Porto Alegre, terça-feira, 17 de setembro de 2019.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
16°C
24°C
14°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,0950 4,0970 0,17%
Turismo/SP 4,0400 4,2800 0%
Paralelo/SP 4,0500 4,2900 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
891447
Repita o código
neste campo
 
 


 18º Festival Mundial
 de Publicidade
 De 31 de agosto
 a 2 de setembro
 Serra Park, Gramado/RS

02/09/2011 - 13h35min

Observação e diversidade são fontes de ideias, apontam publicitários

Paulo Serpa Antunes

BRUNO BORGES/JC
Valente (de pé) diz que uma ideia não pode se resumir a uma piada
Valente (de pé) diz que uma ideia não pode se resumir a uma piada

O painel painel “Onde estão as ideias na propaganda?”, segundo da sexta-feira (2) no Festival Mundial de Publicidade de Gramado serviu para consolidar as ideias que permearam os três dias de discussões no evento, que abordou temas ligados a criação publicitária.

O primeiro painelista, Mário D’Andrea, sócio da agência Fischer & Friends, veio com dicas bem simples e diretas de fontes de inspiração para os profissionais das agências: "olhe para a sua família", "olhe para as pessoas conversando nos bares" e "olhe para o que acontece nas ruas", entre outros. Para cada dica, comerciais eram exibidos no telão, ilustrando que aquelas campanha nasceram da observação.

No encerramento, D'Andrea deu uma última dica. "Procure o jeito mais interessante de conta a sua história", comentou.

Na sequência, Sérgio Valente, presidente da DM9DDB, arrancou aplausos com um discurso provocador e iconoclasta. "Jingle é a ferramenta do publicitário incompetente. A ideia não pode ser só uma musiquinha, uma piadinha", afirmou.

No telão, enquanto falava, outros recados chamavam a atenção da plateia: "A melhor ideia na é necessariamente a primeira, mas é obrigatoriamente a que mehor se relaciona com a vida das pessoas".

Apoiado em uma pesquisa da Wired, apontou que as agências devem apostar na diversidade: "junte os diferentes que você vai ter uma ideia totalmente diferente". Valente deu suas sugestões para criar este ambiente nas agências: "estou tirando as mesas da DM9 - mesa é uma coisa neandertal".

No espaço reservado ao debate, encurtado em razão da falta de tempo, Valente lançou ainda um alerta para que os publicitários não percam o foco. "O principal produto de uma agência não é criação, é conexão da marca com as pessoas".

O evento foi mediado por Mauro Dorfman, da Dez Comunicação, e teve como painelistas Claudia Schroeder, da Martins + Andrade, Eduardo Axelrud da Escala, e Felipe Goron, diretor de marketing do Grupo RBS.