Porto Alegre, quarta-feira, 21 de outubro de 2020.
Dia do Contato Publicitário.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 21 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

poder judiciário

- Publicada em 22h36min, 20/10/2020.

Força-tarefa do TJ agilizou digitalização de processos durante a pandemia

Desembargador Voltaire de Lima Moraes fez balanço de ações na pandemia

Desembargador Voltaire de Lima Moraes fez balanço de ações na pandemia


/Eduardo Nichele/TJRS/JC
Pedro Carrizo
O Tribunal de Justiça (TJ) do Rio Grande do Sul apresentou nesta terça-feira (20) o balanço das ações do Judiciário gaúcho no combate à pandemia de coronavírus. As ações foram divulgadas em videoconferência e são referentes ao período entre março e outubro, em que foi adotado o Sistema Diferenciado de Atendimento de Urgência em razão da pandemia.
O Tribunal de Justiça (TJ) do Rio Grande do Sul apresentou nesta terça-feira (20) o balanço das ações do Judiciário gaúcho no combate à pandemia de coronavírus. As ações foram divulgadas em videoconferência e são referentes ao período entre março e outubro, em que foi adotado o Sistema Diferenciado de Atendimento de Urgência em razão da pandemia.
Embora a Covid-19 tenha acentuando a crise sanitária, hospitalar e econômica no País, algumas medidas do Judiciário estadual, como a força-tarefa para a digitalização de processos, fundamental para andamento de ações judiciais paradas durante a pandemia, fez avançar mudanças para o sistema. "Atualmente o Estado tem mais de 5 milhões de processos, mas cerca 1,6 milhão são eletrônicos. A partir da força-tarefa, composta pelo judiciário e empresa licitada, projetamos que até dezembro de 2021 se espera a digitalização de todos processos físicos do Estado", projeta o presidente do TJ, desembargador Voltaire de Lima Moraes.
O ambiente virtual é o novo aliado do Judiciário, que conta agora com áreas exclusivamente digitais para entrar com ações, conciliações e mediações no site da instituição.
Também houve neste período sustentações orais por videoconferência e a criação de um Centro Virtual de Mediação Empresarial, plataforma onde empresários, assessorados pelo TJ, podem buscar renegociação de dívidas, entre outros serviços.
Comentários CORRIGIR TEXTO