Porto Alegre, sábado, 19 de junho de 2021.
Dia do Cinema Brasileiro.
Porto Alegre,
sábado, 19 de junho de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Governo Federal

- Publicada em 16h15min, 19/06/2021.

Ministro Paulo Guedes lamenta repercussão acerca de debate sobre fome

Guedes defendeu que sobras de restaurantes sejam destinadas a mendigos e pessoas fragilizadas

Guedes defendeu que sobras de restaurantes sejam destinadas a mendigos e pessoas fragilizadas


edu andrade/me/divulgação/jc
O Ministério da Economia divulgou nota neste sábado (19) em seu twitter informando que o ministro Paulo Guedes "lamentou profundamente o foco da repercussão nas redes sociais sobre o assunto levantado no debate: fome em contexto de epidemia e formas de evitar os desperdícios com atendimento às leis de vigilância sanitária".
O Ministério da Economia divulgou nota neste sábado (19) em seu twitter informando que o ministro Paulo Guedes "lamentou profundamente o foco da repercussão nas redes sociais sobre o assunto levantado no debate: fome em contexto de epidemia e formas de evitar os desperdícios com atendimento às leis de vigilância sanitária".
No debate, em evento da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), com a participação também da ministra da Agricultura Tereza Cristina, na quinta-feira (17), Guedes defendeu que sobras de restaurantes sejam destinadas a mendigos e pessoas fragilizadas e indicou que considera que o brasileiro exagera no prato. "O prato de um classe média europeu, que já enfrentou duas guerras mundiais, são pratos relativamente pequenos. E os nossos aqui, fazemos almoços onde às vezes há uma sobra enorme. Isso vai até o final, que é a refeição da classe média alta. Até lá há excessos", afirmou.
Ele defendeu que todo o alimento não utilizado num restaurante num determinado dia fosse destinado para "alimentar pessoas fragilizadas, mendigos, desamparados". "É muito melhor do que deixar estragar", disse.
A declaração teve grande repercussão negativa nas redes sociais. Na nota divulgada hoje no twitter, Guedes disse: "Muito desconhecimento quanto a um conceito básico de segurança alimentar. Apenas em um contexto de total polarização política, expressar ideias de combate ao desperdício e auxílio aos mais necessitados seja motivo de ironia na imprensa e entre políticos (...), os quais deveriam discutir de forma propositiva saídas para este momento triste da história mundial. Num momento em que o mundo passa por obstáculo sanitário, seria a hora das pessoas se unirem para encontrar soluções sustentáveis, produtivas e humanas", afirmou o ministro.
Paulo Guedes diz, na nota, que se referiu "à 'sobra limpa', que significa, justamente, não os restos no prato, mas panelas de alimentos preparados e não consumidas de arroz, feijão, frango, por exemplo, que em condições de higiene, temperatura e condicionamento, possam manter a qualidade do alimento".
A nota encerra com uma indagação do ministro: "Por que não utilizarmos disso para pessoas que precisam e queiram? Por que não pensarmos em polos que mantenham a qualidade da comida para consumo imediato?".
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário