Porto Alegre, segunda-feira, 16 de novembro de 2020.
Dia Internacional da Tolerância.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 16 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Eleições 2020

- Publicada em 09h12min, 15/11/2020. Atualizada em 08h38min, 16/11/2020.

Fernanda Melchionna critica cancelamento de debates em TV aberta

Candidata do PSOL acredita ter fortalecido ideias e propostas

Candidata do PSOL acredita ter fortalecido ideias e propostas


GABRIELA PORTO ALEGRE/ESPECIAL/JC
A candidata à prefeitura de Porto Alegre pelo PSOL, Fernanda Melchionna, afirmou, durante o café da manhã que deu início a sua agenda, que mantém expectativas positivas em relação à votação deste domingo (15). No diretório  do partido, no Centro Histórico da Capital, acompanhada do candidato à vice-prefeito Márcio Chagas, da deputada estadual Luciana Genro e de candidatos a vereador do partido, Fernanda se mostrou  otimista.
A candidata à prefeitura de Porto Alegre pelo PSOL, Fernanda Melchionna, afirmou, durante o café da manhã que deu início a sua agenda, que mantém expectativas positivas em relação à votação deste domingo (15). No diretório  do partido, no Centro Histórico da Capital, acompanhada do candidato à vice-prefeito Márcio Chagas, da deputada estadual Luciana Genro e de candidatos a vereador do partido, Fernanda se mostrou  otimista.
"Estamos com expectativa de que a gente fortaleça uma esquerda coerente, que não se vende, que não se rende. Nesse primeiro turno, batalhamos, sem dúvida, para chegar ao segundo turno. Mas trabalhamos também para fortalecer um programa comprometido com a luta do povo”, disse a candidata.
Analisando o retrospecto da campanha, que neste ano foi atípica – sobretudo pelas mudanças impostas pela pandemia da Covid-19 -, Fernanda avaliou que independente disso e dos empecilhos impostos pelo cancelamento dos debates na TV aberta, a campanha foi construída com muita responsabilidade. “Fizemos uma campanha linda apesar das adversidades impostas pelo momento de pandemia e também do ataque às liberdades democráticas, com o cancelamento do debate em TV aberta”, afirmou a candidata. “O PSOL sempre foi um partido de ano inteiro, de todas as lutas. Tivemos muitas dificuldades em relação à pandemia para fazer o corpo a corpo com o povo, mas sempre mantivemos os cuidados sanitários e apostamos também nas redes sociais para transmitir nossa mensagem”.
Fernanda considerou o cancelamento dos debates em TV aberta um ato grave e prejudicial a todos os candidatos, que não tiveram o mesmo tempo para debater suas propostas e chegar com mais efetividade ao público. "O mais grave foi o ataque às liberdades democráticas que as grandes emissoras de televisão fizeram ao cancelar os debates. Os grandes veículos tiraram a possibilidade do único espaço igualitário na eleição, em que todos os candidatos teriam o mesmo tempo para apresentarem seus planos de governo", disse a candidata. "Não tenho dúvidas de que foi um ataque brutal às liberdades democráticas em tempos de necessidade de enfrentar o bolsonarismo, de debater o futuro de Porto Alegre no pós-pandemia", completou.
A candidata destacou ainda que “o único programa de governo que disse de onde saía cada centavo para garantir o auxílio emergencial municipal, para desendividar a população com o projeto Nome Limpo, foi o programa do PSOL”.
“Não temos dúvidas de que as elites articulam para que a conta da crise econômica e do combate a pandemia saia dos trabalhadores da classe média, e nós, lutaremos contra isso em âmbito federal”.
A expectativa de Fernanda, porém, é de fortalecer nesse primeiro turno as ideias e um programa de governo comprometido com as necessidades reais que Porto Alegre precisa. “Muita gente entendeu e gostou das nossas propostas”.
Ainda pela manhã, a candidata à prefeitura da Capital concedeu entrevistas à emissoras de rádio e, pelas 10h25min, se dirigiu até o Centro Municipal de Educação dos Trabalhadores (CMET) Paulo Freire, no bairro Farroupilha, para votar. Fernanda foi acompanhada de mãe, Sandra Melchionna e, novamente, expressou sua satisfação pela campanha. “A expectativa sempre é muito grande. Eu sempre voto acompanhada da minha mãe, porque ela me dá sorte”.
Em seguida, a candidata acompanhou o voto do seu vice, Márcio Chagas, na Escola Estadual Duque de Caxias, no bairro Azenha. À tarde, a agenda de Fernanda e Márcio segue com entrevistas para os principais veículos de comunicação de Porto Alegre.
Pela pesquisa Ibope divulgada neste sábado (14), Fernanda aparece com 3% das intenções de voto.
Comentários CORRIGIR TEXTO