Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Cultura

- Publicada em 05 de Agosto de 2022 às 12:19

Violinista Liviu Prunaru sobe ao palco da Casa da Ospa neste sábado

Artista interpreta obras de compositores como Sibelius e Malcolm

Artista interpreta obras de compositores como Sibelius e Malcolm


OSPA/DIVULGAÇÃO/JC
 A Orquestra Sinfônica de Porto Alegre receberá um dos principais violinistas da atualidade no concerto deste sábado (6), às 17h, na Casa da Ospa (Av. Borges de Medeiros, 1.501). Spalla da Orquestra Real do Concertgebouw, a mais bem avaliada do mundo, Liviu Prunaru será o solista em dois concertos, um de Sibelius e um duplo de Malcolm Arnold, ao lado da violinista Priscila Rato.
 A Orquestra Sinfônica de Porto Alegre receberá um dos principais violinistas da atualidade no concerto deste sábado (6), às 17h, na Casa da Ospa (Av. Borges de Medeiros, 1.501). Spalla da Orquestra Real do Concertgebouw, a mais bem avaliada do mundo, Liviu Prunaru será o solista em dois concertos, um de Sibelius e um duplo de Malcolm Arnold, ao lado da violinista Priscila Rato.
Os ingressos estão à venda na plataforma Sympla e também garantem acesso à palestra Notas de Concerto, às 16h, com o professor e ativista cultural Francisco Marshall. Haverá transmissão ao vivo do espetáculo pelo YouTube da Ospa.
Os músicos abrem o programa com a obra do compositor multifacetado Malcolm Arnold. Para a ocasião, interpretando Concerto para Dois Violinos, Op. 77, a renomada violinista Priscila Rato, spalla da Orquestra Sinfônica Brasileira, divide a apresentação com o primeiro violino da Concertgebouw.
Na sequência, Prunaru segue no palco para o solo no Concerto para Violino em Ré Menor, Op. 47, de Jean Sibelius. A peça, de difícil execução, explora a capacidade técnica do violinista, sobrepondo-se, inclusive, à do autor no momento em que a compôs.
A segunda parte do programa é inteiramente dedicada ao compositor romântico alemão, o grande homenageado da Temporada 2022. O desfecho do Ciclo Brahms dá destaque à Sinfonia nº 3 em Fá Maior, Op. 90 Curta e coesa, a composição chama a atenção por estruturas formais e geométricas, além de desfechos suaves nos movimentos.
Conteúdo Publicitário
Leia também
Comentários CORRIGIR TEXTO