Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Opinião

Opinião

- Publicada em 02 de Agosto de 2022 às 20:31

Empresas unidas podem mais

Luiz Carlos Bohn

Luiz Carlos Bohn

Se você é um empreendedor, lhe convido a refletir: na rotina da sua empresa, com que frequência se depara com desafios impostos pela lei e outras normas públicas que gostaria de alterar? Burocracia, tributos e obrigações acessórias diversas, restrições à atividade, cadastros, registros, licenças, cotas, fixação de placas, insegurança, custos e por aí vai. Normas que, se alteradas, facilitariam muito a rotina de seus negócios e que poderiam aumentar sua capacidade de produzir, vender, gerar empregos e pagar salários. Além disso, quantas vezes você ouve falar de ideias "mirabolantes" para tornar essas normas ainda piores?

Para um empresário do comércio de bens, de serviços e de turismo, é natural ter o "foco no cliente", ou saber que "o cliente sempre tem razão". Mas sabemos que, para os agentes públicos, esse foco não é tão natural. Para que as normas públicas levem em conta a rotina das empresas e suas necessidades, é necessário que nós estejamos sempre participando do debate e nos comunicando com quem as elabora.

Não é fácil fazer isso. O volume de demandas é enorme, o estudo de soluções exige conhecimento técnico e o engajamento de empresários, principalmente dos pequenos negócios, é limitado pelo tempo que a rotina da empresa lhes exige.

Assim como em diversos serviços consumidos pelas empresas, o avanço tecnológico está aí para ajudar. Hoje, um empresário pode ter na tela do seu celular um sistema completo de gestão, acesso aos serviços financeiros que a rotina da empresa exige, currículos de potenciais colaboradores e redes sociais para se comunicar com seus clientes. Por que não ter um serviço que lhe permita identificar soluções para suas demandas com a administração pública e agregar forças para implementá-las?

Precisamos de ferramentas que facilitem o engajamento e aumentem a força das ações que visam facilitar a rotina das empresas e gerar renda. Esse é o propósito da Representa , por exemplo, plataforma digital lançada pela Fecomércio-RS para cumprir esse objetivo junto às empresas do comércio de bens, serviços e turismo gaúcho, reforçando nosso papel de agregar demandas e canalizá-las aos agentes públicos, na forma que melhor possa sensibilizá-los.

Presidente da Fecomércio-RS

 

Conteúdo Publicitário
Leia também
Comentários CORRIGIR TEXTO