Porto Alegre, segunda-feira, 28 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 28 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Eleições 2020

- Publicada em 16h25min, 28/09/2020. Atualizada em 16h48min, 28/09/2020.

Alvo de críticas, Manuela evita confronto direto em debate com candidatos à prefeitura de Porto Alegre

Os candidatos Valter Nagelstein (e) e Rodrigo Maroni (c) fizeram as críticas mais contundentes à Manuela d'Ávila, que lidera as pesquisas de intenção de voto.

Os candidatos Valter Nagelstein (e) e Rodrigo Maroni (c) fizeram as críticas mais contundentes à Manuela d'Ávila, que lidera as pesquisas de intenção de voto.


LUIZA PRADO/JC, Celso Bender/Agência ALRS/JC e MARCELO G. RIBEIRO/Arquivo/JC
Marcus Meneghetti
Embora o líder nas pesquisas eleitorais costume ser alvo de críticas tanto quanto o candidato à reeleição, a candidata à prefeitura de Porto Alegre Manuela d’Ávila (PCdoB) não foi tão atacada quanto o prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB) no segundo debate eleitoral, realizado nesta segunda-feira (28) pela rádio Guaíba. Mesmo assim, foi alvo de críticas. Valter Nagelstein (PSD) e Rodrigo Maroni (PROS) fizeram os ataques mais contundentes à Manuela. A candidata do PCdoB evitou o confronto direto. 
Embora o líder nas pesquisas eleitorais costume ser alvo de críticas tanto quanto o candidato à reeleição, a candidata à prefeitura de Porto Alegre Manuela d’Ávila (PCdoB) não foi tão atacada quanto o prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB) no segundo debate eleitoral, realizado nesta segunda-feira (28) pela rádio Guaíba. Mesmo assim, foi alvo de críticas. Valter Nagelstein (PSD) e Rodrigo Maroni (PROS) fizeram os ataques mais contundentes à Manuela. A candidata do PCdoB evitou o confronto direto. 
Conforme a pesquisa RealTime Big Data, divulgada na semana passada, a candidata do PCdoB está 10% à frente do segundo colocado, o ex-prefeito José Fortunati (PTB). Na pesquisa de votação estimulada, Manuela lidera com 21% das intenções de voto; Fortunati tem 11%; Marchezan e o ex-vice-prefeito de Fortunati, Sebastião Melo (MDB), aparecem empatados em terceiro lugar, com 10% cada.
O debate desta segunda aconteceu no formato de drive-in: os candidatos estacionaram seus carros no estacionamento da emissora e responderam às perguntas dentro dos veículos. Foram três blocos. No primeiro, responderam a perguntas da população. No segundo, fizeram perguntas uns aos outros. No terceiro, fizeram as considerações finais.
No segundo bloco, Nagelstein perguntou para Manuela: “Em meio a maior crise de saúde, educação e segurança pública da história, tu estás prometendo fazer de Porto Alegre a melhor cidade do mundo. Com todo o ranço contra quem empreende e a falta de experiência em gestão pública, como pretende fazer isso?”
Manuela respondeu a alfinetada: “enfrento o prefeito, o vice, o ex-prefeito, o ex-vice e tu, que foste secretário várias vezes e também responde pela situação da nossa cidade. Vou governar ouvindo as pessoas, com participação popular, sem essa arrogância de alguns candidatos”.
E concluiu: a principal prioridade da minha gestão será olhar para toda a cidade, inclusive para aqueles que empreendem. Temos propostas de microcrédito e compras públicas governamentais com um olhar para a cidade de Porto Alegre. Sabemos que podemos gerar empregos com isso. Mas esses empregos não devem ser gerados só no Centro. Porto Alegre é uma cidade imensa, com regiões que foram abandonadas nos últimos anos”.
Nagelstein retrucou: “o que está provado é que Porto Alegre não pode cair na mão de quem nunca administrou nada. Basta ver o atual governo. Manuela disse que fui secretário. É verdade, tenho experiência na administração e conheço os problemas da cidade”.
Quando chegou a vez de Maroni questionar, escolheu Nagelstein para responder. Sua pergunta já continha uma crítica a Manuela, Fortunati, Marchezan e o vice-prefeito Gustavo Paim (PP). “O Fortunasti voltou de Portugal (onde fazia mestrado) e arrebentou com a campanha do Melo; a Manuela odeia a Maria do Rosário e o PT e está sendo apoiado pelo PT; e o Gustavo Paim e o Marchezan se pegaram no pau nesta gestão. Tu acreditas que há confiança nessas pessoas para gerir a cidade, sendo que essas relações promíscuas acontecem na política?”
Valter respondeu elogiando a defesa dos animais promovida por Maroni. Em seguida, falou sobre suas propostas. Quando Maroni fez a réplica, novamente atacou Fortunati e Manuela: “Lamento ter que vivenciar esse momento, vendo que, apesar de o Melo ser um vice íntegro, o Fortunati voltou para arrebentar a campanha do Melo. A Manuela disse para mim, inclusive, que o (ex-presidente Luiz Inácio) Lula (da Silva, PT) deveria ser preso e que odiava a Maria do Rosário. Apesar disso, está aqui com o poio do PT”.
Comentários CORRIGIR TEXTO