Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Política

- Publicada em 09 de Março de 2022 às 03:00

Pacheco indica que retirará nome ao Planalto pelo PSD

Rodrigo Pacheco não teve bons resultados nas pesquisas eleitorais

Rodrigo Pacheco não teve bons resultados nas pesquisas eleitorais


/WALDEMIR BARRETO/AGÊNCIA SENADO/JC
O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), disse ontem que "nunca afirmou" que se lançará na corrida pelo Palácio do Planalto. Em novembro, o PSD fez um evento em Brasília para alavancar o nome de Pacheco. Ele, no entanto, não conseguiu decolar nas pesquisas.

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), disse ontem que "nunca afirmou" que se lançará na corrida pelo Palácio do Planalto. Em novembro, o PSD fez um evento em Brasília para alavancar o nome de Pacheco. Ele, no entanto, não conseguiu decolar nas pesquisas.

Nos bastidores, ele vem dando sinais de que prefere se dedicar à reeleição no comando da casa legislativa em vez de trabalhar nas eleições para a chefia do Executivo nacional. Ontem, Pacheco foi questionado sobre a candidatura a presidente e evitou colocar seu nome como postulante ao Planalto. "Na verdade, eu nunca afirmei uma candidatura à presidência da República. O meu partido, o PSD, deseja ter candidatura própria. Eu recebi um convite do presidente do partido, da Executiva e dos parlamentares para uma candidatura pelo PSD, e é uma avaliação que ainda não foi feita plenamente por mim."

Ele afirmou que "em breve" o PSD deve ter uma posição sobre as eleições nacionais. "Certamente eu farei parte dessa discussão, mas não necessariamente como candidato", afirmou.

Em outro indício de que irá retirar a candidatura, Pacheco disse que estabeleceu para os próximos meses "um foco muito forte na pauta institucional do Senado".

Pacheco se filiou ao PSD em outubro em uma cerimônia que foi marcada pelas comparações do parlamentar com o ex-presidente Juscelino Kubitschek (1956-1961). Na ocasião, embora não tenha se declarado como candidato, fez um discurso com críticas à polarização política e à situação atual do País.

Com a saída de Pacheco do jogo, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), passou a ser cogitado como candidato do PSD a presidente. Ele perdeu as prévias tucanas e teve encontros recentes com o presidente do PSD, Gilberto Kassab. Ainda não há, porém, nada certo em relação a isso. Leite disse que pretende se posicionar sobre sua eventual candidatura ao Planalto até a próxima semana.

Outra possibilidade é o PSD apoiar a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Uma parte do partido, principalmente a que milita em estados do Nordeste, tem defendido essa posição.

Conteúdo Publicitário
Leia também
Comentários CORRIGIR TEXTO