Porto Alegre, terça-feira, 29 de dezembro de 2020.
Dia Internacional da Biodiversidade.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 29 de dezembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

TRIBUTOS

- Publicada em 19h54min, 29/12/2020. Atualizada em 19h58min, 29/12/2020.

Governo sanciona o fim do Imposto de Fronteira no Rio Grande do Sul

Deputado Frederico Antunes comemorou a sanção da lei, após amplo debate na AL

Deputado Frederico Antunes comemorou a sanção da lei, após amplo debate na AL


CRISTIANO GUERRA/DIVULGAÇÃO/JC
Foi sancionado nesta terça-feira (29) pelo governador em exercício Ranolfo Vieira Júnior o Projeto de Lei 246/2020, que determina o fim da cobrança do Diferencial de Alíquota do ICMS (Difal), o chamado Imposto de Fronteira. A legislação passa a valer a partir de 1º de janeiro, beneficiando milhares de pequenas e microempresas, integrantes do Simples Nacional, que até agora tinham de pagar o tributo nas compras de produto oriundo de outros Estados.
Foi sancionado nesta terça-feira (29) pelo governador em exercício Ranolfo Vieira Júnior o Projeto de Lei 246/2020, que determina o fim da cobrança do Diferencial de Alíquota do ICMS (Difal), o chamado Imposto de Fronteira. A legislação passa a valer a partir de 1º de janeiro, beneficiando milhares de pequenas e microempresas, integrantes do Simples Nacional, que até agora tinham de pagar o tributo nas compras de produto oriundo de outros Estados.
A lei, de autoria do deputado Frederico Antunes (PP), foi incluída projeto de Reforma Tributária encaminhado à Assembleia Legislativa pelo Executivo gaúcho, aprovado na semana passada, dentro do conjunto de medidas prevendo a redução de impostos de maneira segura e gradual.
Segundo Antunes, o ato "faz justiça e acaba com a cobrança do Difal", sete após a histórica aprovação da Lei. "Hoje podemos afirmar que a cobrança do Difal no RS chegou ao fim. Vitória de quem trabalha, produz, gera emprego e renda e representa quase 85% das 310 mil empresas gaúchas", destacou o parlamentar.
Comentários CORRIGIR TEXTO