Porto Alegre, quinta-feira, 17 de outubro de 2019.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
23°C
27°C
19°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,1580 4,1600 0,07%
Turismo/SP 4,0900 4,3400 0,68%
Paralelo/SP 4,1000 4,3300 0,68%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
176490
Repita o código
neste campo
 
 

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e as edições
dos últimos
5 anos do JC.


 
para folhear | modo texto
 
imprimir IMPRIMIR

economia/tecnologia Notícia da edição impressa de 28/12/2012

Comunicação com qualidade é desafio

Patricia Knebel

Considerada uma das principais cidades tecnológicas do Brasil, especialmente pelas suas iniciativas de governo eletrônico, Porto Alegre ingressa em 2013 com o desafio de dar um passo à frente.

Sede da Copa do Mundo de 2014, a capital gaúcha precisa acelerar os projetos para receber com qualidade os turistas e jornalistas do mundo todo. A cobertura das partidas será feita por cerca de 500 canais de televisão e por mais de 20 mil jornalistas, segundo estimativa do Ministério dos Esportes e da Fifa.

As exigências da Fifa para a Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) das cidades serão melhor especificadas no final de janeiro. Mas a entidade já deixou claro que o mínimo que espera é que as pessoas possam se comunicar com tranquilidade. E é justamente aí que pode apertar o sapato das cidades brasileiras, inclusive de Porto Alegre.

As operadoras de telefonia móvel se comprometeram a estar com a tecnologia 4G pronta para atender aos usuários que buscam velocidade de conexão. Porém, ainda enfrentam dificuldades em garantir a satisfação dos clientes com a tecnologia atual (3G).

Esse problema teve o seu ápice em 2012, quando órgãos como OAB-RS, Procon-RS e Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) entraram em cena e obrigaram as empresas a paralisarem a venda de chips até que comprovassem que poderiam entregar os serviços prometidos.

Para que a qualidade do sinal melhore, um imbróglio que vem se arrastando há anos precisará ser resolvido: o aumento do número de Estações Rádio Base (ERBs) instaladas no País. Levantamento do SindiTelebrasil mostra que apenas para as 12 cidades-sede da Copa do Mundo serão necessárias 9.566 licenças para a instalação de antenas de 4G. E pelo cronograma de instalação, a tecnologia deve estar funcionando em abril de 2013 nas cidades que receberão a Copa das Confederações, e em dezembro de 2014, nas da Copa do Mundo.

A instalação de novas ERBs enfrenta resistência de muitos municípios, especialmente das secretarias do Meio Ambiente. Em Porto Alegre – cidade que possui uma das leis mais rígidas nesse sentido – especialistas alertam que as operadoras e o poder público precisarão entrar em um consenso. Vale destacar que a lei que rege a instalação dessas infraestruturas é municipal.

A cidade também trabalha para ampliar a oferta de infraestrutura de acesso à internet via wireless. Hoje já existem pontos de wireless mantidos pela Procempa em parques e praças, como Redenção, Usina do Gasômetro, Parcão, Chalé da Praça XV e pista de skate do IAPI. O mesmo acontece em prédios públicos como da Câmara Municipal, Santa Casa, Centro Municipal de Cultura e Teatro São Pedro. 

Além dessa questão das telecomunicações, há uma transformação acontecendo, na qual, aos poucos, Porto Alegre deixa de se posicionar institucionalmente como uma cidade digital para se tornar uma cidade inteligente. É um conceito que já é realidade em outros países e se baseia na oferta de serviços públicos mais eficientes aos cidadãos, como segurança e mobilidade e conectividade.

“A ideia é construirmos juntos uma cidade inteligente, que possa atender quem virá para cá para ver os jogos, mas que também fique como um legado importante para Porto Alegre”, comenta a secretária de Inovação e Tecnologia de Porto Alegre (InovaPOA), Deborah Pilla Villela. Ela cita a participação de diversas secretarias e empresas nesse projeto, como a Companhia de Processamento de Dados de Porto Alegre (Procempa).

Um passo importante nesse sentido deve ser dado ao longo de 2013, em parceria com a IBM. A cidade foi uma das vencedoras do Smater Cities Challenge, promovido pela multinacional. O projeto escolhido - denominado “Cidade Cognitiva” - visa à criação de um sistema para simular impactos antes da tomada de decisões sobre obras e ações demandadas pelo Orçamento Participativo (OP). Como prêmio, a Capital receberá uma consultoria da IBM em 2013, para a implantação dessa iniciativa.

Ceic é um dos mais modernos do País

Parte significativa da inteligência necessária para atender a um grande fluxo de pessoas durante os jogos da Copa do Mundo em Porto Alegre vão passar pelo Centro Integrado de Comando (Ceic), inaugurado em outubro de 2012.

Localizado no bairro Cidade Baixa, o ambiente monitora a cidade 24 horas, do ponto de vista da segurança, mobilidade e clima, e é considerado um dos mais modernos do Brasil.

São 300 câmeras e 39 monitores de LCD, infraestrutura que deverá ser ainda maior durante os jogos. “Já temos como resultado prático da eficiência desse sistema a agilidade do trabalho realizado pela EPTC durante a tempestade que atingiu Porto Alegre em dezembro”, acrescenta a secretária de Inovação e Tecnologia de Porto Alegre (InovaPOA), Deborah Pilla Villela. Ao monitorar diversos pontos da cidade, o Centro Integrado de Comando consegue enviar profissionais com maior rapidez para resolver os problemas que surgirem. Outro projeto importante que faz parte do Ceic que já está em operação é o das sinaleiras inteligentes, que conta o número de veículos e altera o tempo dos semáforos.

O que mais esperar em 2013

  • A sede definitiva da HT Micron, localizada no Tecnosinos, deve estar pronta em julho. Com essa etapa concluída, começarão a ser migrados os equipamentos do base camp, na Unisinos, e da Teikon, estruturas que a empresa utilizou em 2012 para já iniciar o encapsulamento dos chips. A produção “em casa” deve começar em agosto.
  • A produção em maior escala de chips dentro da própria fábrica da Ceitec, na Lomba do Pinheiro, vai começar no segundo semestre. Em 2012, já foram feitas algumas produções de lâminas de silício com o chip do boi em Porto Alegre, processo que deve ser acelerado nos próximos meses.
  • Será inaugurada no próximo ano a nova área do Tecnopuc em Viamão, com 33 mil metros quadrados e capacidade de abrigar mais 50 empresas e cerca de 2 mil profissionais. Atualmente, o local conta com 20 empresas, sendo 14 incubadas. Também começará a operar no próximo ano o laboratório de homologação de equipamentos e serviços Telebras-Pucrs.
  • O Tecnosinos iniciará a construção de três novos prédios nos próximos meses, para receber incubadas, indústrias de semicondutores e um condomínio tecnológico. Serão criadas entre 1,2 mil a 1,5 mil novas vagas de emprego no local em 2013. A SAP, instalada no parque, vai duplicar a sua operação. As iniciativas previstas incluem ainda a finalização do Nutritech e o lançamento do Instituto de Semicondutores.
  •  Deverá estar finalizada, até o final do ano, a primeira etapa da implantação do Parque Cientifico e Tecnológico Regional da Unisc (TecnoUnisc), na região do Vale do Rio Pardo. O investimento dessa fase gira em torno de R$ 1,5 milhão, sendo 70% do Programa Gaúcho de Parques Tecnológicos (PGTEC).
COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR