Porto Alegre, quarta-feira, 23 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 23 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre

- Publicada em 14h25min, 05/09/2020. Atualizada em 17h12min, 06/09/2020.

Justiça autoriza retomada do processo de impeachment de Nelson Marchezan Júnior

Prefeito ainda não foi notificado sobre a decisão, segundo sua assessoria de imprensa

Prefeito ainda não foi notificado sobre a decisão, segundo sua assessoria de imprensa


ANSELMO CUNHA/PMPA/DIVULGAÇÃO/JC
O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS) suspendeu a liminar que havia interrompido a tramitação do processo de impeachment do prefeito de Porto Alegre Nelson Marchezan Júnior. A decisão do desembargador Alexandre Mussoi Moreira foi publicada na noite desta sexta-feira (4).
O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS) suspendeu a liminar que havia interrompido a tramitação do processo de impeachment do prefeito de Porto Alegre Nelson Marchezan Júnior. A decisão do desembargador Alexandre Mussoi Moreira foi publicada na noite desta sexta-feira (4).
A Câmara de Vereadores de Porto Alegre poderá retomar o processo assim que todas as partes forem notificadas. Segundo a assessoria de imprensa do prefeito, ele não foi notificado da decisão, uma vez qe as notificações só podem ocorrer em dias úteis. Após ser notificado, o prefeito deve recorrer. 
A avaliação do desembargador, na sua decisão, é que não houve prejuízo à defesa de Marchezan durante o processo, e que a comissão poderia responder aos questionamentos do prefeito em prazo razoável, não sendo necessário interromper o processo. A defesa de Marchezan alegava que houve "ilegalidade e abuso de poder" na condução do processo movido na Câmara de Vereadores da Capital.
O processo de impeachment foi aberto no dia 5 de agosto pela Câmara. Na ocasião, o processo foi aprovado com 31 votos favoráveis e 4 contrários. Marchezan é acusado de autorizar o uso de recursos do Fundo Municipal de Saúde para financiar peças publicitárias. Em entrevista ao Jornal do Comércio, Marchezan diz que o impeachment é "factóide eleitoral"
Comentários CORRIGIR TEXTO