Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Política

- Publicada em 23 de Junho de 2022 às 11:30

Bolsonaro pede maior representação de emergentes em Conselho de Segurança da ONU

O presidente brasileiro participou de forma virtual da reunião dos países que compõem o bloco

O presidente brasileiro participou de forma virtual da reunião dos países que compõem o bloco


Reprodução YouTube/JC
Agência Estado
Com os olhos da comunidade internacional voltados para a guerra na Ucrânia, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, saiu em defesa de um aumento da representação de países emergentes no Conselho de Segurança das Nações Unidas. A declaração foi feita em um rápido discurso, de 3 minutos e 40 segundos, na 14ª Cúpula do Brics - bloco que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.Em razão da política de tolerância zero para a Covid-19 de Pequim, o evento acontece de forma virtual."Devemos somar esforços em busca da reforma das organizações internacionais, como Banco Mundial, o FMI e o sistema das Nações Unidas, em especial o seu Conselho de Segurança. O peso crescente das economias emergentes e em desenvolvimento deve ter a devida e merecida representação", afirmou o presidente do Brasil.
Com os olhos da comunidade internacional voltados para a guerra na Ucrânia, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, saiu em defesa de um aumento da representação de países emergentes no Conselho de Segurança das Nações Unidas. A declaração foi feita em um rápido discurso, de 3 minutos e 40 segundos, na 14ª Cúpula do Brics - bloco que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

Em razão da política de tolerância zero para a Covid-19 de Pequim, o evento acontece de forma virtual.

"Devemos somar esforços em busca da reforma das organizações internacionais, como Banco Mundial, o FMI e o sistema das Nações Unidas, em especial o seu Conselho de Segurança. O peso crescente das economias emergentes e em desenvolvimento deve ter a devida e merecida representação", afirmou o presidente do Brasil.
A Rússia integra o Conselho de Segurança da ONU, órgão criado após a Segunda Guerra Mundial para zelar pela paz, e vetou a moção de repúdio por sua invasão à Ucrânia.

A reforma das organizações internacionais é uma demanda antiga de países emergentes.

Na avaliação de Bolsonaro, o Brics é um modelo de cooperação baseado em ganhos para todas as partes envolvidas e deve contribuir para a geração de emprego e renda para suas populações.
Conteúdo Publicitário
Leia também
Comentários CORRIGIR TEXTO