Porto Alegre, quarta-feira, 23 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 23 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Operação lava jato

- Publicada em 03h00min, 02/09/2020.

'Nunca tive problema com Deltan', afirma Augusto Aras

"Foi Deltan que escolheu o colega, e não há qualquer ressalva de minha parte quanto ao nome", assegurou Aras

"Foi Deltan que escolheu o colega, e não há qualquer ressalva de minha parte quanto ao nome", assegurou Aras


EVARISTO SA/AFP/JC
O procurador-geral da República, Augusto Aras, afirma que nunca teve problema algum com o procurador Deltan Dallagnol, que chefiava a força-tarefa (1º) da Operação Lava Jato no Paraná. E diz que o procurador Alessandro José Fernandes de Oliveira, que vai assumir as funções de Deltan à frente da Lava Jato, terá todo o seu "igual apoio". A apuração é da Folha de S.Paulo.
O procurador-geral da República, Augusto Aras, afirma que nunca teve problema algum com o procurador Deltan Dallagnol, que chefiava a força-tarefa (1º) da Operação Lava Jato no Paraná. E diz que o procurador Alessandro José Fernandes de Oliveira, que vai assumir as funções de Deltan à frente da Lava Jato, terá todo o seu "igual apoio". A apuração é da Folha de S.Paulo.
Deltan anunciou nesta terça-feira que está se desligando da força-tarefa por questões de saúde familiar. "Nunca tive problemas com Deltan Dallagnol, de nenhuma natureza. Nem ele comigo. Nunca tivemos uma conversa ríspida", diz Aras. "O procurador Alessandro, por sua vez, terá todo o meu apoio no combate à corrupção. Como o Deltan teve".
Aras afirma que continuará "dotando as forças tarefas, independente do nome Lava Jato, de recursos e meios necessários para que combate à corrupção prossiga". O procurador-geral diz que nunca se combateu a corrupção como em sua gestão. "Já foram 105 autoridades com foro denunciadas ou que sofreram alguma operação de busca e apreensão. Nenhuma das gestões anteriores fez isso em apenas 10 meses (tempo em que comanda a Procuradoria-geral da República)."
Ele nega que tenha influenciado na escolha do novo chefe da Lava Jato do Paraná. "Foi o Deltan que escolheu o colega, e não há qualquer ressalva de minha parte quanto ao nome. Ele foi indicado à procuradora-chefe do Paraná, que deve me encaminhar a indicação."
Comentários CORRIGIR TEXTO