Porto Alegre, terça-feira, 09 de março de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 09 de março de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Câmara dos deputados

- Publicada em 21h17min, 09/03/2021. Atualizada em 21h42min, 09/03/2021.

Câmara aprova admissibilidade da PEC emergencial por 366 votos a 118

O texto precisa ser aprovado em dois turnos de votação pelos deputados, com no mínimo 308 votos

O texto precisa ser aprovado em dois turnos de votação pelos deputados, com no mínimo 308 votos


MICHEL JESUS/CÂMARA DOS DEPUTADOS/JC
A Câmara aprovou a admissibilidade da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) Emergencial por 366 votos a 118, primeiro passo para a votação do texto que permite a retomada dos pagamentos do auxílio emergencial para vulneráveis durante a pandemia da Covid-19.
A Câmara aprovou a admissibilidade da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) Emergencial por 366 votos a 118, primeiro passo para a votação do texto que permite a retomada dos pagamentos do auxílio emergencial para vulneráveis durante a pandemia da Covid-19.
O texto precisa ser aprovado em dois turnos de votação pelos deputados, com no mínimo 308 votos - três quintos dos parlamentares, a chamada maioria absoluta.
Parlamentares da oposição trabalharam para obstruir o texto ao longo desta terça-feira, 9. Eles defendiam o fatiamento da proposta, sem vincular o pagamento do benefício a medidas de ajuste fiscal, como a proibição a reajustes de servidores, algo que consideravam chantagem por parte do governo.
Há pouco, o relator da PEC Emergencial na Câmara, deputado Daniel Freitas (PSL-SC), apresentou parecer favorável à aprovação do texto da forma como ele veio do Senado. Ele rejeitou 14 emendas de plenário apresentadas pelos deputados, que poderiam mudar o teor da proposta.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO