Porto Alegre, quinta-feira, 07 de janeiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 07 de janeiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Câmara de Porto Alegre

- Publicada em 20h19min, 06/01/2021. Atualizada em 10h28min, 07/01/2021.

Vereadores de Porto Alegre devem aprovar reforma administrativa

Sebastião Melo deve contar com apoio necessário para aprovação dos projetos

Sebastião Melo deve contar com apoio necessário para aprovação dos projetos


LEONARDO CONTURSI/CMPA/JC
Rariane Costa
Na véspera da apreciação da primeira matéria apresentada pelo Executivo à Câmara de Porto Alegre, vereadores ainda estudam os projetos do prefeito Sebastião Melo (MDB) que alteram a estrutura da prefeitura. A reforma administrativa conta com dois projetos que serão apreciados na tarde desta quinta-feira (7), às 14h, e sexta-feira (8), às 10h, ambas em sessões extraordinárias virtuais.
Na véspera da apreciação da primeira matéria apresentada pelo Executivo à Câmara de Porto Alegre, vereadores ainda estudam os projetos do prefeito Sebastião Melo (MDB) que alteram a estrutura da prefeitura. A reforma administrativa conta com dois projetos que serão apreciados na tarde desta quinta-feira (7), às 14h, e sexta-feira (8), às 10h, ambas em sessões extraordinárias virtuais.
A tendência é que os projetos sejam aprovados com os votos da base aliada e de vereadores simpáticos ao governo Sebastião Melo (MDB). Parlamentares que se reuniram com o prefeito em encontro no Paço Municipal garantem estar satisfeitos com a argumentação do governo e de seus técnicos.
Algumas legendas, no entanto, ainda estudam pontos específicos dos projetos, como por exemplo, suas repercussões financeiras - apesar disso, devem se colocar de maneira favorável. No bloco de oposição, Pedro Ruas (PSOL), que lidera os três partidos que compõem a ala, afirma que irá conduzir os parlamentares ao voto contrário nas propostas do Executivo. Ruas garante que a medida "apenas prepara para outras reformas do prefeito, todas igualmente negativas".
A reforma prevê a extinção de um cargo de secretário extraordinário e de 11 vagas de CC5. O enxugamento irá viabilizar a criação de quatro vagas de secretários, com respectivos adjuntos, e de mais dois adjuntos. Haverá duas separações de secretarias e será criada a pasta de Regularização Fundiária e Habitação, responsável pelo Departamento Municipal de Habitação (Demhab), além de recriada a Secretaria de Esporte e Lazer. Na justificativa do primeiro projeto a ser votado, Melo defende que seu intuito é "elevar a outro patamar a utilização dos recursos empregados na prestação de serviços à população".
Comentários CORRIGIR TEXTO