESPERAR 9QUER DIZER NOSSOS BISNETOS) UNS 70 ANOS ATÉ QUE ALGUÉM ACORDE NOSSO POVO DESTA MÁQUINA CORRUPTA, INEFICIENTE E CLIENTELISTA QUE SE INSTALOU NESTE POBRE PAÍS DO FUTURO. ESPERAR POR EDUCAÇÃO PARA CORRIGIR O QUE ESTÁ AÍ SÓ SE NOSSAS CRIANÇAS FOREM TODAS PARA O EXTERIOR. É UMA PENA MAS O POVO BRASILEIRO REALMENTE VIVE DE CARNAVAL E FUTEBOL. MIGALHAS JÁ LHE BASTAM PARA ENCHER O BUCHO.


Manoel -
17/12/2012 - 22h35
Com essa visão de corrupção e especulação, o país vai ficar emperrado eternamente em berço esplendido.


Diego -
17/12/2012 - 22h35
Se ilude quem acreditava que o país estaria mudando passando o Reino Unido como potencia econômica há mais de 30 anos que variando a cotação do dolar o país fica entre 6º 2 13º maior economia do mundo.


alvarokoneski -
17/12/2012 - 22h35
o time esta perdendo! Parece que não leram a materia o Brasil continua crescendo mais que o reino unido... o que mudou foi a valorização cambial? pergunto será que eles queriam que o cambio estivesse a 1.60? Se o time do Brasil ta perdendo o que eles acham da Inglaterra, Espanha França e Grécia.


Luiz -
17/12/2012 - 22h36
O Brasil nunca deveria estar entre os principais: pobo lerdo, corrupção à mil, ninguém sabe ler neme screver direiro e tivemos o Lula. Pra baixo e sempre. Bem feito.


Luiz -
17/12/2012 - 22h40
Duro é saber que o Brasil está descendo e ler um comentário de alguém que escreve DESCER sem o S. É buraco já.


Diogenes Tupiniqum -
17/12/2012 - 22h41
Pode ser a 20a economia mundial, o importante é que esteja crescendo, melhor seria se fosse em um ritmo maior, mas, é melhor que estar estagnado como ocorre no Reino Unido. Se estes ranking valem tan


Bruce -
17/12/2012 - 22h42
Que ótimo! Descobri que não sou um cavalo, não sou cego e que existe um "Papai Noel" p/ quem acreditava em sexta maior economia...


wilton morais -
17/12/2012 - 22h44
Enquanto esse país nojento for governado por bandidos canalhas,que não estão nem ai para esse povo burro e retardado que só votam em bandidos o tempo todo,e que ficam satsfeitos com o pão e circo que esse crime organizado fornecem para esses estupidos imbecis, que é a maioria da população brasileira,o que temos que comemorar é só isso mesmo,ou seja,os ditos po´litícos cada vez mais ricos com essa corrupção vergonhosa e juntos com esses empresarios imcompetentes que só sabem sugar,o caminho do BRASIL será sempre esse


Anderson Hoff -
17/12/2012 - 22h44
E sabe o que os brasileiros e o pt vão responder a tudo isso? "chupa 8º pais do mundo..."


Newton Silva -
17/12/2012 - 22h44
Escolano e Vieira; acabo de ver 60 milhoes de suditos da rainha (toda a populacao do Reino Unido) no aeroporto, cada um com 20 kg (numero baseado em dados do Tantalum-Niobium International Study Center) de Niobio no bolso, contrabandeando-o para a Inglaterra.


Ricardum -
17/12/2012 - 22h45
Voo de galinha.


Henrique -
17/12/2012 - 22h53
Pudera. Com tanta roubalheira e quadrilhas à solta, não poderia dar em outra coisa. A Britânica "The Economist" foi muito suave em seus comentários, à respeito da economia brasileira. Um pibinho de titica, crecimento de vôo de galinha; uma política econômica, completamente equivocada; enfim, a nossa econômia já morreu e esqueçeram de enterrá-la !


Roberto Justo -
17/12/2012 - 22h58
Em primeiro lugar, precisamos apreender a escrever, estes comentários refletem o nível culturar de nosso Brasil mesmo. Em segundo lugar so mudamos um pais quando mudamos seus governantes e quem os muda somos NÓS, portanto devemos escolher melhor na próxima vez


leandro -
17/12/2012 - 22h59
Enquanto tivermos um povo de semi-escravos, com nível péssimo de educação e cultura, nunca seremos um país vitorioso. O Brasil só está entre os 7 de maior economia porque é grande territorialmente, mas é ineficiente. O Reino Unido é muito menor do que o Brasil territorialmente.


FABRICIO FERNANDES -
17/12/2012 - 23h01
A população Brasileira não sabe, porem o pior esta por vim. Nos últimos anos nada foi feito alem de consumismo barato não investimos em nada, Mão de obra de baixo valor agregado, infra-estrutura de 20-30 anos sem investimento a bonança das commodities está acabando...


odair lanzoni -
17/12/2012 - 23h02
muitos comentários idiotas. A direita governou esse pais desde 1500 e vocês só analisam os últimos dez anos.Parabéns, estudem um pouco mais, fará bem...


Badaró -
17/12/2012 - 23h05
O BRASIL CRESCE MAIS À NOITE. SABE POR QUE? Resposta: Porque à noite os políticos estão dormindo, assim sendo, não atrapalham o crescimento! Não tem como crescer enquanto não tivermos patriotas e que a oposição aprove os s projetos, porém os partidos não se unem em prol de bons projetos p/ salvar o Brasil. Brigam por interesses próprios e dos cartéis.


Augusto -
17/12/2012 - 23h07
O que muda isso ? Ser a 6a a 7a economia, vivemos na era da pedra aqui no Brasil ! Se me falassem que era a 100a economia seria a mesma coisa !


Leandro -
17/12/2012 - 23h08
O Brasil está descendo a ladeira igual a petrobras


Caca -
17/12/2012 - 23h15
PARABÉNS PRESIDENTA! E A PESQUISA DIZ Q SENHORA TA BEM, SUPER APROVADA...PT, MÁFIA DA NAÇÃO!


Joao Ricardo -
17/12/2012 - 23h17
E rumo a 8 posicao. Brasil sempre voando como galinha.


antonio leal melao -
17/12/2012 - 23h19
Quando uma revista Inglesa fez um comentario negativo do Guido Mantega a presidente Dilma ficou furiosa mais eis ai o resultado e que tende a piorar !


antonio leal melao -
17/12/2012 - 23h24
Quando uma revista Inglesa fez um comentario negativo do Guido Mantega a presidente Dilma ficou furiosa mais eis ai o resultado e que tende a piorar !


Ronaldo -
17/12/2012 - 23h36
E está em sexto pq o resto do mundo tá em crise, senão, estaria muito pior.


Rodrigo -
17/12/2012 - 23h50
Só a uma maneira de o brasil sair desse sistema , isso exigira punhos de ferro e coragem para enfrentar sindicatos de todos os niveis , 1-Uma reforma trabalhista para podermos competir com paises desenvolvidos em pé de igualdade essa uma das mais importantes 2-reforma tributaria arcaica que afunda o brasil 3-reforma politica e o mais importate de todos exugar a maquina publica em todos os niveis e fazer envestimentos de infraestrutaras pessados na economia para sanar a falta de infraestruta em portos rodovias maquinaria pesada quimica educação militar tecnológica etc, se vai exitir um governo para tal façanha não sera o do PT pois isso só é possivel com governos meteóricoa e com coragem de saber se fizeram ninca mais se tornaram presidentes pois isso ´mxer com vespeiro mas terá que ser feito mais cedo ou mais tarde não ha como escapar disso.


gomes -
17/12/2012 - 23h54
Brasil devido ao des governo esta como a petro braz, descendo, exemplo como um elevador, que só vai até o "x"andar e volta e volta e volta


cesar -
17/12/2012 - 23h54
Dilma costuma dar aulas de economia para o primeiro mundo,com certeza sabe o que fazer. Kkkkkkkkk


Jose Pernambucano -
17/12/2012 - 23h57
Infelismente vivemos num país do faz decontas, sufocado por desmando, com enorme propaganda enganosa por parte dos politicos, afundado numa enorme corrupção, sem que lhes pese o poder da lei vide mensaleiros, alguem ja foi preso, e os esforços para blindar o molusco afim de proteger a ele a senhora por ele indicado.


SCF -
18/12/2012 - 00h11
Ué?! Cadê os petralhas para falar que esse empobrecimento brasileiro é culpa da "mídia golpista, do judiciário reacionário, da direita troglodita, dos imperialistas americanos", blábláblá...


AndersonMP -
18/12/2012 - 00h14
Esse povinho não sabe de nada de economia, isso já foi previsto seus bandos de ignorante, o Brasil desvalorizou a sua moeda, isso é momentâneo, o Brasil até 2015 vai ser a 5º economia mundial.


Gleison Augusto -
18/12/2012 - 00h14
Esse Brasil, rico em recursos naturais irá dar um salto significativo quando a sociedade começar a reivindicar o fim do voto obrigatório, que só serve para manter os picaretas no poder. A Maior parte do povo, sem consciência crítica, não sabe qual o resultado de se votar em um picareta ou em um bom gestor público. o primeiro que aparecer oferecendo dinheiro ele vai aceita, já que ele vai ter que votar mesmo.


Bob -
18/12/2012 - 00h38
Vejamos a mentalidade de alguns brasileiros em querer dar procedência de que o Brasil perdeu a sexta posição devido ao nióbio.Ou é ser muito tolo ou é do tipo estudante que apenas assimila tudo que um professor fala,sem ao menos contestá-lo.Vejamos o que é o Brasil,hoje me surpreende estarmos em Sexto,vistoq ue nestes 10 anos surrupiamos ao máximo tudo que tinhamos,logo mais que num país em que a corrupão impera e tudo é motivo para desviar-se verbas públicas,o que antes era essencial como educação,saúde e segurança,passar a ser colocado de lado.Num país em quem bilhões somem da noite para o dia e nada se é feito,não teria mesmo como continuar em sexto nem entre os 10,visto que pouco que se tem feito para educação e vem sendo muto mal planejado.Lamentável ainda ficarmos culpando ao outro país sendo que se há culpa está no próprio povo,que não tem vergonha e continua a colocar larápios no Poder.Assim temos o Brasil ,um país de Tolos!


Flávio Souza -
18/12/2012 - 00h40
Boa parte do povo aqui possui problema cognitivo sério. O Brasil deixou de ser a sexta-economia por uma razão CAMBIAL - razão esta PROPOSITALMENTE efetuada pelo BC que estabeleceu o piso de 2 reais por dólar para o câmbio. Se fosse pelo crescimento do PIB, teríamos nos distanciado ainda mais da Inglaterra que está estagnada. E é cada comentário tosco que me aparece que dói a retina.


Leandro Dias -
18/12/2012 - 00h41
Pelos comentários tem tanto economista bambambam no país que não consigo imaginar como o Brasil perdeu o posto.


Adriana -
18/12/2012 - 00h48
Gente!!!o Brasil não perdeu nada..ele só estava em sexto lugar pq o Reino Unido desceu devido a crise européia...infelizmente não temos políticos com capacidade p/ administrar este pais. Uma pena, eramos um povo melhor..mas a roubalheira foi e continua sendo tanta que não a respeito a mais nada(politica, religião, policia) tudo se transformou numa verdadeira baderna...Sinto muito por tudo isso..


Felipe -
18/12/2012 - 00h48
Deu a logica...Afinal, se continuassemos do jeito que estava, a banana ia comer o macaco!!


Argeu Amaral -
18/12/2012 - 00h49
Mentira tem perna curta,agora as coisas vão comerçar a aparecer, é como se uma empresa de grande porte escondesse momentaneamente os maus resultados e agora eles começam a aparecer. Politica cambial tem que corresponder a economia interna.


antiPT.... -
18/12/2012 - 00h55
sexto em Q mesmo???? falta saúde,segurança,educação, respeito ao cidadão.. ou seja falta quaze tudo!!!! digo quase.. porque tah sobrando CORRUPÇÃO no meio desses PeTralhas... uufaaaa......


christiano -
18/12/2012 - 01h08
já falei, a culpa é do FHC


Ricardo -
18/12/2012 - 01h18
A manutenção do Mantega vai custar a reeleição de Dilma...


Ivan -
18/12/2012 - 01h21
Quando vamos acordar. Depois que o pt acabar com o resto? Acorda Brasil esta ficando insuportavel so nao ve que nao quer ou quem esta mamando no governo.


Helder -
18/12/2012 - 01h24
Enquanto continuarem votando em PT e sua corja, o Brasil continuará esse lixo. É preciso menos interferencia do Estado na economia, menos impostos, maior participação privada na educação, diminuição de protecionismos ridículos e assim por diante.


claudio -
18/12/2012 - 01h25
O brasileiro é igual ao vizinho invejoso encherga tudo o que lá fora tem de melhor (a galinha dos outros é sempre a mais gorda??? porquê???) sua casa tá mal cuidada então, faça sua parte arregasse as mangas e conserte-a!!! sem esperar que alguem faça por voçê ...


FLAVIO MONTORO -
18/12/2012 - 01h28
MARCOS VALÉRIO DISSE QUE O MENSALÃO FOI PATROCINADO PELA VENDA ILEGAL DE RESERVA DE NIOÓBIO, E CADE OS POLITICOS E A MIDIA PARA INVESTIGAR A ROUBALHEIRA DO NOSSO TESOURO???? QUAL A RAZAO DE TODOS SE CALAREM???


Dorfey -
18/12/2012 - 01h38
Sendo 6º ou 7º economia tanto faz,o que importa é melhora na nossa qualidade de vida, vejo estas comparações como alunos,quem tirou a nota mais alta,a Inglatera explorou o mundo todo por séculos, assim como a maioria dos Europeus, vamos passar eles de qualquer forma,cedo ou mais tarde,nós podemos mais, afinal somos novatos (só 500anos)ao contratio deles que são o velho continente,somos na maioria seus descendentes...Abraços.


Fernando -
18/12/2012 - 01h41
Adoro essas comparações que fazem entre Brasil e o Reino Unido. Aquela "ilhota" deve caber dentro do Rio de Janeiro e mesmo assim disputa a 6 posição com um país continental como o nosso. Fora que eles estão "estagnados" com um PIB per capita de US$ 36000!


Couto -
18/12/2012 - 01h46
Que saudade do governo militar! Pelo menos naquela época existia planejamento e investimento em infraestrutura,


Jose Oliveira -
18/12/2012 - 01h46
Presidente Dilma precisa dizer para que foi eleita, desde quando ela entrou, a nossa economia so encolheu, ao ponto de agora perder o posto conquistado durante governo Lula


ze -
18/12/2012 - 01h47
Que diferença isso faz? Mostra que estamos na sexta posição devido a valorização do real que era artificial, voltamos a nossa posição de origem e isso não faz diferença nenhuma na vida de ninguém.


Raul -
18/12/2012 - 02h02
Isso é que dá 10 anos de um governo extremamente incompetente. E vem mais por aí...


Wesley -
18/12/2012 - 02h07
Senhores, esperar o que de um país que gasta um 1 bilhão aqui com um estádio, outro bilhão ali. E a economia contínua estagnada, daí idiotas falam em roubo de minério, não cola mais, o PT não rouba este país ele saqueia, mas tem aprovação da maioria, vamos ver depois da Copa do Mundo e Olimpíadas. Brasileiros, acordem!!! Dinheiro não leva desaforo, prova disso é os EUA, gastaram trilhões em guerras particulares, como estão? E olha que eles tem a máquina de fazer dólar.


Tommaso -
18/12/2012 - 02h08
Fraca educacao, pessima infra estrutura, tributos altos, populacao passiva e submissa. Ingredientes perfeitos para sofrer, sofrer, sofrer. Ainda bem que moro em outro pais.


Carlos -
18/12/2012 - 02h09
Em SEXTO ? com o (des)governo do PT. Ihhhhhhhhhhh... a LEPTOCRACIA é um TITANIC...


William -
18/12/2012 - 02h13
Alegria de pobre dura pouco!


contact -
18/12/2012 - 02h31
Está na hora de repetir as caras pintadas e exigir moralidade, já.Essa máfia está abusando da paciência do povo...


sandro lima -
18/12/2012 - 03h04
O que não entendo, é a popularidade da presidente!!!! A cada levantamento bate recorde de aprovação! só pode ser maracutaia não é possivel, pois o Brasil estagnou! os indiscutivelmente, mensaleiros foram mais eficazes do que os limpos.


Gustavo -
18/12/2012 - 03h14
BRASIL,QUER SER LÍDER EDUCAÇÃO,EDUCAÇÃO,EDUCAÇÃO!!!!!!!!!!


Antonio José -
18/12/2012 - 04h09
Apesar da explicação, na própria reportagem, alguns aqui preferem a visão política, a visão do quanto pior, melhor... É compreensível, pois deve ser difícil para a turma do príncipe, e os seus súditos, digo viúvas, aceitarem que o povo brasileiro vive, cada vez melhor... Talvez seja por isso que o PT quer com Dilma, quer com Lula são os favoritos em 2014...


Rogerio Almeida -
18/12/2012 - 04h42
Nossa, que festival de ignorância aqui nos comentários. O Brasil voltou a ser a sétima economia por uma questão meramente monetária, de mera taxa de conversão de moedas. É preciso lembrar que a desvalorização não trouxe inflação, não causou uma crise como no passado. Ela foi até boa, porque era uma distorção aquele nível de câmbio. A longo prazo aquele câmbio muito valorizado ia trazer sérios problemas.


PORTUGAL -
18/12/2012 - 05h03
PARA OS CRITICOS DESTA MATERIA TENHO ATENÇAO QUE QUALQUER ECONOMIA CAI QUANDO SE TRATA DE UM FATOR CHAMADO CAMBIO..TEM QUE VER PRIMEIRO O MOTIVO DEPOIS SIM CRITICAR O DALOR VALORIZOU MUITO ISTO CONTA SE MUITO...OK


gomes -
18/12/2012 - 05h16
ME POUPEM,,AONDE inglaterra tem produto interno bruto maior que o Brasil ,,nunca,, nos temos a maior pecuaria , avicultura, agricultura, minerio de ferro ,uranio,,exportsamos nossa biodversidade,,,,,o que eles tem,,nada


Paulo Paica -
18/12/2012 - 05h17
O que se esperar de um país de corruptos.


Wagner -
18/12/2012 - 06h11
As coisas bos que o FHC deixou para o pais estao se exaurindo como uma mina de ouro, como o PT nada fez alem de jogar dinheiro no lixo, vai acabar a vida ba em brave. Petrobras no rumo ao fim do poco, cias eletricas idem, vale de mal a pior.... Bem eles vao dizer que e intriga da midia.


Fabio Nunes -
18/12/2012 - 06h24
É o resultado da falida, administração ptista conduzida pelos seus dois expoentes-mor: a cleopatra do planalto e o seu ministreco, obscuro e levantador de pib, mantega....fora incompetentes!


luiz -
18/12/2012 - 07h02
Educação básica e superior de péssima qualidade,profissionais medíocres incapazes de falar a propria língua e uma outra, um povo imbecilizado por futebol e música de péssima qualidade, milícias e traficantes,periguetes,pseudo-intelectuais esquerdopatas...essa é a cara de um país que quer ser potência


S. Lincoln -
18/12/2012 - 07h14
Ainda que repetido milhares de vezes, um mantra não altera a realidade. Nem a propaganda.


Bruno Versuto -
18/12/2012 - 07h31
Vejo muitos comentários sobre o que devemos fazer ou a culpa é disto ou daquilo. No entanto o que efetivamente estamos fazendo como cidadãos. Vamos nos levantar, se os políticos atuais não servem, vamos nós buscarmos em nosso meio pessoas capazes. temos que parar de apenas apontar soluções e nos tornarmos parte do processo.


Kal -
18/12/2012 - 07h43
Mas continua o primeiro em corrupção.


Fabiano -
18/12/2012 - 07h49
Pib não é PPC. Embora seja preocupante o mal desempenho do nosso pais, poderíamos saltar para o 20º lugar se tivessemos uma educação melhor e mais saúde. O poder real do pib é vinculado ao ppc, o que torna o pib nominal irreal.


Daniel -
18/12/2012 - 07h50
O continuísmo é prejudicial ao país. O modelo governamental do PT já se esgotou, é hora de mudarmos para arriscar, ver o que acontece.


laviron -
18/12/2012 - 07h52
Tudo isso sem falar na "vaca louca"(bovino) não é quem vcs estão pensando não!


celso -
18/12/2012 - 07h58
É VÓIS AÍ cumPTanheiros, LEVANDO O BRASIL PTro BURACO SIC!


Vítor Hugo Lima -
18/12/2012 - 08h02
Se o Brasil estivesse em 20º mas tivesse o IDH do Reino Unido estaria bom demais. Que adianta a economia, o PIB, estar alto e o povo viver na insegurança, na falta de infra-estrutura, etc? Quando esta hipocrisia de valorização da riqueza monetária irá acabar?


AWanderley -
18/12/2012 - 08h04
Eu queria que o Brasil fosse a 20º economia com metade da saúde, educação, segurança, infraestrutura, etc do Reino Unido. Precisamos perder esta mentalidade parva de "sermos grandes" em PIB com metade sendo 40% de impostos e sem serviços publicos minimamente decentes. É hora de começar a "reduzir o estado", os cabides, os cargos politicos e principalmente os salários, mordomias, etc. para que realmente sejamos uma economia decente.


Hermann -
18/12/2012 - 08h06
Não vejo razão para subir no ranking da economia se continuar um país injusto, de poucos. Não vejo razão para não cobrar tributos altos, o que precisamos é bem investi-los (na Suécia os mais ricos são tributados em até 90% de seus rendimentos). Não vejo também razão para precisarmos crescer a níveis percentuais cada vez maiores se o que hoje toma conta da agenda é a área ambiental. Precisamos é de inventar um novo modelo societário e econômico e não perseguir o falido modelo europeu, americano e japonês. Isso é que precisa ocupar espaço no sistema educacional.


MARCELO -
18/12/2012 - 08h08
6º economia, só na cabeça de nossa presidenta.


antonio de padua dos santos -
18/12/2012 - 08h09
Uai pensei que o Lula tinha colocado o brasil como primeira economia mundial .Que decepção saber que era a sexta .


Tony -
18/12/2012 - 08h14
Na prática, o reino unido estara na frente do Brasil pra sempre - fato.


Leandro Silva Galvão de Carvalho -
18/12/2012 - 08h20
Só no país do faz de conta do PT que o Brasil figura entre as 10 maiores economias do mundo. A máscara começou a cair.


Jonas Barbosa -
18/12/2012 - 08h26
Enquanto o Brasil não investir em pesquisa e tecnologia de ponta vai continuar como está. Agora não esqueçamos, que no desgoverno do FHC o Brasil caiu de 8ª para 15ª posição, e, Eu que achava que os integrantes das sredes sciais fossem mais esclarecidos.


Geraldo Mendes Gutian Júnior -
18/12/2012 - 08h34
Infelizmente, o nosso país não sabe escolher os governantes...Agora é levar carona dos outros países...


dilson de paiva moreira -
18/12/2012 - 08h39
Que marravilha!


EDMUNDO -
18/12/2012 - 08h41
Com a Dilma incompetente no comando, é claro que vai cair mais ainda a economia do Brasil.


akito -
18/12/2012 - 08h44
não adianta o país ser a sexta ou a primeira economia do mundo se não consegue ser umas das primeiras em segurança,saúde,educação.Outros países q estão abaixo do Brasil no ranking estão mil vezes melhores em qualidade de vida,e é isso q o país precisa,acorda Brasil!!!


edvaldo -
18/12/2012 - 09h03
Isso é a prova que a presidenta não sabe administrar o pas!


Paulo MG -
18/12/2012 - 09h16
Eu só queria saber como o governo consegue manipular o voto eletronico com tanta gente contra ele??????????

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Recompra de dívidas se torna atraente para bancos brasileiros, diz Fitch
A agência de classificação de risco Fitch apontou em relatório que alguns bancos pequenos e médios brasileiros têm buscado recomprar dívidas abaixo do valor de face
Awazu fala em vigilância para assegurar convergência da inflação à meta em 2016
O diretor de Política Econômica do Banco Central, Luiz Awazu Pereira, afirmou nesta quinta-feira (24) que é preciso manter a vigilância para assegurar a convergência da inflação para a meta ao fim de 2016
Tombini diz que País passa por 3 ajustes importantes: externo, fiscal e monetário
Segundo o presidente, movimento é resultado de uma economia que está em contração, mas também do ajuste de preços, o que reduz a necessidade de financiamento do país em 2015
Câmbio e inflação presente dominam as previsões de 2016, segundo BC
Em estudo apresentado no relatório trimestral de inflação o BC resolveu investigar mais a fundo as determinantes das expectativas de inflação e a inércia inflacionária