Porto Alegre, domingo, 15 de novembro de 2020.
Dia da Proclamação da República.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 15 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Eleições 2020

- Publicada em 09h22min, 15/11/2020. Atualizada em 09h25min, 15/11/2020.

Bolsonaro viaja para o Rio de Janeiro para votar

No sábado, Bolsonaro compartilhou um vídeo com a legenda: "Pesquisas, alguém ainda acredita?"

No sábado, Bolsonaro compartilhou um vídeo com a legenda: "Pesquisas, alguém ainda acredita?"


CAROLINA ANTUNES/PR/JC
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deixou Brasília por volta das 7h30 deste domingo (15) em direção ao Rio de Janeiro, onde votará no primeiro turno dessas eleições. Ele embarcou na Base Aérea da Capital federal para o Rio.
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deixou Brasília por volta das 7h30 deste domingo (15) em direção ao Rio de Janeiro, onde votará no primeiro turno dessas eleições. Ele embarcou na Base Aérea da Capital federal para o Rio.
No final da noite de sábado (14), Bolsonaro utilizou mais uma vez suas redes sociais para se manifestar sobre este pleito, compartilhando um vídeo com a legenda: "Pesquisas, alguém ainda acredita?". A publicação cita previsões para o pleito de 2018 que não se concretizaram, como a eleição da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) para o Senado, por Minas Gerais, e Eduardo Suplicy (PT) para o Senado, por São Paulo.
O vídeo destaca ainda o caso do governador mineiro Romeu Zema e do próprio Bolsonaro. "Dilma e Suplicy ficaram de fora. Bolsonaro e Zema ganharam e os institutos de pesquisa perderam credibilidade. Pode ser por erro, pode ser por outra coisa, mas a verdade é que os institutos não estão ouvindo o povo e só ele sabe em quem vai votar", diz.
Nesta semana, em live eleitoral, o mandatário reforçou que não acredita em pesquisas, citando o caso do candidato à Prefeitura de São Paulo Celso Russomanno (Republicanos), seu aliado. Russomanno vem em franca queda nos levantamentos e pode ficar de fora do segundo turno.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO