Porto Alegre, segunda-feira, 17 de junho de 2019.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
19°C
25°C
18°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,8980 3,9000 1,16%
Turismo/SP 3,8500 4,0400 1,00%
Paralelo/SP 3,8600 4,0500 0,99%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
612907
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
612907
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
612907
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

Artigo Notícia da edição impressa de 27/08/2012

A advocacia como um negócio

Marisa Golin da Cunha

Os clientes de escritórios de advocacia buscam otimização de seu tempo e eficiência. O mercado naturalmente depura os escritórios que podem oferecer o melhor preço, com a melhor reputação e a entrega do serviço contratado. O treinamento acadêmico do Direito, no entanto, enfatiza nos profissionais, que estão em formação, o individualismo e a autonomia e não aqueles conteúdos e objetivos coletivos, e em comum, que deveriam ser a cultura da empresa-escritório. No negócio advocacia, o jurídico do escritório é um dos elementos que fazem o seu sucesso e sua permanência no mercado. Em geral, os fatores que fazem um escritório perder um cliente não costumam ser o atendimento empresarial e jurídico. Deve-se, por isso, trabalhar com igual perseverança três distintas áreas, ou seja: a controladoria jurídica, o jurídico e o financeiro.

O investimento dos escritórios deve estar, portanto, fortemente direcionado às áreas de suporte, de logística jurídica e processual, com o apoio de um software adequado e que conduza a uma efetiva sistematização da rotina, dos processos e procedimentos, da tecnologia, do financeiro e dos recursos humanos. Tudo isso possibilita a geração e a oferta dos predicados que os clientes desejam e esperam, ou seja, agilidade, segurança e qualidade na gestão dos serviços jurídicos, além dos seus casos e processos, eliminando retrabalho, afastando os custos ocultos e melhorando as finanças do escritório para os desafios acirrados da conjuntura e do mercado. Tratar o negócio advocacia como uma empresa é hoje é imperativo. Adaptar-se com rapidez às mudanças tecnológicas e identificar os novos nichos e necessidades dos clientes é decisivo. São atos de sobrevivência empresarial para os escritórios. Assim, a “alta administração” do escritório-empresa precisa planejar, apontando e direcionando para os mesmos alvos as ações de toda a equipe e fazendo com que o esforço comum reflita em resultados esperados e sonhados. Especialmente o sonho do cliente.

Advogada e economista

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Acorda, Brasil
A maré da indignação nacional, por força de suas vertentes naturais, rompeu os diques da tolerância popular e se espraiou com a violência de um tufão
O Dia Mundial do Turismo no Rio Grande
Domingo, dia 27 de setembro, será comemorado o "Dia Mundial do Turismo no Rio Grande do Sul"
Dilma: pague a compensação da Lei Kandir
Aprovada em 1996, a lei federal isenta o ICMS de produtos e serviços para exportação
Fusões & Aquisições, oportunidade e risco
Quatro vezes um é igual a um! Essa é ainda a matemática feita pelo investidor estrangeiro em relação ao Brasil