Porto Alegre, quarta-feira, 12 de janeiro de 2022.
Aniversário da Caixa Econômica Federal.
Porto Alegre,
quarta-feira, 12 de janeiro de 2022.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

eleições 2022

- Publicada em 12/01/2022 às 03h00min.

Mirando terceira via, Kassab quer reforçar bancada gaúcha

Presidente nacional da sigla, Gilberto Kassab (c) participou de encontro do PSD estadual

Presidente nacional da sigla, Gilberto Kassab (c) participou de encontro do PSD estadual


Chico Santana/PSD/JC
Adriana Lampert
Afastados de qualquer possibilidade de apoiar o presidente Jair Bolsonaro (PL) ou ex-presidente Luiz Inácio  Lula da Silva (PT) no próximo pleito, os integrantes do Partido Social Democrático (PSD) estão trabalhando a pleno na formação da chapa até o final de março. Segundo o presidente nacional da sigla, Gilberto Kassab, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (MG), segue sendo o nome do partido para ocupar a presidência da República após 2022.
Afastados de qualquer possibilidade de apoiar o presidente Jair Bolsonaro (PL) ou ex-presidente Luiz Inácio  Lula da Silva (PT) no próximo pleito, os integrantes do Partido Social Democrático (PSD) estão trabalhando a pleno na formação da chapa até o final de março. Segundo o presidente nacional da sigla, Gilberto Kassab, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (MG), segue sendo o nome do partido para ocupar a presidência da República após 2022.
"Ele tem experiência política, é um homem jovem e equilibrado, um ser humano qualificado, preparado e que, nos últimos anos, mostrou que tem talento para a vida pública e muitas condições" (de vingar como uma terceira via) - além disso, ainda faltam oito meses para as eleições, nem mesmo a pré-campanha iniciou", disse o dirigente do PSD, ao afirmar "total" confiança em Pacheco, apesar da "visibilidade" dos outros dois adversários, que lideram as pesquisas até o momento.
Segundo Kassab, agora, o movimento do partido será em prol de lançar nomes de candidatos às vagas de deputados federais e senadores - incluindo os políticos gaúchos. "Devemos encaminhar tudo para a frente majoritária em até dois meses", reforçou Kassab, durante uma coletiva à imprensa realizada na sede do partido em Porto Alegre no início da tarde desta terça-feira (11). Antes disso, o presidente do PSD esteve com o governador Eduardo Leite, a quem ele elogia pelo "bom trabalho" que tem feito à frente do Executivo gaúcho. "Estaremos alinhados com Leite aqui no Rio Grande do Sul", afirmou. Kassab pondera que as decisões estaduais estão descasadas do que o partido decidir em nível nacional.
Ao lado da presidente estadual do PSD, Letícia Vargas, do prefeito de Canoas, Jairo Jorge, Kassab destacou que, em termos de representação regional, o foco do partido é aproveitar a parceria com Leite para eleger o maior número de deputados e senadores gaúchos, fortalecendo o PSD no Estado. "Eu vejo com naturalidade um processo de participação da campanha junto com o governador (do Rio Grande do Sul), que tem força - e agora ainda mais, por conta de ter decidido que não irá se candidatar à nada."
Kassab avaliou que o PSD "está muito bem e deve chegar com um bom número" de representantes no Congresso Nacional, além de "nomes fortes" para concorrer a cargos de governadores. "No Senado, deveremos ter a primeira ou ao menos a segunda bancada mais expressiva; e na Câmara, deveremos ficar em segundo ou terceiro lugar (neste sentido)."
No Estado, a ideia é aumentar o número de integrantes do partido, reafirmou Jairo Jorge. De acordo com o prefeito de Canoas, por conta da decisão de ter um "candidato próprio e caminhar sozinhos", o PSD deverá ter poucas alianças em plano nacional. "Tenho ajudado a buscar candidatos às vagas do Congresso, pois queremos ampliar nossa bancada e fortalecer o partido no decorrer da próxima década", disse durante a coletiva desta terça-feira (11). Um dos nomes cotados é o da ex-senadora Ana Amélia Lemos (PP), que ainda não deu resposta ao partido. "Nos sentiremos honrados se ela tomar esta decisão", afirmou Kassab.
Ainda de acordo com o presidente nacional do PSD a meta da sigla é estar entre as quatro maiores forças políticas do Rio Grande do Sul em 2032. No final da tarde de ontem, ocorreu um ato político para apresentar o projeto do partido para a base.
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO