Porto Alegre, quinta-feira, 21 de outubro de 2021.
Dia do Contato Publicitário.
Porto Alegre,
quinta-feira, 21 de outubro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Câmara de Porto Alegre

- Publicada em 20/10/2021 às 20h46min.

Grupo contra passaporte vacinal causa tumulto na Câmara

Ativistas contra vacina e vereadores entraram em conflito na sessão

Ativistas contra vacina e vereadores entraram em conflito na sessão


/Ederson Nunes/CMPA
João Gabriel Pezzini e Maria Eduarda Welter
A sessão da Câmara de Porto Alegre, desta quarta-feira (20), foi marcada por fortes protestos de manifestantes contra o passaporte vacinal que passou a ser exigido esta semana por determinação do governo do Estado.
A sessão da Câmara de Porto Alegre, desta quarta-feira (20), foi marcada por fortes protestos de manifestantes contra o passaporte vacinal que passou a ser exigido esta semana por determinação do governo do Estado.
Um grupo de pessoas a favor do veto do prefeito Sebastião Melo (MDB) ao passaporte vacinal invadiu a casa e causou tumulto, envolvendo os vereadores e os demais presentes na Câmara. Alguns parlamentares relataram agressões físicas e verbais por parte dos manifestantes, que portavam cartazes pedindo o veto do documento, alguns até ligando a medida sanitária ao nazismo, utilizando a suástica em cartazes. Houve troca de agressões e o vereador Claudio Janta (SD) alegou ter sido mordido no dedo por um dos manifestantes.
A parlamentar Bruna Rodrigues (PCdoB) relatou que uma manifestante teria proferido ofensas racistas para ela e para as vereadoras Daiana Santos (PCdoB) e Laura Sito (PT). "Esse espaço hoje foi mais um palco do racismo institucional, legitimado por uma parcela dos vereadores e vereadoras que compõe essa casa. Esse episódio da suástica não brotou na galeria, esse pessoal que nega a vacina e compactua com mais de 600 mil mortes, esse pessoal é o que olha para vereadoras como eu, a Daiana e a Laura, e fala que nós temos cara de empregadas domésticas, que nós somos as empregadas delas, porque mulher negra pra elas precisa ser empregada", desabafou.
Os vereadores votaram o veto, com 18 votos sim, 14 não e 2 abstenções. Assim, o veto foi mantido, pois não atingiu os 19 votos necessários.
Mais cedo, os mesmos manifestantes protestaram contra o passaporte sanitário em frente ao Palácio Piratini. Na frente da sede do Executivo estadual, os integrantes do grupo portavam bandeiras do Brasil e cartazes que exigiam o fim do passaporte vacinal. Em um telão, médicos convidados, contrários à vacinação contra a Covid-19, falavam presencial ou virtualmente.
Os manifestantes se dirigiram à Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, onde acontecia a audiência pública, proposta pelo deputado Eric Lins (DEM), para discutir a necessidade do passaporte para ingresso em locais públicos ou privados no RS. Os presentes gritavam a palavra "Liberdade", enquanto a pauta era discutida no interior Teatro Dante Barone.
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO