Porto Alegre, sexta-feira, 24 de janeiro de 2020.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
29°C
34°C
19°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,1860 4,1880 0,50%
Turismo/SP 4,1200 4,3820 0,09%
Paralelo/SP 4,1300 4,3800 0,22%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
466651
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
466651
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
466651
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

TECNOLOGIA Notícia da edição impressa de 19/10/2012

Implantação do 4G em Porto Alegre enfrenta obstáculo

Fernando Soares

ANTONIO PAZ/JC
Bampi cobra regulamentação nacional para as estações radiobase
Bampi cobra regulamentação nacional para as estações radiobase

Mesmo tendo dezembro de 2013 como prazo estabelecido para a implementação do sinal de internet 4G, Porto Alegre terá de driblar um obstáculo se quiser ter o serviço de forma eficaz. Isso porque a atual legislação municipal dificulta as operadoras de instalarem estações de radiobase. Para permitir a conexão ao sistema de velocidade superior ao 3G é necessário ampliar significativamente a quantidade de antenas para a emissão do sinal.

“Para o 4G é necessário quase que quadruplicar o número de antenas frente ao que existe hoje. E Porto Alegre é a cidade com a legislação mais rigorosa do Brasil em relação à instalação de estações radiobase. Se essa questão regulatória não for resolvida, vai ser difícil termos a implementação eficaz do 4G na Capital gaúcha”, acredita o presidente da Federação Brasileira de Telecomunicações (Febratel), Hélio Bampi, que esteve nesta quinta-feira na Capital para participar de um seminário promovido pela Fiergs com foco no setor.

Segundo Bampi, a legislação é um entrave que vai além do solo porto-alegrense e, por isso, precisa de uma regulamentação nacional. “Nessa modernização de tecnologia, é necessário criar uma lei nacional que desburocratize a implantação das estações radiobase. Se isso não for resolvido rapidamente, vamos ter um retardamento da implantação do 4G em Porto Alegre e em outras cidades”, afirma o presidente da Febratel. Para ele, seria ideal haver uma solução para o tema até o final do ano. Ele lembra que os ministérios das Comunicações e das Cidades já estão tratando o assunto com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

O número de antenas só não precisará ser maior porque as quatro executoras do serviço (Claro, Oi, TIM e Vivo) vão compartilhar a estrutura. “Essa tecnologia precisa antenas próximas umas das outras, a não mais de 300 metros de distância”, justifica João Bettoni, gerente da Anatel no Rio Grande do Sul.

Porto Alegre compõe a segunda leva de sedes da Copa do Mundo de 2014 que terão a tecnologia até 31 de dezembro de 2013, conforme a Anatel. Antes, em abril do próximo ano, as seis localidades que receberão a Copa das Confederações devem ter o sinal. Para os demais municípios com mais de 100 mil habitantes, a previsão de disponibilidade é 31 de dezembro de 2016. A qualidade da conexão 4G, porém, é uma incógnita na opinião de Edgar Serrano, presidente do Sindicato das Empresas de Informática do Estado. “O 3G, que é o produto atual, funciona muito mal no Brasil. Fico preocupado em relação à qualidade do serviço a ser prestado”, menciona.

A indústria gaúcha já se mobiliza para lucrar com o 4G. Uma das contrapartidas impostas às operadoras que arremataram lotes no leilão da Anatel está no uso de equipamentos e tecnologias nacionais. Entre 2012 e 2014, 60% dos produtos e tecnologias utilizadas precisam ser produzidas internamente. Esse percentual sobe para 65% no biênio 2015 e 2016 e para 70%, entre 2017 e 2022.

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Documentos foram assinados nesta quinta-feira por José Ivo Sartori
Rio Grande do Sul lança editais para parques e polos tecnológicos
Nanossatélite brasileiro entra em órbita e tem sinais captados no país
O artefato está em órbita a uma altitude de cerca de 400 quilômetros e funciona da forma prevista
Donos de aparelhos Apple já podem baixar sistema operacional iOS 9
A Apple liberou nesta quarta-feira (16) a nova versão do seu sistema operacional, o iOS 9, que já está disponível para os modelos mais recentes de iPhone, iPad e iPod Touch
Mark Zuckerberg anunciou que a empresa já está trabalhando na nova ferramenta
Facebook terá botão ‘não curti’, anuncia Mark Zuckerberg