Porto Alegre, domingo, 14 de março de 2021.
Dia Nacional da Poesia. Dia do Vendedor de Livros.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 14 de março de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

DIREITOS HUMANOS

- Publicada em 20h49min, 14/03/2021.

Intervenção artística em Porto Alegre relembra três anos da morte de Marielle Franco

Adesivos foram colados em placas de rua, em homenagem à memória de Marielle Franco

Adesivos foram colados em placas de rua, em homenagem à memória de Marielle Franco


COLETIVO JUNTAS/DIVULGAÇÃO/JC
Para marcar os três anos do assassinato da vereadora carioca Marielle Franco, neste domingo (14), o coletivo feminista Juntas promoveu uma intervenção artística em Porto Alegre. Por meio da colagem de adesivos nas placas da praça e da avenida Princesa Isabel, o grupo se integrou ao dia nacional de protestos, que cobram das autoridades a condenação de quem mandou matar a parlamentar.
Para marcar os três anos do assassinato da vereadora carioca Marielle Franco, neste domingo (14), o coletivo feminista Juntas promoveu uma intervenção artística em Porto Alegre. Por meio da colagem de adesivos nas placas da praça e da avenida Princesa Isabel, o grupo se integrou ao dia nacional de protestos, que cobram das autoridades a condenação de quem mandou matar a parlamentar.
Vereadora do PSOL do Rio de Janeiro, Marielle foi morta em um atentado, no dia 14 de março de 2018, no qual seu carro foi atingido por tiros de submetralhadora. O crime também vitimou o motorista da parlamentar, Anderson Gomes.
Segundo o coletivo, as atividades simbólicas na data são alternativas à impossibilidade de convocar passeatas, por conta da pandemia. A escolha da Praça Princesa Isabel para a realização da intervenção se deu pela necessidade de questionar que a princesa Isabel tenha sido a responsável pelo fim do regime escravagista no Brasil.
No Rio de Janeiro, em homenagem à Marielle, a prefeitura inaugurou uma nova placa com o nome da vereadora, em frente à Câmara dos Vereadores. Uma foi rasgada durante a campanha eleitoral de 2018, pelo deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), eleito no mesmo ano e preso em 2021 por ataques ao Supremo Tribunal Federal (STF).
Para evitar novos atos de vandalismo, a placa agora ficará sob a vigilância do Centro de Operações Rio (COR). Além do nome da vereadora, a placa traz a inscrição: "Brutalmente assassinada em 14 de março de 2018 por lutar por uma sociedade mais justa". A inauguração contou com a presença do prefeito do Rio, Eduardo Paes (DEM), outras autoridades, e a família da vereadora assassinada.
Comentários CORRIGIR TEXTO