Porto Alegre, quinta-feira, 06 de maio de 2021.
Dia do Cartógrafo.
Porto Alegre,
quinta-feira, 06 de maio de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

congresso nacional

- Publicada em 11h12min, 06/05/2021.

Na CPI, Tasso quer explicações sobre 'guerra química' citada por Bolsonaro

Senador quer que representante da Abin compareça ao colegiado para explicar fala de Bolsonaro

Senador quer que representante da Abin compareça ao colegiado para explicar fala de Bolsonaro


MARCOS OLIVEIRA/AGÊNCIA SENADO/JC
O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), um dos primeiros parlamentares a falar na sessão desta quinta-feira (6) da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, reagiu às recentes falas do presidente Jair Bolsonaro contra a China, e afirmou que irá fazer o requerimento para que um responsável da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) compareça ao colegiado para explicar as declarações do presidente.
O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), um dos primeiros parlamentares a falar na sessão desta quinta-feira (6) da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, reagiu às recentes falas do presidente Jair Bolsonaro contra a China, e afirmou que irá fazer o requerimento para que um responsável da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) compareça ao colegiado para explicar as declarações do presidente.
Segundo Jereissati, o representante da Abin será questionado sobre a possível existência de uma "guerra química" da China - conforme declarações feitas na quarta-feira pelo presidente Bolsonaro.
"Ontem o presidente da república fez uma das declarações mais graves e sérias que eu já vi um presidente da república no Brasil fazer, de que a pandemia poderia fazer parte de uma guerra química provinda da sua origem, evidentemente ele não fala o nome, mas da China. Isso é muito grave. Se nós estamos vivendo uma guerra química é uma das piores situações mundiais desde a Segunda Guerra Mundial se não, nós estamos fazendo uma injúria contra o nosso maior fornecedor de vacinas neste momento", afirmou o senador.
 
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário