GeraçãoE

Conheça as histórias das operações que chamaram atenção dos leitores e leitoras do GE

As pessoas e os negócios que mais bombaram no GeraçãoE em 2022

GeraçãoE

Conheça as histórias das operações que chamaram atenção dos leitores e leitoras do GE

O ano de 2022 foi marcado pela retomada pós-pandemia e pela sensação de mais otimismo em quem está à frente de negócios no Estado. Prova disso foi a quantidade de novas operações, expansões e investimentos que passaram pelas páginas do GeraçãoE. Neste ano, o GE retomou o evento presencial que reúne os empreendedores e empreendedoras que comandam os negócios cujas matérias mais geraram cliques em geracaoe.com nos últimos 12 meses. Saiba como estão hoje os negócios que mais chamaram atenção em 2022.
O ano de 2022 foi marcado pela retomada pós-pandemia e pela sensação de mais otimismo em quem está à frente de negócios no Estado. Prova disso foi a quantidade de novas operações, expansões e investimentos que passaram pelas páginas do GeraçãoE. Neste ano, o GE retomou o evento presencial que reúne os empreendedores e empreendedoras que comandam os negócios cujas matérias mais geraram cliques em geracaoe.com nos últimos 12 meses. Saiba como estão hoje os negócios que mais chamaram atenção em 2022.
 

Aline Kropidlofscky e Igor Henrique Rodrigues, da Grani Pizzaria Napoletana

Abrir uma pizzaria já fazia parte dos planos do casal há mais de cinco anos, mas foi somente em 2022 que a dupla tirou o sonho do papel e criou a Grani Pizzaria Napoletana. O negócio passou pelas páginas do GeraçãoE em julho, contemplando a edição especial GE nos Bairros do Rio Branco. "No primeiro mês, nós tivemos um bom resultado, mas a partir do segundo mês, quando o GeraçãoE foi lá, foi cabreiro. As pessoas chegavam e falavam que tinham nos visto no Jornal do Comércio. Foi muita gente, se nós fizéssemos um caderninho com essas métricas de quem foi pelo jornal ia lotar umas boas folhas", lembra Igor Henrique, entre risos. "O que eu acho legal é que vocês olham o cara que está atrás da garagem, sujo de farinha, fedendo a suor na frente do forno, é aquele olhar para os pequenos empreendedores", enxerga o sócio.
 

Roberta Falleiro e Thibaud Auguste Barbier,do Café La Cabane

Buscando oferecer um lugar seguro e aconchegante, que remeta a uma casa antiga, aliado à uma boa gastronomia, o casal abriu, em outubro de 2021, o Café La Cabane. O espaço une a história de vida da dupla e se identifica como 50% gaúcho e 50% francês, nacionalidade de Thibaud. "Nossa configuração é uma casa, a ideia é oferecer a experiência de uma casa francesa, com receitas caseiras da família do Thibaud", conta Roberta. O café passou pelas páginas do GE em junho deste ano, e o sucesso foi tanto que pegou o casal de surpresa. "Nós não estávamos esperando, bombou muito, a gente só se olhava e pensava 'o que tá acontecendo?', correndo para dar conta de tudo. Foi tanto movimento que no domingo acabou o café, e não tem como uma cafeteria ficar sem café, então tivemos que fechar no dia seguinte", comenta a empreendedora sobre a época em que a matéria foi publicada.
 

Ana Paula Maia, do Copacabana Café e Bistrô

Carioca de coração, a gaúcha Ana Paula Maia morou durante toda a sua vida em Copacabana, no Rio de Janeiro. Ao voltar para Porto Alegre, em 2016, decidiu abrir um espaço para homenagear o bairro que a acolheu tão bem durante 40 anos. O Copacabana Café e Bistrô mudou-se algumas vezes ao longo dos anos, mas foi em julho de 2022 que fincou os pés na Cidade Baixa, decisão que, de acordo com Ana, foi essencial para o crescimento do negócio. "Abrimos na Protásio Alves e no Centro Histórico, mas não deu muito certo, quando chegamos na Cidade Baixa,
o GeraçãoE apareceu e foi um sucesso, muito positivo, recebemos muita gente", lembra a empreendedora, que teve de adaptar os planos para o espaço por demanda da clientela. "As pessoas viam Copacabana e queriam feijoada, então tive que trazer isso pro cardápio. Tem feijoada com samba aos sábados, está quase um café boteco", define Ana.
 

Daniel Dubow, da Hamburgueria do Chaves

Após anos atuando no setor supermercadista, Daniel arriscou-se e abriu a própria hamburgueria. Na hora de pensar o conceito e nome do espaço, surgiu a ideia de criar um local temático de Chaves, um dos seus programas favoritos. "Queria que fosse diferente de outras hamburguerias, e conversando com a minha esposa, ela sugeriu que fosse do Chaves, já que estou sempre assistindo, e fez todo sentido", lembra o empreendedor. O negócio foi matéria do GeraçãoE em setembro deste ano e fez muito sucesso entre os leitores e leitoras do caderno. "Depois da reportagem estourou muito, veio gente de Gravataí, Novo Hamburgo, outras cidades só para conhecer, porque é algo que pega diferentes gerações, dos mais velhos até as crianças", enxerga Lara Dubow, filha de Daniel.
 

André Passow, da Magian Cacao

A Magian Cacao funciona dentro da casa de André, na Zona Sul de Porto Alegre, e produz o chocolate que foi eleito o melhor do Brasil no concurso Bean to Bar em 2020 e ganhou medalha de bronze em 2022. A história da marca, que nasceu na garagem do empreendedor em 2015, passou pelas páginas do GE em fevereiro. André lembra que a repercussão foi grande. Ele estava na praia quando a matéria foi publicada e, depois disso, seu celular não parou mais de vibrar. "Não sabia mais nem o que fazer. O site não funcionava direito naquela época, foi uma coisa de louco. Dois dias depois, eu estava com quase 3 mil seguidores no Instagram. Quando eu saía na frente de casa, alguém passava e reconhecia, até hoje acontece. Nós ficamos muito felizes com a matéria, sou muito grato pelo trabalho de vocês", reconhece.
 

Milton Ribeiro, da Livraria Bamboletras

Empreendimento tradicional de Porto Alegre, a Livraria Bamboletras se mudou para um local onde antes funcionava uma igreja na Cidade Baixa e o Jornal do Comércio foi lá conferir. "A semana que a matéria saiu foi a melhor do ano, bombou. No dia que vocês quiserem aparecer lá de novo, fiquem à vontade", diz, entre risos, Milton Ribeiro, jornalista e dono da operação. Relembrando os momentos difíceis da pandemia, o empreendedor conta que o faturamento na época caiu para cerca de 30% do normal e que a divulgação foi imprescindível, chegando até a faltar os livros mais procurados.
 

Bruno de Souza, da Cafeteria Mr. White

Inspirada na série Breaking Bad, a cafeteria, comandada por Bruno e sua esposa Maria Helena Lopes, foi notícia no GE em 2020, quando abriu as portas na Cidade Baixa. Neste ano, o negócio mudou-se para o Bom Fim, e o GeraçãoE foi conferir a nova unidade. "Nós tínhamos recém aberto quando vocês foram lá na Cidade Baixa, tínhamos poucos dias de operação e bombou muito, foi bem legal, ai nesse ano, quando estávamos de mudança e vocês foram lá, foi uma coisa muito louca. Nós abrimos no sábado e o movimento foi cerca de uns 40% maior do que o nosso melhor dia na Cidade Baixa, foi absurdo, com fila na porta, era muita gente", lembra Bruno, que teve de fechar o negócio no domingo. "Nós não iriamos conseguir atender, não tinham vários insumos, acabou tudo no sábado, mas isso foi o resultado do trabalho muito legal que o GeraçãoE faz, que gera um resultado muito bom para todo mundo", descreve o sócio.
 

Mais negócios que se destacaram em 2022

SHIMU SABORES 
Em 2014, a família Li veio da China para o Brasil. Em busca de condições melhores para criar suas filhas, Xiaomei Li, conhecida como Melissa Li, decidiu apostar na culinária tradicional de seu país para empreender por aqui, e assim criou a Shimu Sabores, negócio que toca com a ajuda das filhas. O espaço passou pelo GeraçãoE em julho e chamou a atenção do público. "Os clientes que chegavam já me chamavam pelo nome, sabiam quem eu era, o que eu fazia aqui e da onde a gente veio. Criamos essa proximidade com o público, desenvolvemos essa conexão com os clientes de uma forma muito mais fácil, só temos a agradecer ao GeraçãoE", declara Isa Zhang Li.
AOG PUB
Inaugurado no início deste ano, o espaço é totalmente temático de aviação, com poltronas de aviões, talheres da antiga companhia aérea brasileira, a asa de um avião acrobático russo, manuais antigos e a réplica de uma torre de controle, de onde os músicos tocam aos sábados. O negócio tem cerca de 400m² e é comandado por Diego Araújo, piloto que continua na ativa. “Da minha paixão acabou surgindo a ideia de mostrar um pouco desse universo ao público”, explica o empreendedor, acrescentando que nos dias em que está no ar é seu pai, Joelci, ex-piloto, quem assume o controle do espaço, onde trabalham cinco pessoas com uniformes temáticos de pilotos.
GRINGA
A história de Maria Clara Muterle Carnaval, mais conhecida pelos moradores da zona sul de Porto Alegre como Gringa, foi tema do GeraçãoE em fevereiro deste ano. Apesar de existir um boato de que o sucesso da empreendedora é fruto de um prêmio de loteria, ela garante que tudo que conquistou foi com muito trabalho e suor. “Até hoje, sou eu a que mais funciona na cozinha”, orgulha-se. E não é só na cozinha. Se precisar consertar alguma coisa no telhado ou lavar as telhas, é ela quem sobe e faz o serviço.
GeraçãoE

GeraçãoE

GeraçãoE

GeraçãoE

Deixe um comentário


Leia também