Porto Alegre, segunda-feira, 17 de janeiro de 2022.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
19°C
15°C
7°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 5,5230 5,5250 1,61%
Turismo/SP 4,7300 5,8120 0,44%
Paralelo/SP 4,7400 5,6700 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
117706
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
117706
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
117706
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

Artigo Notícia da edição impressa de 30/10/2012

Inovar dá dinheiro

Paulo Afonso Pereira

A Inovação é cada vez mais o campo de batalha global e sua acumulação como capital para o desenvolvimento passa pela gestão adequada da propriedade intelectual. O Brasil, apesar dos avanços da última década, ainda está longe das melhores posições no mapa internacional da  inovação. Dentro do mesmo cenário, o País  tem baixos índices em registro de patentes, um indicador de competitividade nos dias atuais. A inovação é o fator-chave para a qualidade das empresas e o desenvolvimento tecnológico do País. Inovando e respeitando a propriedade intelectual de terceiros, as empresas agregam valor a seus produtos e serviços e desta forma podem ter acesso a novos mercados, multiplicando  suas receitas e sendo  capazes de gerar vantagens competitivas, a médio e a longo prazo. Entretanto, a cultura de gerar ou abrigar ideias inovadoras ainda engatinha na maioria das empresas brasileiras, bem como o investimento em pesquisa,  fundamental para que surjam ideias criativas que gerem inovações.

Vamos aos dados. Em 2011, segundo o presidente do INPI, Jorge d’Avila, partiram daqui 586 pedidos de registro de patentes rumo ao United States Patent and Trademark Office (Uspto), o órgão americano de proteção à propriedade intelectual - onde todos que têm algo a vender querem ter seu produto registrado.  Houve um avanço de 167,6% relativo aos  219 pedidos lá depositados em 2000, mas ainda é pouco, muito pouco. No mesmo período, a China passou de 626 para 10.545 requerimentos, e a Índia, de 643 para 4.548, comprovando mais uma vez a eficácia da equação desenvolvimento e inovação.

O governo federal está atento à necessidade de um projeto para inserir o Brasil na rota da competitividade global via desenvolvimento científico e tecnológico.  Entretanto, há ainda uma longa estrada a percorrer. E atenção: a inovação deve ser uma agenda prioritariamente empresarial e não apenas governamental e acadêmica. Mas cuidado: se a empresa decidir entrar no caminho da inovação, é fundamental verificar, no banco de dados, as informações tecnológicas sobre o que já existe. O objetivo é reduzir tempo de trabalho e evitar que se gaste fôlego e dinheiro produzindo algo já superado.

Ex-presidente do INPI


COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Acorda, Brasil
A maré da indignação nacional, por força de suas vertentes naturais, rompeu os diques da tolerância popular e se espraiou com a violência de um tufão
O Dia Mundial do Turismo no Rio Grande
Domingo, dia 27 de setembro, será comemorado o "Dia Mundial do Turismo no Rio Grande do Sul"
Dilma: pague a compensação da Lei Kandir
Aprovada em 1996, a lei federal isenta o ICMS de produtos e serviços para exportação
Fusões & Aquisições, oportunidade e risco
Quatro vezes um é igual a um! Essa é ainda a matemática feita pelo investidor estrangeiro em relação ao Brasil