Porto Alegre, sexta-feira, 18 de dezembro de 2020.
Dia Internacional do Migrante.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 18 de dezembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

justiça

- Publicada em 14h37min, 18/12/2020.

Moraes, do STF, determina prisão de blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio

Blogueiro bolsonarista foi preso pela PF em investigação de atos antidemocráticos

Blogueiro bolsonarista foi preso pela PF em investigação de atos antidemocráticos


OSWALDO EUSTÁQUIO/TWITTER/REPRODUÇÃO/JC
O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou nesta sexta-feira (18) a prisão preventiva do blogueiro Oswaldo Eustáquio. Apoiador do presidente Jair Bolsonaro, ele estava em prisão domiciliar, mas descumpriu as restrições impostas pelo Supremo ao se deslocar até o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.
O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou nesta sexta-feira (18) a prisão preventiva do blogueiro Oswaldo Eustáquio. Apoiador do presidente Jair Bolsonaro, ele estava em prisão domiciliar, mas descumpriu as restrições impostas pelo Supremo ao se deslocar até o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.
Na decisão, Moraes ressaltou que a detenção do blogueiro é necessária porque ele estaria desobedecendo as medidas alternativas à prisão impostas anteriormente.
O ministro decretou a prisão de Eustáquio pela primeira vez em 26 de junho. Em 5 de julho, Moraes liberou o blogueiro, mas impôs uma série de restrições, como a permanência em Brasília.
Em novembro, porém, ele foi a São Paulo e fez vídeos contra o então candidato a prefeito da cidade, Guilherme Boulos (PSOL). Com isso, descumpriu a medida imposta por Moraes e, dias depois, teve a prisão domiciliar decretada.
Assim, ele estava proibido de sair de casa sem autorização judicial, o que foi descumprido com a ida até o ministério comandado por Damares Alves. Ele é monitorado pela tornozeleira eletrônica, que apontou o deslocamento.
As decisões do ministro a respeito ocorreram no âmbito do inquérito que apura a organização de atos antidemocráticos.
Folhapress
Comentários CORRIGIR TEXTO