Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Energia

- Publicada em 23 de Setembro de 2022 às 14:25

Justiça proíbe corte de energia elétrica de clientes com débitos antigos pendentes em Rio Grande

Religação do serviço pela CEEE-D deverá ser realizada mediante a comprovação do pagamento das faturas recentes pelos consumidores

Religação do serviço pela CEEE-D deverá ser realizada mediante a comprovação do pagamento das faturas recentes pelos consumidores


LUIZA PRADO/JC
A Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica (CEEE-D), responsável pelo fornecimento de energia elétrica na cidade de Rio Grande, está proibida de interromper os seus serviços para clientes com débitos pendentes no município. A decisão da Justiça foi deferida em caráter liminar e atende ao pedido realizado pela Defensoria Pública do Rio Grande do Sul (DPE/RS) em ação civil pública.
A Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica (CEEE-D), responsável pelo fornecimento de energia elétrica na cidade de Rio Grande, está proibida de interromper os seus serviços para clientes com débitos pendentes no município. A decisão da Justiça foi deferida em caráter liminar e atende ao pedido realizado pela Defensoria Pública do Rio Grande do Sul (DPE/RS) em ação civil pública.
Mais de 50 pessoas procuraram a Defensoria Pública de Rio Grande alegando que a CEEE-D suspenderia o fornecimento de luz na região por falta de pagamento. De acordo com os relatos, os cortes de energia seriam referentes a faturas de consumo que superavam os últimos três meses, caracterizando uma prática ilegal. “É uma importante vitória após o ajuizamento de mais de 50 ações individuais para combater a prática abusiva da concessionária”, explicou a defensora pública Thais Pastor de Amorim Siqueira.
A religação do serviço pela CEEE-D deverá ser realizada mediante a comprovação do pagamento das faturas recentes por parte dos consumidores, que devem renegociar a quitação dos débitos antigos com a companhia. A decisão deve ser cumprida em até 10 dias, sob pena de multa de R$ 10 mil por dia. A CEEE-D ainda não foi intimada.
Conteúdo Publicitário
Leia também
Comentários CORRIGIR TEXTO