Porto Alegre, segunda-feira, 15 de março de 2021.
Dia Mundial do Consumidor. Dia da Escola.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 15 de março de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Senado

- Publicada em 17h40min, 15/03/2021.

Privatização da Petrobras é ideia que exige rigor técnico e político, diz Pacheco

Privatização da Petrobras é ideia que exige rigor técnico e político, diz Pacheco

Privatização da Petrobras é ideia que exige rigor técnico e político, diz Pacheco


MAURO PIMENTEL/AFP/JC
O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), afirmou que a privatização da Petrobras é uma ideia que ainda precisa ser discutida com muito rigor técnico e político. Para ele, a pauta de privatizações neste momento está concentrada na Eletrobras e nos Correios, com base em propostas encaminhadas pelo governo do presidente Jair Bolsonaro ao Congresso.
O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), afirmou que a privatização da Petrobras é uma ideia que ainda precisa ser discutida com muito rigor técnico e político. Para ele, a pauta de privatizações neste momento está concentrada na Eletrobras e nos Correios, com base em propostas encaminhadas pelo governo do presidente Jair Bolsonaro ao Congresso.
"A ordem do dia é Correios e Eletrobras. A Petrobras é uma ideia forjada nesse momento de discussão com vocês, pode eventualmente pode ser evoluída, mas é preciso ter muito rigor técnico, político de conveniência mesmo, de oportunidade para se evoluir", afirmou o presidente do Senado durante evento promovido pelos jornais O Globo e Valor Econômico.
Para Pacheco, a discussão sobre a estatal petrolífera precisa considerar a estratégia de mercado e o interesse popular.
No mesmo evento, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), sinalizou com a possibilidade de apoiar um processo de privatização da Petrobras no mesmo modelo proposto pelo governo para a Eletrobras.
O Executivo assinou uma medida provisória incluindo a estatal do setor elétrico e suas subsidiárias no Programa Nacional de Desestatização (PND) e condicionando a capitalização à aprovação da MP.
Lira afirmou que toda empresa estatal deve ser avaliada "sem preconceitos" e que o Congresso é o local para isso.
Ao falar da Petrobras, o deputado citou a Operação Lava Jato e apontou que o "grande erro" da operação de investigação foi colocar a responsabilização na empresa e não no "CPF" dos culpados pelos desvios denunciados.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO