Porto Alegre, segunda-feira, 16 de novembro de 2020.
Dia Internacional da Tolerância.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 16 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Selo Eleições

- Publicada em 03h00min, 16/11/2020.

Justiça Eleitoral registra prisão de 1.714 eleitores e 189 candidatos

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou, no último boletim eleitoral previsto para este domingo, que foram realizadas 189 prisões de candidatos no País, e 1.714 prisões de eleitores.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou, no último boletim eleitoral previsto para este domingo, que foram realizadas 189 prisões de candidatos no País, e 1.714 prisões de eleitores.

Ao todo foram sete tentativas de homicídio contra candidatos e sete crimes de lesão corporal contra candidatos. O boletim comunica também que foram contabilizadas três ocorrências de dano à urnas e 12 de falsidade ideológica. O TSE informou que foram registradas 704 ocorrências durante o horário da votação no pleito que decidiu prefeitos e vereadores em todo o País. Até às 17h30min, o tribunal também contabilizou a substituição de 3.381 urnas eletrônicas que apresentaram defeito. O número corresponde a 0,75% do contingente de 400 mil equipamentos que estão sendo utilizados nas eleições. Não houve registro de votação manual em nenhum município.

O Brasil registrou, até às 19h, 2.259 ocorrências de crimes eleitorais neste domingo. Deste total, 1.115 se referem à boca de urna e 409, à compra de votos. Os dados constam de boletim do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Entre os crimes eleitorais, também foram registradas ocorrências por fake news (39) e transporte de eleitores (134), entre outros. A votação foi encerrada às 17h na maior parte do Brasil. Devido ao fuso horário, a votação continuou até mais tarde no Acre, que tem horário local com duas horas de diferença em relação a Brasília.

Comentários CORRIGIR TEXTO