Porto Alegre, sábado, 28 de março de 2020.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
26°C
33°C
22°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 5,1010 5,1030 2,06%
Turismo/SP 4,3600 5,2040 2,15%
Paralelo/SP 4,3700 5,1000 2,20%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
713528
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
713528
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
713528
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

SAÚDE Notícia da edição impressa de 03/09/2012

Tratamento para artrite reumatoide é atualizado

Médico gaúcho integra comissão da Sociedade Brasileira de Reumatologia que fez novas recomendações
JOÃO MATTOS/JC
 Brenol diz que enfermidade acomete cerca de 1% da população.
Brenol diz que enfermidade acomete cerca de 1% da população.

Os médicos brasileiros têm, pela primeira vez, uma publicação na área da reumatologia que os orienta sobre o diagnóstico e o manejo das comorbidades em pacientes com artrite reumatoide. A doença se caracteriza pela inflamação nas articulações, mas outros órgãos também podem ser afetados, como pulmões, olhos e vasos sanguíneos. Se não for tratada adequadamente, ela pode ocasionar deformidades e limitações para a vida diária. 

As recomendações foram feitas pela Comissão de Artrite Reumatoide da Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR), que tem como membro o médico Claiton Brenol, professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) e gestor do serviço de reumatologia do Hospital  Mãe de Deus. “Existe um grande volume de novos conhecimentos científicos na identificação e no tratamento das comorbidades associadas à doença. Indivíduos com esse diagnóstico têm maior chance de apresentar outras doenças, como aquelas de etiologia autoimune, além de hipertensão arterial sistêmica, de dislipidemia e diabetes mellitus”, explica o médico. 

Assim, de acordo com ele, um manejo mais adequado destas enfermidades é fundamental para a vida dos que têm artrite, pois, como o risco cardiovascular é maior, o índice de mortalidade também aumenta. O especialista afirma que essas recomendações são importantes para o diagnóstico precoce e o tratamento adequado. 

As novas orientações foram publicadas na Revista Brasileira de Reumatologia. Algumas delas são: evitar doses elevadas de corticoides por períodos prolongados; análise regular de densitometria deve ser efetuada em pacientes com mais de 50 anos; pacientes devem ser instruídos a evitar quedas, aumentar a ingestão de cálcio e exposição ao sol, e praticar exercícios físicos com frequência. Além disso, o cuidado de uma equipe multidisciplinar, com a participação ativa de um reumatologista, é recomendado para o tratamento e monitorização das doenças associadas. 

Jornal do Comércio – Estas novas recomendações servem como base para os médicos da área tratarem os seus pacientes?

Claiton Brenol - Recomendações médicas baseadas na revisão da literatura científica chanceladas por sociedades médicas como a Sociedade Brasileira de Reumatologia ou a Associação Médica Brasileira são fontes confiáveis que auxiliam na atualização e no acesso a informações da comunidade médica em geral.

JC - A artrite reumatoide tem cura? Os pacientes conseguem, com o tratamento adequado, levar uma vida normal?

Brenol - Não. Não existe nada conhecido que faça desaparecer a doença, como acontece, por exemplo, com uma infecção quando se faz o tratamento com o antibiótico certo. Contudo, a artrite reumatoide pode ser bem controlada e ter seus sintomas resolvidos quando se atinge a remissão da doença. Remissão é uma fase em que a doença deixa de estar ativa, com o desaparecimento da dor e do inchaço das juntas e com a normalização dos exames de laboratório. É como se a pessoa estivesse curada, fazendo com que consiga obter uma qualidade de vida comparável àdas pessoas sem a doença.

JC - A mortalidade é alta?

Brenol - Pacientes com a doença apresentam taxas aumentadas de mortalidade em comparação com a população em geral. Pacientes portadores têm uma sobrevida menor do que a da população em geral. A expectativa de vida pode diminuir em até dez anos, dependendo da gravidade e da idade de início da doença. As principais causas de morte descritas são infecções, doenças linfoproliferativas, doenças cardiovasculares e cerebrovasculares, complicações gastrintestinais e relacionadas às manifestações sistêmicas da artrite reumatoide, sendo que as doenças cardiovasculares estão entre as principais causas de morte hoje. Assim, estas recomendações também alertam os médicos sobre a prevenção dos fatores de risco relacionados às doenças cardiovasculares. 

JC - A doença tem mais incidência em idosos ou pode aparecer em qualquer idade?

Brenol - A artrite reumatoide acomete cerca de 1% da população. Qualquer pessoa, desde crianças até idosos, pode desenvolver a doença. No entanto, ela aparece mais comumente em mulheres por volta dos 35 e 45 anos de idade. Pessoas com história da enfermidade na família têm mais chance de desenvolver a doença.

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
CFM suspende idade limite para mulheres usarem técnicas de reprodução assistida
A decisão faz parte de resolução divulgada hoje (22) pelo Conselho Federal de Medicinal (CFM) que atualiza as regras para reprodução assistida no Brasi
Córneas podem ser doadas de seis a 12 horas depois da morte
Fila de espera para córnea dura menos de 30 dias
Porto Alegre terá edição do Farmacêutico na Praça neste domingo
Ação ocorre no Parque da Redenção, a partir das 8h, e é gratuita
Pesquisa: 89% dos clientes de planos de saúdes estão em operadoras bem avaliadas
Na faixa intermediária, com notas de 0,4 a 0,59, houve queda de 34,5% no número de operadoras