Porto Alegre, terça-feira, 25 de fevereiro de 2020.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
23°C
29°C
22°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,3920 4,3940 0,04%
Turismo/SP 4,3500 4,6200 0,21%
Paralelo/SP 4,3600 4,6100 0,21%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
114671
Repita o código
neste campo
 
 
FEIRA DO LIVRO
- Últimas notícias
- Galeria da Feira
- Expediente
- Hotsite Feira 2010
- Troféu Cultura Econômica
- Premiados
- Fotos Premiação 2011
 

Notícia da edição impressa de 09/11/2011

Fernando Morais mergulha na Guerra Fria

Bruno Felin

MARCOS NAGELSTEIN/JC
Fernando Morais abre detalhes do seu último livro
Fernando Morais abre detalhes do seu último livro

Escritor e jornalista tarimbado, Fernando Morais se deslocava de carro em 1998 quando ouviu uma notícia no rádio: “preso grupo de espiões cubanos infiltrados nos Estados Unidos”. O faro de repórter foi imediatamente atiçado, logo ele que é confessadamente simpatizante do modo vermelho de governar e que, em plena ditadura militar do governo Geisel, lançou A ilha, enfatizando os méritos da revolução de Sierra Maestra.

As boas relações de Morais foram fundamentais para o processo de produção de Os últimos soldados da guerra fria, lançamento da Cia das Letras. Foi com muito trabalho e contatos que ele conseguiu com exclusividade a história de cinco membros da Rede Vespa, um grupo de doze homens e duas mulheres infiltrado nos Estados Unidos, com o objetivo de espionar alguns dos 47 grupos anticastristas sediados na Flórida.

Um exemplo foi a ajuda do presidente venezuelano Hugo Chávez para obter acesso a um dossiê sobre a questão, enviado por Fidel Castro a Bill Clinton - a primeira e única correspondência entre os governos em 50 anos de revolução - para ser entregue por ninguém menos do que o Nobel de Literatura Gabriel Garcia Márquez.

Em palestra na Feira do Livro, o autor defendeu a publicação de uma carta, segundo ele “deliciosa”, produzida por Gabito para contar a operação a Fidel. Ele também relatou a odisseia para conseguir entrevistas com os presos. “Mesmo tendo feito três entrevistas com Fidel, diversas visitas e trabalhos em Cuba, penei muito para fazer as apurações”, conta Morais. Foram dois anos de campo, em viagens entre os Estados Unidos e Cuba.

O resultado é um livro de histórias maravilhosas, uma grande reportagem com detalhes incríveis, como a história de um dos autores de atentados contra civis em Cuba, que diz ter feito tudo por ser fã de Sylvester Stallone. Morais confessa a expectativa de engrenar uma carreira internacional com este livro, após o sucesso da biografia de Paulo Coelho, campeã de vendas ao redor do mundo. Para os leitores na palestra, o escritor soltou outro detalhe: Hugo Chávez também tenta convencer o diretor americano Oliver Stone a assinar um longa sobre a história. Será que ele consegue?

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR